A imagem musical compreendida à luz dos estágios de audiação notacional: Um estudo sobre a leitura musical significativa aplicada a músicos profissionais

Autores

  • Ronaldo da Silva Universidade Estadual de Ponta Grossa

Resumo

Este artigo apresenta um estudo exploratório acerca da natureza da leitura musical significativa aplicada a vinte e um músicos profissionais, em que busca verificar de que maneira o grau de complexidade da música notada influencia a compreensão aural dos participantes, frente às limitações da memória humana. Como instrumento de pesquisa, foi desenvolvido o Teste de avaliação da compreensão musical (TACMus) a fim de colher indí­cios acerca do pensamento musical dos participantes, baseando-se nos estágios de audiação de Gordon. Alguns dos resultados apontaram a possibilidade de se atingir estágios de audiação mais elevados diante de um rendimento inferior de estágios anteriores, evidenciando que as variáveis analisadas tendem a se polarizar ao redor de padrões rí­tmicos e dos padrões tonais. Por fim, foi possí­vel observar que a totalidade dos estágios de audiação pôde ser alcançada mediante abordagens mistas de leitura, ascendente e descendente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo da Silva, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Bacharel em piano pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (UNESP), licenciado e especialista em Educação Musical pela Faculdade de Música Carlos Gomes (SP). Realizou o mestrado e doutorado na área de Fundamentos Teóricos no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Desenvolve pesquisas na área da cognição e educação musical, com temas relacionados í  leitura musical significativa em músicos profissionais e em crianças inseridas na prática de canto coral. Atualmente é docente do curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR), coordena o Grupo de Estudo e Pesquisa em Cognição e Educação Musical (GEPCEM) do CNPq, e o programa de ensino, pesquisa e extensão "Educanto: educação musical por meio do canto coral infantil". E-mail: ronalldu@gmail.com

Referências

AGNEW, M. A comparison of the auditory images of musicians, psychologists and children. Psychological Monographs, v. 31, n. 1, p. 268-278, 1922. Disponí­vel em <http://psycnet.apa.org/index.cfm?fa=buy.optionToBuy&id=2011-14619-014>. Acesso em 4, fev., 2015.

______. The auditory imagery of great composers. Psychological Monographs, v. 31, n. 1, p. 279-287, 1922. Disponí­vel em <http://psycnet.apa.org/journals/mon/31/1/279.pdf>. Acesso em 9, fev., 2015.

BAILES, F. A. Musical imagery: hearing and imagining music, v. 1. 2002. Dissertation (Doctor of Philosophy) – University of Sheffield, South Yorkshire 2002. Disponí­vel em <http://etheses.whiterose.ac.uk/3452/>. Acesso em 8, fev., 2015.

BRODSKY, W.; HENIK, A.; RUBINSTEIN, B.; ZORMAN, M. Auditory imagery from musical notation in expert musicians. Perception & Psychophysics, v. 65, n. 4, p. 602-612, 2003. Disponí­vel em <http://link.springer.com/article/10.3758%2FBF03194586>. Acesso em 14, jul., 2015.

CASPURRO, M. H. R. S. Efeitos da aprendizagem da audiação da sintaxe harmónica no desenvolvimento da improvisação. 2006. Tese (Doutorado) – Departamento de Comunicação e Arte, Universidade de Aveiro, Aveiro, 2006.

COVINGTON, K. The mind´s ear: hear music and no one is performing. College Music Society, v. 45, p. 25-41, 2005. Disponí­vel em <http://www.jstor.org/stable/40374518>. Acesso em 14, jul., 2015.

CRESWELL, J. W. Research design: qualitative, quantitative and mixed methods approaches. 2 ed. Thousand Oaks, CA: Sage Publications, 2003.

FARIA, E. L. B.; MOURíO JÚNIOR, C. A. Os recursos da memória de trabalho e suas influências na compreensão da leitura. Psicologia, Ciência e Profissão, v. 33, n. 2, p. 288-303, 2013. Disponí­vel em <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932013000200004&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em 17, jul., 2015.

FERREIRA, D. F. Estatí­stica básica. 2. ed. rev. Lavras: UFLA, 2009.

GARDNER, H. The mind"™s new science: a history of the cognitive revolution . New York: Basic Books, 1985.

