Brincar, tocar, experimentar, criar:

“Jatékók” de György Kurtág e o fazer musical lúdico

Visualizações: 9

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33871/vortex.2024.12.8398

Palavras-chave:

ensino de piano, composição musical, ludicidade, educação musical, corpo e música

Resumo

Esse artigo aborda algumas questões técnicas, poéticas e conceituais implicadas em Játékok [Jogos], do compositor húngaro György Kurtág. Ao longo do artigo, são abordadas ideias do próprio compositor, tanto do ponto de vista composicional quanto didático-pedagógico, em cruzamento com ideias de outros compositores com os quais se traça uma lúdica e criativa tradição húngara de ensino musical. Além disso, busca-se melhor compreender a potência do brincar na vida e no desenvolvimento infantil, por meio de conceitos e concepções da filosofia e da psicologia contemporânea, e como uma tal potência foi composicionalmente explorada por Kurtág em Jogos. As abordagens conceituais são entremeadas por análises de algumas peças dos Jogos. O objetivo do estudo é contribuir na compreensão e aplicação de processos de ensino e aprendizagem instrumental atentos a uma possível aliança entre a exploração de gestualidades físico-corporais lúdicas e prazenteiras com sonoridades e pensamentos musicais contemporâneos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Rodrigues Penha, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Gustavo Penha é professor da UFMS desde 2016. Graduado em composição musical pela FASM, mestre (2010) e doutor (2016) em Música pela UNICAMP, com bolsa FAPESP. Realizou pós-doutorado no Departamento de Música da ECA/USP, com bolsa do CNPq. Atuou na produção artística e executiva de dois CDs pelo Selo LAMI/USP.  Participou de festivais internacionais e apresentações nacionais e internacionais. Teorbista e guitarrista barroco, é integrante do Duo Amálgama. Recebeu o Prêmio Funarte de Composição Clássica em 2014. Foi Coordenador de Curso de Música – Licenciatura da UFMS (2018 a 2021) e é Diretor da FAALC (Faculdade de Artes, Letras e Comunicação).

Silvio Ferraz Mello Filho, Universidade de São Paulo

Silvio Ferraz é professor Titular no Departamento de Música da USP desde 2014. Foi Professor Associado na UNICAMP (2002-2013) e Diretor Pedagógico da EMESP e do Festival de Inverno de Campos do Jordão (2009-2010). Coordenou o Centro de Linguagem Musical (PUCSP) e o NIDIC-UNICAMP. Suas obras foram executadas em diversos festivais e eventos nacionais internacionais. Colaborou com grupos renomados como Arditti String Quartet e Nash Ensemble. Autor de livros sobre música contemporânea, é pesquisador da Fapesp e CNPQ, com ênfase em composição musical contemporânea, a questão do tempo na música e as relações entre a música e o pensamento filosófico de Gilles Deleuze.

Referências

BARTÓK, Béla. [1940] “La musique contemporaine dans l’enseignment du piano”. In: Écrits. Tr. Fr. Peter Szendy. Genebra: Contrechamps, 2006, p. 275-276.

CAGE, John. [1976] Pour les oiseaux: Entretiens avec Daniel Charles. Paris: L’Herne, 2014, p. 291.

DELALANDE, François. [1984] A música é um jogo de criança. Tr. Br: Alessandra Cintra. São Paulo: Peirópolis, 2019.

DELEUZE, Gilles. [1968] Diferença e repetição. Tr. Br. de Luiz B. L. Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

_________. [1969] Lógica do sentido. Tr. Br. Luiz Roberto Salinas Fortes, 3ª Edição. São Paulo: Perspectiva, 1994.

_________. [1967] “Conclusõe sobre a vontade de potência e o eterno retorno”. In: A ilha deserta e outros textos: Textos e entrevistas (1953-1974). Org. David Lapoujade. Tr. Br. Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Iluminuras, 2010.

_________. [1993] “Gaguejou”. In: Crítica e clínica. 2ª ed. Tr. Br. Peter Pál Pelbart. São Paulo: Ed. 34, 2011, pp. 138-146.

_________. [1983] “Prefácio à Edição Americana de Nietzsche e a Filosofia”. In: Dois regimes de loucos. Org. David Lapoujade. Tr. Br. Guilherme Ivo. São Paulo: Ed. 34, 2016, pp. 212-218.

