MUSICOTERAPIA E O IMPLANTADO COCLEAR: REVISÃO SISTEMÁTICA

Marcus Vinicius Alves Galvão

Resumo


A tecnologia envolvendo o Implante Coclear tem se desenvolvido rapidamente nos últimos anos. O sujeito surdo após ser implantado precisa passar por um processo de (re)habilitação intenso e sistematizado. O Centro de Reabilitação e Readaptação Doutor Henrique Santillo-CRER, localizado no município de Goiânia possui uma equipe especializada na reabilitação do sujeito implantado na qual o musicoterapeuta se insere. Este artigo tem por objetivo fazer um levantamento na literatura e compará-lo com as ações realizadas no CRER. A revisão sistemática da literatura foi conduzida nas bases Lilacs (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde), PubMed e Scopus. A literatura demonstrou que as ações musicoterapêuticas no trabalho multiprofissional com o sujeito implantado contribui de forma significativa no processo de (re)estabelecimento do desenvolvimento auditivo, além de possibilitar e facilitar a percepção dos surdos, como uma função autorrealizadora, contribuindo para a formação do ser. 


Texto completo:

PDF

Referências


BARATTO, A. C. H; Fernandes, J. O; Martins, W. Uma abordagem Musicoterápica junto a crianças deficientes auditivas. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Musicoterapia) – Setor de Pesquisa e Graduação, Faculdade de Artes do Paraná, Curitiba, 1998.

BARCELLOS, L. R. M. Cadernos de Musicoterapia. Vol. 3. Rio de Janeiro: Enelivros, 1994.

_________. Cadernos de musicoterapia. Vol.4. Rio de Janeiro: Enelivros,1999.

BENENZON, R. O. Manual de Musicoterapia. Rio de Janeiro. Enelivros, 1985.

BUITRAGO, Y. Q. Métodos unisensoriales para la rehabilitación de la persona con implante coclear y métodos musicoterapéuticos como nueva herramienta de intervención. In: Rev. Otorrinolaringol. Cir. Cabeza Cuello 2013; 73: 94-108

BRUSCIA, K.E. Definindo musicoterapia. 2. ed. Rio de Janeiro: Enelivros, 2000.

BRANDALISE, A. A aplicação terapêutica da música no tratamento de pessoas com implante coclear (IC): uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Musicoterapia - Ano XVII n° 18 ANO 2015. p. 7 a 24

FULLER, C; et al. Music and Quality of Life in Early-Deafened Late-Implanted Adult Cochlear Implant Users. In: Otology & Neurotology, Vol. 34, No. 6, 2013 Disponível: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23823145

GALVÃO, M. V. A. et al. Sequência Didática: uma Proposta de Ensino da Música para Surdos. In: Anais do 8º Simpósio de Cognição e Artes Musicais. Florianópolis-RS: CEART- UDESC, 2012.v. 1, p. 490-493 Disponível: www.abcogmus.org/simcam/index.php/simcam8/simcam8/paper/view/138

GFELLER, Kate. Music and cochlear Implants: Not in Perfect Harmony. In: Published in final edited form as: ASHA Lead. 2009 June 16; 2009. Disponível: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3150543/

HSIAO, F.; GFELLER, K. Music Perception of Cochlear Implant Recipients With Implications for Music Instruction: A Review of the Literature. In: journals Permissions.nav . Disponivel: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3587135/

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico Brasileiro 2000. Disponível em: http://www.ibge.com.br/. [acesso em10 dez 2016]

NELSON, L. H. et al. Embedding Music Into Language and Literacy Instruction for Young Children Who Are Deaf or Hard of Hearing. In: Division for Early Childhood, 2015 Vol. 19, No. 1, March 2016 Disponivel: http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1096250614566539

PIAZZETTA, C. M. de F. MUSICALIDADE CLÍNICA EM MUSICOTERAPIA: um estudo transdisciplinar sobre a constituição do musicoterapeuta como um ‘ser musical-clínico’. Dissertação de Mestrado em Música – UFG - Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2006.

QUIQUE, Yina. Métodos unisensoriales para la rehabilitación de la persona con implante coclear y métodos musicoterapéuticos como nueva herramienta de intervención. Revista de Otorrinolaringología y Cirurgía de Cabeza y Cuello, 73, 94-108, 2013. disponivel: http://dx.doi.org/10.4067/S0718-48162013000100016

_______. Musicoterapia en niños con implante coclear. In: Rev. torrinolaringol. Cir. Cabeza Cuello 2014; 74: 215-227 disponivel :http://dx.doi.org/10.4067/S0718-48162014000300004

ROCHETTE, F.; MOUSSARD, A.; BIGAND, E. Music Lessons Improve Auditory Perceptual and Cognitive Performance in Deaf Children. Frontiers in Human Neuroscience, v8 , p. 488. 2014 http://doi.org/10.3389/fnhum.2014.00488

RODRIGUES, I. O.; GATTINO, G. S. Música, Musicoterapia e surdez: uma revisão literária. In: Revista Nupeart Volume 14, 2015. disponivel: http://www.revistas.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/6333/4895

SANTANA, Ana Paula. Surdez e Linguagem: aspectos e implicações neurolinguisticas. São Paulo: Plexus editora, 2007.

SCHRAER-JOINER, L.;PRAUSE-WEBER, M. Strategies for Working with Children with Cochlear Implants. In Music Educators Journal Vol. 96, No. 1 disponivel: http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/0027432109341274

SCARANELLO, CA. REABILITAÇÃO AUDITIVA PÓS IMPLANTE COCLEAR. Revista da faculdade de Medicina, USP Ribeirão Preto, v 8 (3/4), p. 273-278, jul./dez. 2005 Disponível: http://revista.fmrp.usp.br/2005/vol38n3e4/7_reabilitacao_auditiva_pos_implante_coclear.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Governo do Estado do Paraná
Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
InCantare: R. Pesq. Musicoterapia, Curitiba, Faculdade de Artes do Paraná, ISSN 2317-417X