Lilinha Fernandes e Quincas Laranjeiras: duas Andorinhas entre Sonhos que passam

Visualizações: 70

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33871/vortex.2024.12.8686

Palavras-chave:

Música e poesia, Partituras para violão, Violão no Rio de Janeiro, Quincas Laranjeiras, Lilinha Fernandes

Resumo

O artigo pauta a relação entre a poeta e compositora Lilinha Fernandes (1891-1981) e o violonista e compositor Quincas Laranjeiras (1873-1935), apresentando partituras, fontes e documentos inéditos ou pouco conhecidos, frutos da parceria entre esses dois personagens ao longo da década de 1920, buscando evidenciar, nesse período, a eventual importância de ambos no cenário musical e literário do Rio de Janeiro. Ancorados em base documental e em diálogo com a literatura disponível sobre o tema, nosso objetivo é pautar figuras relacionadas ao violão ainda pouco conhecidas e cujas produções (ou parte delas) antecedem à década de 1930, promovendo o resgate (sempre em construção) de trajetórias e/ou obras obliteradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Humberto Amorim, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Musicologia, Mestre em Práticas Interpretativas, possui ainda três graduações na área musical (Violão, Música Popular Brasileira/Arranjo e Licenciatura). Em 2014, tornou-se o primeiro brasileiro a receber bolsa integral da Fonds de Dotation Porosus para cursar o II Máster de Violão Clássico da Universidade de Alicante (ESP). Aos 27 anos, ingressou no corpo docente da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde leciona desde 2007. Publicou 02 livros pela Academia Brasileira de Música: Ricardo Tacuchian e o Violão (2014) e Heitor Villa-Lobos e o Violão (2009), este último esgotado e considerado pela crítica "a maior pesquisa já realizada sobre o assunto no Brasil" (Revista Violão Pro, 2009), "um estudo minucioso" (Revista Concerto, 2010) e "leitura obrigatória para quem quiser entender a obra do compositor para o instrumento" (Jornal da AV-Rio, 2010). Sua discografia inclui 01 Documentário-Musical (Céus de Rondônia/ FUNARTE-2012) e 01 DVD (Tacuchian por Humberto Amorim/ ABM-2015). Recebeu 07 premiações em concursos instrumentais e, dentre os editais nos quais foi laureado, destacam-se a Bolsa Interações Estéticas 2012 (FUNARTE) e a Bolsa de Pesquisador Residente da Fundação Biblioteca Nacional (PNAP-R 2015/FBN).

Referências

AMORIM, Humberto. O ensino de música nas primeiras décadas do Brasil oitocentista (1808-1822). Opus, v. 23, n. 3, p. 43-66, dez. 2017. http://dx.doi.org/10.20504/opus2017c2303. Disponível em: <https://www.anppom.com.br/revista/index.php/opus/article/view/507>. Acesso em: 22 abr. 2024.

AMORIM, Humberto; WOLFF, Daniel. Paquita Baylina: uma trajetória musical esquecida no sul do Brasil. Orfeu, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 207–238, 2018. DOI: 10.5965/2525530403022018207. Disponível em: < <https://revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/1059652525530403022018207>. Acesso em: 22 abr. 2024.

AMORIM, H.; MARTELLI, P. Quincas Laranjeiras (1873-1935) e o ensino de violão no Rio de Janeiro: o primus inter pares entre chorões e senhoritas. Orfeu, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. e0205, 2023a. DOI: 10.5965/2525530408022023e0205. Disponível em:

https://revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/23178.

Acesso em: 22 abr. 2024.

AMORIM, H.; MARTELLI, P. O “avô do violão moderno”: Quincas Laranjeiras e seu papel como mediador cultural. Revista Vórtex, 11(1), 1–29, 2023b. https://doi.org/10.33871/23179937.2023.11.1.7100

AMORIM, H.; MARTELLI, P. Quincas Laranjeiras e o violão solista no Rio de Janeiro: “el maestro de los mejores guitarristas”. Música Hodie, Goiânia, v. 23, 2023c. DOI: 10.5216/mh.v23.75190. Disponível em: https://revistas.ufg.br/musica/article/view/75190. Acesso em: 22 abr. 2024.

AMORIM, H.; MARTELLI, P. Quincas Laranjeiras y la guitarra: vida artística, mediación cultural y red social. Resonancias, Santiago (Chile), v. 27, n. 53, pp. 93-117, 2023d. DOI: http://doi.org/10.7764/res.2023.53.4

AS ÚLTIMAS ROMÂNTICAS. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 19 jan. 1967, p. 4 [Caderno B].

BASSANEZI, Carla. Mulheres dos Anos Dourados. In: DEL PRIORE, Mary (Org.). História das Mulheres no Brasil. 3ª Ed. São Paulo: Editora Contexto, 2000, p. 607-639.

BEIRA-MAR, Rio de Janeiro, a. VII, n.143, 21 out. 1928. Correspondências, p. 18.

BEIRA-MAR, Rio de Janeiro, a. VII, n.163, 21 abr. 1929a, p. 6.

BEIRA-MAR, Rio de Janeiro, a. VII, n.180, 18 ago. 1929b, p. 4.