DELEUZE; GUATTARI [1972]. O Anti Édipo: capitalistmo e esquizofrenia 1. Tr. Br. Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Editora 34, 2010.

_________. [1980] Mil platôs - capitalismo e esquizofrenia 2. Tr. Br. Suely Rolnik, vol. 4 . Rio de Janeiro: Éd. 34, 1997.

GOUVEIA, Horácio de Oliveira Caldas. Os Jogos (Játékok) de György Kurtág para piano: corpo e gesto numa perspectiva lúdica. Tese de doutoramento. São Paulo: USP, 2010.

JANG, Jeongwook. An instructional guide to teaching Kurtág’s Játékok Volume I to beginning and intermediate piano students. Dissertation (Doctor of Musical Arts) – University of North Texas, 2015. Disponível em <https://digital.library.unt.edu/ark:/67531/metadc801950/m2/1/high_res_d/dissertation.pdf>

JUNTTU, Kristiina, “György Kurtág Játékok (Games) – interplay between body and piano”. In: International Conference on Music Education, Talín, 2009. Disponível online em <https://www.junttu.net/kristiina/Abstract_2_in_English.html>.

KOCSIS, Zoltán. Gyorgy Kurtag : Jatekok _ Perpetuum mobile. Interpretação. Gravadora e data desconhecidas (entre 199? e 20??). Vídeo. Disponível online em

< https://www.youtube.com/watch?v=Hh8vskF1k5c&ab_channel=HyunSeokGong >.

KODÁLY, Zoltán. [1945] 24 Little Canons on the Black Keys. Budapeste: Zenemüjiadó Vállalat; Nova Iorque: Boosey & Hawks, 1957.

_______________. [1921] “Bartók’s compositions for children”, In: The Selected Writings of Zoltán Kodály. Londres: Boosey & Hawks, 1974.

KURTÁG, György. ______. Játékok (zongorára) vol. 1. Budapest: Editio Musica Budapest, 1979a.

______. Játékok (zongorára) vol. 2. Budapest: Editio Musica Budapest, 1979b.

______. Játékok (zongorára) vol. 3. Budapest: Editio Musica Budapest, 1979c.

______. Játékok (zongorára) vol. 4. Budapest: Editio Musica Budapest, 1979d.

______. Játékok (zongorára) vol. 5. Budapest: Editio Musica Budapest, 1997.

______. Játékok(zongorára) vol. 6. Budapest: Editio Musica Budapest, [n.d.].

______. Játékok (zongorára) vol. 7. Budapest: Editio Musica Budapest, 2003.

_______________. [1989] “Játékok: une leçon de György Kurtág”. In: Entretiens, textes, dessins. Genebra: Contrechamps, 2009, p. 183-192.

_______________. Kurtág: Perpetuum mobile. <https://www.youtube.com/watch?v=pLbx5aSVEfM&ab_channel=musicvideoing >.

KURTÁG, György; KURTÁG, Márta. Duo Marta et György Kurtág: Bach / Kurtág. Vídeo. 2012. Disponível online em < https://www.youtube.com/watch?v=g319gW5_O0o&t=322s >.

LAYEC, Charlotte. Les enjeux des pièces pédagogiques contemporaines dans l'apprentissage de la clarinette au cycle I. Mémoire (Diplôme d'Etat de professeur de clarinette) – Pôle d'enseignement supérieur de la musique. Seine Saint Denis, 2015.

LEE, Youngwoo. Youngwoo Lee plays György Kurtág Játékok. Vídeo. 2015. Disponível online em < https://www.youtube.com/watch?v=cK36ucDf01E >.

LIGETI, G. [1995] “Gyõrgy Kurtág: “... Quase uma fantasia...” Analyse du premier mouvement” In: György Ligeti: Écrits sur la musique et les musiciens. Genebra: Contrechamps, 2014, p. 360-370.

_________. [1946] “Nouvelle musique en Hongrie” In: György Ligeti: Écrits sur la musique et les musiciens. Genebra: Contrechamps, 2014, p. 23-28.

_________. [2000] “Discours pour György Kurtág” In: György Ligeti: Écrits sur la musique et les musiciens. Genebra: Contrechamps, 2014, p. 357-362.

