Arte na escola - desafios e impasses, um estudo de caso

Giovane Nascimento

Resumo


O presente artigo objetiva analisar a problemática da linguagem dos profissionais do ensino de arte. A arte sempre esteve, de alguma forma, ligada à educação, foi instrumento que possibilitou a comunicação desde os primórdios. Quando utilizada de forma adequada agrega valor ao ensino, despertando o interesse dos alunos, por aguçar os sentidos, propiciando sensação de prazer. John Dewey, em seu texto Arte como experiência compreendia a arte sob uma perspectiva pragmática, nesse mesmo sentido Richard Shusterman, em seu texto Vivendo a arte propõe o que podemos chamar de vivência da arte. Sem dúvida nenhuma, em se tratando de formação humana, em que pese inúmeras pesquisas sobre o tema, ainda são poucos os avanços reais no que se refere às aplicações concretas na educação. A arte em seu sentido transversal a todas as disciplinas, ainda pode nos apresentar possibilidades de soluções para muitos episódios que, lamentavelmente, persistem no nosso cotidiano escolar.

Palavras-chave: Arte. Linguagem. Sensibilidade.


Texto completo:

VISUALIZAR PDF

Referências


BARBOSA, Ana Mae Tavares. Recorte e colagem: influência de John Dewey no ensino da arte no Brasil.São Paulo: Cortez, 1989.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. 2. ed. Brasília, DF: MEC, Rio de Janeiro, RJ: DP&A, 2000. 10 v. ISBN 8586584703(v.1) Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2010.

DEWEY, John. A arte como experiência. In: Os Pensadores. Tradução Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme. Abril Cultural, 1980.

HEAD, Herbert, 1893-1968. A Educação pela Arte. Tradução Valter Lelis Siqueira. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

HUISMAN, Denis. A Estética. Tradução: J. Guinsburg. 2ª Edição. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1961.

SHUSTERMAN, Richard. Vivendo a Arte. O pensamento pragmatista e a estética popular. São Paulo: Editora 34, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Governo do Estado do Paraná
Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
InCantare: R. Pesq. Musicoterapia, Curitiba, Faculdade de Artes do Paraná, ISSN 2317-417X