Pensar o presente, reinventar o passado

o comunismo italiano visto por Nanni Moretti

Autores

  • Juliana Rodrigues Pereira Universidade Federal do Paraná
  • Pedro Plaza Pinto Universidade Federal do Paraná (UFPR); Universidade Estadual do Paraná (Unespar)

DOI:

https://doi.org/10.33871/19805071.2024.30.1.8903

Palavras-chave:

Nanni Moretti, Análise fílmica, Reflexividade, Narratividade, Partido Comunista Italiano

Resumo

“O que significa ser um comunista?” é a pergunta que Nanni Moretti tenta responder em alguns de seus filmes. Com algumas variações, ela é repetida em La sconfitta (1973) e Palombella rossa (1989), e está implícita em La cosa (1990) e O melhor está por vir (Il sol dell'avvenire, 2023). O esforço para respondê-la não é uniforme e está repleto de interrupções e descontinuidades, alternando entre um registro documental que parece minimizar a interferência do realizador e registros ficcionais elaborados a partir de elementos reconhecíveis do presente e do olhar retrospectivo que evidencia o papel rememorativo e especulativo do cinema na construção de um passado inventado ou de um futuro possível. E se o passado tivesse sido diferente? O objetivo deste artigo é refletir, por meio dos estudos sobre narratividade, sobre excertos dos mencionados filmes do produtor, diretor e ator. O procedimento metodológico da análise fílmica fornece pistas sobre como o cinema de Moretti se utiliza de diferentes materiais e estilos para pensar o presente, rememorar o passado e o fabular um futuro diante das crises e das adversidades. Neste artigo, estará em jogo especialmente o trabalho com a inserção do filme de Moretti dentro do filme de Moretti.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Rodrigues Pereira, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná, vinculada à linha de pesquisa Arte, Memória e Narrativa. Mestre em História pela UFPR (2018) e bacharel em Comunicação Social - Jornalismo pela PUC-PR (2007) e em Cinema e Video pela Faculdade de Artes do Paraná (2013). Lattes: https://lattes.cnpq.br/5148632947008449

Pedro Plaza Pinto, Universidade Federal do Paraná (UFPR); Universidade Estadual do Paraná (Unespar)

Professor Associado do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná, vinculado à linha de pesquisa Arte, Memória e Narrativa. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação/Mestrado Acadêmico em Cinema e Artes do Vídeo (PPG-CINEAV) da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), vinculado à linha de pesquisa (2): Processos de Criação no Cinema e nas Artes do Vídeo e membro do Grupo de Pesquisa CineCriare/Cinema: criação e reflexão (Unespar/PPG-CINEAV/CNPq). Lattes: http://lattes.cnpq.br/4210264642096088

Referências

ANILE, Alberto. “Tutto cominciò com una Sconfitta”. Bianco e Nero. Roma: Edizioni del Centro Sperimentale di Cinematografia, 2023. Ano 84, n. 606, maio-ago. 2023.

AUMONT, Jacques; MARIE, Michel. A análise do filme. Rio de Janeiro: Texto & Grafia, 2011.

BENJAMIN, Walter: "A Imagem de Proust". Magia e técnica, arte e política: Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras Escolhidas, v. 1. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRUNETTA, Gian Piero. Guida alla storia del cinema italiano – 1905-2003. Roma: Einaudi, 2014.

BRUNETTA, Gian Piero. Il cinema italiano contemporaneo. Da “La dolce vita” a “Centochiodi”. Bari: Laterza, 2007.

CRESPI, Alberto. “Pre-social, pre-Twitter, pre-tutto: ritorno alla politica che fu”. Bianco e Nero. Roma: Edizioni del Centro Sperimentale di Cinematografia, 2023. Ano 84, n. 606, maio-ago. 2023.

______. “L’Unità e il film di Moretti: e se invece la storia si facesse proprio con i ‘se’?”. Striscia rossa. 20 abr. 2023. Disponível em: <https://www.strisciarossa.it/lunita-e-il-film-di-moretti-e-se-invece-la-storia-si-facesse-proprio-con-i-se/>. Acesso em 25 fev. 2024.

FILMSTUDIO. "Il viaggio del Filmstudio dal 1967 a oggi". Disponível em:

<https://www.romafilmstudio.it/il-filmstudio/>. Acesso em: 3 mar. 2023.

GAUDREAULT, André e JOST, François. A narrativa cinematográfica. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2009.

GENETTE, Gerárd. Figuras III. São Paulo: Estação Liberdade, 2017.

GILI, Jean A. Nanni Moretti. Roma: Gremese Editore, 2006.

GINSBORG, Paul. Italy and Its Discontents. Family, Civil Society, State 1980-2001. Londres: Palgrave Macmillan, 2003.

PATERNÒ, Cristiana. “Il 1989, il Pci, i ‘se’ dela storia. E se Lara si voltasse e vedesse il dottor Zivago?”. Bianco e Nero. Roma: Edizioni del Centro Sperimentale di Cinematografia, 2023. Ano 84, n. 606, maio-ago. 2023.

RANCIÈRE, Jacques. “A historicidade do cinema”. Significação, São Paulo, v. 44, n. 48, jul-dez. 2017, p. 245-263.

SELIGMANN-SILVA, Marcio. “Toda política é política das imagens”. In: KAMINSKI, Rosane; HONESKO, Vinícius; CEREZA, Luiz Carlos (Orgs.). Artes e violências. São Paulo: Intermeios, 2020.

WOLF, Werner. "Metareference across Media: The Concept, its Transmedial Potentials and Problems, Main Forms and Functions". In: WOLF, Werner (Org.) Metareference across Media - Theory and Case Studies. Amsterdam: Rodopi, 2009.

Downloads

Publicado

2024-07-01

Como Citar

RODRIGUES PEREIRA, Juliana; PLAZA PINTO, Pedro. Pensar o presente, reinventar o passado: o comunismo italiano visto por Nanni Moretti. Revista Cientí­fica/FAP, Curitiba, v. 30, n. 1, p. 391–413, 2024. DOI: 10.33871/19805071.2024.30.1.8903. Disponível em: https://periodicos.unespar.edu.br/revistacientifica/article/view/8903. Acesso em: 12 jul. 2024.