_________. “Études”, encarte de Works for Piano: Études, Musica Ricercata; György Ligeti Edition 3, interpretado Pierre ¬Laurent Aimard, tr. de David Feurzeig and Annelies McVoy. Sony Classical, SK 62308(CD), 1996, p. 7–12

_________. [1985] “Ma position comme compositeur aujourd’hui.” In: L’atelier du compositeur. Tr. Fr. Catherine Fourcassié, Pierre Michel, et al., 123–25. Geneva: Contrechamps, 2013a.

_________. [2001] “Certains aspects de ma musique.” L’atelier du compositeur. Tr. Fr. Catherine Fourcassié, 135–37. Geneva: Contrechamps, 2013b.

MARÉCHAUX, Pierre. “Bibliotheca lacônica et exsanguis: Kurtág abréviateur de la pensée pianistique traditionelle”. In: MARÉCHAUX, Pierre; TOSSER, Grégoire; et AL. La pensée musicale de György Kurtág. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2009, p. 245-262.

MONTESSORI, MARIA. [1949] A formação do homem. Campinas: Kírion, 2018.

ORLANDI, Luiz Benedicto Lacerda. “Entrevista com Luiz Orlandi. Ética em Deleuze.” Campinas: Instituto CPFL, 29/08/2008. (Disponível online em https://institutocpfl.org.br/cafe-filosofico-etica-em-deleuze-luiz-orlandi/ Acessado em 17/02/2023).

_________. “Um gosto pelos encontros”, In: Arrastões na imanência. Campinas: Phi, 2018a, 395-417.

_________. (2008) “Pensar e devir criança”, In: Arrastões na imanência. Campinas: Phi, 2018b, 95-104.

PACHECO, Eduardo Guedes. “Inventário de uma (des)educação musical”, In: Revista Reflexão e Ação, v.22, n.1. Santa Cruz do Sul: UNISC jan./jun.2014, p.148-167.

_________. “Pedagogia do silêncio”, In: Alegrar, nº16, Dez/2015.

PENHA, Gustavo. “A Ligetian way to make a piano (or a piano piece) stutter”. In: Aberrant Nuptials: Deleuze and Artistic Resarch 2. Org. Paulo de Assis e Paolo Giudici. Lovaina: Leuven University Press, 2019, p. 129-136.

_________. Entre escutas e solfejos: afetos e reescrita crítica na composição musical. Tese (Doutorado), Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

PESSOA, Fernando. [1913-1935] Livro do Desassossego: composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa. Org. Ricardo Zenith. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

SZÖNYI, Erzsébet. [1976] A educação musical na Hungria através do método Kodály, tr. br. Marli Batista Ávila. São Paulo: Sociedade Kodály do Brasil, 1996.

TERRIEN, Pascal; HUART, Emmanuelle. “György Kurtág's Játékok: a tool to learn the piano.” In: ÍMPAR: Online Journal for Artistic Research in Music, v. 2, n. 1, p. 34-48, 2018. Disponível em: http://revistas.ua.pt/index.php/impar.

TOSTÃO. “Entrevista com Tostão” In: SALLES, João Moreira e Fontes, Arthur. Futebol. Documentário. Rio de Janeiro: GNT Vídeo Filmes, 1998. (Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=OTcYcOa7P_s&t=180s&ab_channel=revistapiau%C3%AD)

VERDEN-ZOLLER, Gerda. [1993] “O brincar na relação materno-infantil: Fundamentos biológicos da consciência de si mesmo e da consciência social.”, In: MATURNA, Humberto. VERDEN-ZOLLER, Gerda. Amar e brincar: fundamentos esquecidos do humano. Tr. Br. Humberto Mariotti e Lia Diskin. São Paulo: Palas Athena, 2011.

YARDEN, Einav. Kurtag: Jatekok, selections. Vídeo. 2010. Disponível online em < https://www.youtube.com/watch?v=lbAUCr-GJno >. Acesso em 06/04/2023.

ZOURABICHVILI, Fraçois [2005].“La différence esthétique: jeu et reconnaissance”. In: La littéralité et autres essais sur l’art. Paris: PUF, 2011, pp 221-244.

Downloads

Publicado

27.06.2024

Como Citar

Rodrigues Penha, G., & Ferraz Mello Filho, S. (2024). Brincar, tocar, experimentar, criar: : “Jatékók” de György Kurtág e o fazer musical lúdico. Revista Vórtex, 12, 1–35. https://doi.org/10.33871/vortex.2024.12.8398

Edição

Seção

Ebony & Ivory: história, contextos e práticas associadas ao piano