Entre ratos-humanos e humanos mascarados

a construção de imagens significantes no espetáculo “Mordaz”

Autores

  • Liz Schrickte Autônoma

DOI:

https://doi.org/10.33871/19805071.2024.30.1.8831

Palavras-chave:

Teatro de Animação., Marionetes, Máscaras, Pigmalião Escultura que Mexe.

Resumo

O artigo trará uma exposição do processo de criação do espetáculo Mordaz no intuito de disponibilizar uma visão da proposta estético-política do grupo teatral Pigmalião Escultura que Mexe e dos seus modos criativos para aguçar a imaginação e a reflexão de seu público. Caminhando pela descrição do querer (as intenções da dramaturgia) e do fazer (o transporte para a cena), o trabalho reconstrói o processo de criação da obra para entender suas motivações criativas e suas estratégias de construção de sentido que se catalisam com a leitura do espectador. Considerando que sua autora é integrante do grupo e atriz do espetáculo analisado, o artigo traz elementos de uma pesquisa participante, utilizando como instrumentos a observação e a análise documental, além das consultas bibliográficas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Theodor W. Indústria cultural e sociedade. 5ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4179826/mod_resource/content/1/IND%C3%9ASTRIA%20CULTURAL%20E%20SOCIEDADE.pdf . Acesso em 15 mar. 2022.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997. Disponível em: file:///C:/Users/maril/Downloads/BAKHTIN_Mikhail._Esttica_da_Criao_Verbal._So_Paulo._Martins_Fontes_2003..pdf Acesso em 20 mai. 2023.

BARTHES, Roland. Mitologias. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica. 1955. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4179833/mod_resource/content/1/A%20OBRA%20DE%20ARTE%20NA%20ERA%20DE%20SUA%20REPRODUTIBILIDADE%20T%C3%89CNICA.pdf . Acesso em mar. 2022.

CANETTI, Elias. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

CANTON, Katia. Narrativas Enviesadas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

DUFRENNE, Mikel. Estética e Filosofia. 3a ed. São Paulo: Perspectiva, 2002. 266p.

FELIX, Eduardo. ROSIÈRE, Conceição. Mordaz. Dramaturgia do espetáculo do grupo Pigmalião Escultura que Mexe. Belo Horizonte, 2016.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

JAKOBSON, Roman. Lingüística, poética, cinema. São Paulo: Editora Perspectiva, 2007. 209 p.

JURKOWSKI, Henryk. Métamorphoses. Charleville-Mézières: Éditions Institut International de la Marionnette, 2000.

MASSUMI, Brian. O que os Animais nos Ensinam sobre Política. São Paulo: N-1 Edições, 2017.

MOUZE, Létitia. UM PRODIGE DIVIN: L´être humain comme animal esthétique dans les Lois de Platon. In: BEAUCHAMP, Hélène; GARCIN-MARROU, Flore; NOGUÈS, Joëlle; HAESEBROCK, Elise Van (Org.). Les Scènes Philosophiques du Théâtre de Marionnettes. Montpellier: L’entretemps & Institut International de la Marionnette, 2016, p. 164-178.

ORWELL, George. A Revolução dos Bichos. Cornélio Procópio: UEMP, 2015. Disponível em: < http://www.ccp.uenp.edu.br/e-books/lituniv/2015-gorwell-rev_bichos.pdf >. Acesso em 21 mar. 2023.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível: estética e política. São Paulo: Ed. 34, 2005.

Downloads

Publicado

2024-07-01

Como Citar

SCHRICKTE, Liz. Entre ratos-humanos e humanos mascarados: a construção de imagens significantes no espetáculo “Mordaz”. Revista Cientí­fica/FAP, Curitiba, v. 30, n. 1, p. 88–108, 2024. DOI: 10.33871/19805071.2024.30.1.8831. Disponível em: https://periodicos.unespar.edu.br/revistacientifica/article/view/8831. Acesso em: 12 jul. 2024.