BEIRA-MAR, Rio de Janeiro, a. XVI, n.614, 24 set. 1938a, p. 12.

BEIRA-MAR, Rio de Janeiro, a. XVI, n.619, 19 nov. 1938b, p. 49.

CASARIN, Rodrigo. Chamada de matrona imoral e alvo de racismo: Gilka Machado foi pioneira do erotismo no Brasil. [s.l.], Portal UOL, 2017. Disponível em: <https://paginacinco.blogosfera.uol.com.br/2017/03/03/chamada-de-matrona-imoral-e-alvo-de-racismo-gilka-machado-foi-pioneira-do-erotismo-no-brasil/> Acesso em: 21 abr. 2024.

DIÁRIO CARIOCA, Rio de Janeiro, n. 1154, Domingo, 8 maio 1932, p. 3.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, Rio de Janeiro, n. 256, terça-feira, 24 fev. 1931, p. 15.

DISCOGRAFIA BRASILEIRA. Instituto Moreira Salles, [s.l.], [s.d.]. Disponível em: <https://discografiabrasileira.com.br/artista/40281/lilinha-fernandes> Acesso em 08 jan. 2024.

FERNANDES, Lilinha. Andorinhas... Tango-canção. Rio de Janeiro: Casa Sampaio Araújo & Cª / Casa Arthur Napoleão, [1929?]. Partitura, 4p. Piano, violão.

FUTURO DAS MOÇAS, Rio de Janeiro, a. I, n.28, 10 out. 1917, p. 24.

GRANADO, Anna Clara. Alba Cañizares do Nascimento: Professora e feminista católica da Primeira República. 2021. 147 fl. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2021.

GUERRA, B.; MILITANI, J. V. Gente das vertentes: Maria Eugênio Celso Carneiro de Mendonça. Museu Regional de São João del Rei: São João del Rei, [s.d.]. Disponível em: https://museuregionaldesaojoaodelrei.museus.gov.br/maria-eugenia-celso-carneiro-de-mendonca/. Acesso em: 21 abr. 2024.

HALL, Catherine. Sweet Home. In: PERROT, Michelle (Org.). História da Vida Privada: da Revolução Francesa à Primeira Guerra (v. 4). 104ª reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2006 [1987], p. 53-88.

INSTITUTO MEMÓRIA MUSICAL BRASILEIRA (IMMuB), [s.l.], [s.d.]. Disponível em: <https://immub.org/compositor/lilinha-fernandes> Acesso em 08 jan. 2024.

LUCA, Tania Regina de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes históricas. 3ª ed. 7ª reimpressão. São Paulo: Editora Contexto, 2023.

NEIVA, Ismael Krishna de Andrade. O ensino do Desenho na Escola Normal de Belo Horizonte (1906-1946). 2016. 273 fl. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

O JORNAL, Rio de Janeiro, n. 3495, terça-feira, 8 abr. 1930. Radio-Jornal, p. 12.

O JORNAL, Rio de Janeiro, n. 4026, sábado, 19 dez. 1931. Radio-Jornal, p. 10.

O MALHO, Rio de Janeiro, a. XXXV, n.170, 3 set. 1936, p. 25 [23].

O MALHO, Rio de Janeiro, a. XXXVI, n.189, 14 jan. 1937, p. 23.

OTAVIO, Luiz. Lilinha Fernandes, a ‘Rainha da Trova Brasileira’. Disponível em: <https://falandodetrova.com.br/arainhadatrova>. Acesso em: 25 jan. 2024.

OTAVIO, Luiz. Folheando um livro de poesias. CORREIO DA MANHÃ, Rio de Janeiro, n. 19083, 12 jun. 1955, p. 97. [9 do 5º caderno].

O TICO-TICO: Jornal das Crianças, Rio de Janeiro, a. L, n.2031, fev. 1955, p. 20.

O VIOLÃO, Rio de Janeiro, a. I, n.5, abr. 1929a, p. 23.

O VIOLÃO, Rio de Janeiro, a. I, n.7, jul. 1929b, p. 24.

O VIOLÃO, Rio de Janeiro, a. I, n.8, ago-set. 1929c, p.29.

O VIOLÃO, Rio de Janeiro, a. I, n.9, out. 1929d, p.10.

REVISTA SUBURBANA, Rio de Janeiro, n.12, jan. 1934, Página Feminina, p. 23.

TAG. Curiosidades literárias: a história das mulheres na Academia Brasileira de Letras. [s.l.], 2017. Disponível em: https://www.taglivros.com/blog/mulheres-na-academia-brasileira-de-letras/

Acesso em: 21 abr. 2024.

UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES (UBT). Biografias. [s.l.], [s.d.]. Disponível em:

<https://www.ubt-nacional.com.br/biografias> Acesso em: 21 abr. 2024.

Downloads

Publicado

29.04.2024

Como Citar

Amorim, H. (2024). Lilinha Fernandes e Quincas Laranjeiras: duas Andorinhas entre Sonhos que passam. Revista Vórtex, 12, 1–40. https://doi.org/10.33871/vortex.2024.12.8686

Edição

Seção

Artigos