GIBBONS, J. D.; CHAKRABORTI, S. Nonparametric statistical inference. 4th ed. New York: Marcel Dekker Inc., 2003.

GOLDEMBERG, R. Modus Novus e a abordagem intervalar da leitura cantada í primeira vista. Opus, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 107-120, dez. 2011. Disponí­vel em <http://www.anppom.com.br/opus/data/issues/archive/17.2/files/OPUS_17_2_Goldemberg.pdf>. Acesso em 7, set., 2014.

______. Uma avaliação da abordagem ascendente para a leitura cantada í primeira vista. Revista da ABEM, v. 23, n. 34, p. 80-94, jan-jun 2015. Disponí­vel em <http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/view/520/445>. Acesso em 13, jul., 2015.

GOLDEMBERG, R.; FINE, P. Evaluation of a bottom-up model of musical sight-singing: the case of modus novus. In: INTERNATIONAL CONFERENCE FOR MUSIC PERCEPTION AND COGNITION, 13, 2014, Seoul. Proceedings"¦ Seoul: Yonsei University, College of Music, 2014. p. 113-117.

GORDON, E. E. Learning sequences in music: skill, content, and patterns. Chicago: GIA Publications, 1993.

______. All about audiation and music aptitudes. Music Educators Journal, v. 86, n. 2, p. 41-44, sep. 1999.

______. Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Tradução de Maria de Fátima Albuquerque. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2000.

INTONS-PETERSON, M. J. Components of auditory imagery. In: REISBERG, D. (Ed.). Auditory imagery. New York: Psychology Press, 2014. p. 45-72.

LEFEVRE, F.; LEFEVRE, A. M. Depoimentos e discursos: uma proposta de análise em pesquisa social. Brasí­lia: Liber Livro, 2005.

LEHMANN, A. C.; MCARTHUR, V. Sight-reading. In: PARNCUTT, R.; MCPHERSON, G. E. The science and psychology of music performance: creative strategies for teaching and learnin. New York: Oxford University Press, 2002. p. 135-150.

LEVITIN, D. J. A música no seu cérebro: a ciência de uma obsessão humana. 2. ed. Tradução de Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

MAGALHíES, M. N.; LIMA, A. C. P. Noções de Probabilidade e Estatí­stica. 7. ed. São Paulo: EDUSP, 2010.

MORAIS, A. M.; NEVES, I. P. Fazer investigação usando uma abordagem metodológica mista. Revista Portuguesa de Educação, v. 20, n. 2, p. 75-104, 2007. Disponí­vel em <http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/rpe/v20n2/v20n2a04.pdf>. Acesso em 22, mar., 2015.

NIEHAUS, L. Developing jazz concepts: for saxofone and others instruments. [S.l.]: Hal Leonard, 1981.

OTTMAN, R. W.; ROGERS, N. Music for sight singing. 8th ed. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall, 2011.

PERETZ, I.; ZATORRE, R. J. Brain organization for music processing. Annual Review of Psychology, v. 56, p. 89-114, feb. 2005. Disponí­vel em <http://www.annualreviews.org/doi/pdf/10.1146/annurev.psych.56.091103.070225>. Acesso em 14, jul., 2015.

RUTKOWSKI, J. The measurement and evaluation of children`s singing voice development. The Quarterly, v. 1, n. 1-2, spring 1990. Disponí­vel em <http://www-usr.rider.edu/~vrme/v16n1/visions/spring10>. Acesso em 15, set., 2014.

SAUNDERS, T. C.; The stages of music audiation: a survey of research. The Quarterly, v. 2, n. 1 & 2, spring/summer, 1991. Disponí­vel em <http://library.sc.edu/music/gordon/487.pdf>. Acesso em 15, jul., 2015.

SEASHORE, C. E. Psychology of music. New York: McGraw-Hill Book Company, 1938.

SNYDER, B. Music and memory: an introduction. London: MIT Press, 2000.

SOBREIRA, S. G. Desafinação vocal. 2. ed. Rio de Janeiro: Musimed, 2003.

Downloads

Publicado

29.12.2017

Como Citar

da Silva, R. (2017). A imagem musical compreendida à luz dos estágios de audiação notacional: Um estudo sobre a leitura musical significativa aplicada a músicos profissionais. Revista Vórtex, 5(3). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/2156

Edição

Seção

Dossiê