A música de cena de Jorge Peixinho – Contributos iniciais para um estudo da sua obra para teatro, performance e mixed-media

Autores

  • Francisco Pessanha Meneses Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, Universidade Nova de Lisboa

Resumo

Jorge Peixinho é um dos compositores mais relevantes da segunda metade do século XX português. A sua obra estende-se a diversos géneros, focando-se sobretudo na música de câmara de vanguarda. Entre 1964 e 1993, colaborou com diversos encenadores compondo música de cena para teatro e performance, colaborando em happenings e em algumas das experiências de mixed-media mais vanguardistas que, no seu tempo, se realizaram em Portugal. O presente artigo pretende, por um lado, fazer uma contextualização global da obra para teatro e performance de Peixinho; por outro lado, procura compilar uma lista de todos os espectáculos para os quais o compositor criou música de cena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Pessanha Meneses, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, Universidade Nova de Lisboa

Compositor, professor e musicólogo. Estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e na Universidade de Aveiro, onde estudou composição com Virgí­lio Melo e análise com Isabel Soveral. Participou em seminários de composição com Stockhausen e Emmanuel Nunes. Frequentou cursos de música electroacústica em Portugal e na Bélgica com Jaime Reis e Annette Vande Gorne. Foi bolseiro do programa INOV-Art no estúdio Musiques et Recherches (Bélgica). É doutorando em Ciências Musicais Históricas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e investigador do CESEM. É bolseiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Downloads

Publicado

19.09.2015

Como Citar

Meneses, F. P. (2015). A música de cena de Jorge Peixinho – Contributos iniciais para um estudo da sua obra para teatro, performance e mixed-media. Revista Vórtex, 3(1). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/751

Edição

Seção

Artigos