Relembrando e relendo “Sgt. Pepper”

Autores

Palavras-chave:

Beatles, Efeméride, Clássico, Sgt. Pepper

Resumo

Partindo da problematização do conceito de clássico, segundo Calvino (1993), o artigo discute como o LP “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” foi fruto de releituras que os Beatles fizeram de suas próprias raízes pessoais e artísticas, bem de como toda uma tradição que os precede, um marco entre a nostalgia e a inovação. Ao indagarmos por que algumas obras são consagradas e outras esquecidas, investigamos como a construção da reputação (BECKER, 2010), a fortuna crítica (ROKA, 2004), e as próprias efemérides (SILVA 2002; HARTOG 2013) entram em cena para examinar como Pepper tornou-se um clássico constantemente relembrado em meio às engrenagens da indústria cultural. Examinamos, assim, como aspectos musicais e extramusicais, no correr do tempo, propiciaram um impulso extra para que o álbum continue influente, prestigiado e fonte de releituras variadas aos 55 anos de seu lançamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Assis Garcia, Universidade Federal de Minas Gerais

Luiz Henrique Assis Garcia é graduado, mestre e doutor em História pela UFMG, onde é professor do curso de Museologia e do PPG em Ciência da Informação. É um dos coordenadores do grupo de pesquisa ESTOPIM – Núcleo de Estudos Interdisciplinares do Patrimônio Cultural e criador do grupo de estudos SOMMUS – Som e museologia. É membro da IASPM-AL. Tem trabalhos publicados sobre História da música popular, sobre Patrimônio e História cultural, tendo atuado ainda como pesquisador e curador no Museu Histórico Abílio Barreto (BH/MG). Também é compositor de canções populares. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0539-4566. E-mail: luhen_asgar@yahoo.com.br

Lauro Meller, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Lauro Meller é professor associado na Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN, onde leciona Práticas de Leitura e Escrita em Inglês e em Português. Doutor em Letras pela PUC-Minas e Mestre em Literatura pela UFSC, cumpriu estágio pós-doutoral no Institute of Popular Music, na Universidade de Liverpool, Reino Unido. Vem coordenando diversos projetos sobre Música Popular na UFRN, e é autor dos livros Poetas ou Cancionistas? Uma discussão sobre Música Popular e Poesia Literária (2015) e Iron Maiden: uma Jornada através da História (2018). ORCID: https://orcid.org/0000-0003-2136-2783. E-mail: lauromeller@ymail.com

Guilherme Lentz Da Silveira Monteiro, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Guilherme Lentz Da Silveira Monteiro é graduado em Letras pela UFMG, com mestrado em Teoria Literária e doutorado em Teoria da Literatura e Literatura Comparada, ambos também pela UFMG. Desenvolveu carreira na rede particular de ensino, até ingressar como professor efetivo de língua portuguesa no ensino básico técnico e tecnológico no CEFET-MG, onde também atua no curso de Letras e em projetos de extensão. Dedica-se ao estudo de práticas de leitura e de escrita, especialmente no contexto escolar, e à pesquisa sobre cruzamentos entre música popular, poesia e sociedade. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0309-8491. E-mail: guilhermelentz@gmail.com

Referências

BECKER, Howard S. Mundos da arte. Ed. rev. e aum. - Lisboa: Livros Horizonte, 2010.

CALVINO, Italo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

CONNELL, John & GIBSON, Chris. Sound tracks: popular music, identity, and place. Londres: Routledge, 2002.

DANIELS, Stephen. Suburban pastoral: Strawberry Fields Forever and Sixties memory. Cultural Geographies, n. 13, 2006, p. 28-54.

FENERICK, José Adriano; MARQUIONI, Carlos Eduardo. Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band: uma colagem de sons e imagens, Fênix, Revista de História e Estudos Culturais, v. 5, n.º 1, Uberlândia, jan./mar. 2008, p. 1-21.

GARCIA, Luiz Henrique Assis. Em meus olhos e ouvidos: música popular, deslocamento no espaço urbano e a produção de sentidos em lugares dos Beatles. Estudos Históricos (Rio de Janeiro) [online]. 2011, v. 24, n. 47, p. 99-118.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. A sociedade sem relato: antropologia e estética da iminência. São Paulo: EDUSP, 2012.

GOULD, Jonathan. Can´t buy me love: os Beatles, a Grã-Bretanha e os Estados Unidos. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

HEYLIN, Clinton. Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band: um ano na vida dos Beatles e amigos. São Paulo: Conrad, 2007.

HUTCHEON, Linda. A theory of parody. Urbana and Chicago: University of Illnois Press, 2000.

LEWISOHN, Mark. The Beatles recording sessions: the official Abbey Road Studio sessions notes 1962-1970. Nova York: Harmony Books, 1988.

MARTIN, George. Paz, amor e Sgt. Pepper: os bastidores do disco mais importante dos Beatles. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995.

RAPHAEL, Samuel. Theatres of memory vol 1: Past and present in contemporary culture. Londres: Verso, 1994.

ROKA, L. A Day in the Life of American Music Criticism. Journalism History, 30(1), 2004, p.20–30.

RUEDA LAFFOND, José Carlos e GALAN FAJARDO, Elena. Historias en el universo transmedia: El proyecto The Beatles Athnology. Comun. soc. Guadalajara, n. 19, jun. 2013, p. 181-212.

SEGURA GARCÍA, Silvia. Nostalgia ON: Sounds evoking the zeitgeist of the eighties. Journal of Sound, Silence, Image and Technology. Issue 2, December 2019, p.24-43.

SILVA, Helenice Rodrigues da. Rememoração/comemoração: as utilizações sociais da memória. Revista Brasileira de História; volume 22, número 44, p. 425-438. 2002.

SPITZ, Bob. The Beatles: a biografia. São Paulo: Larousse do Brasil, 2007.

Downloads

Publicado

29.09.2022

Como Citar

Assis Garcia, L. H., Meller, L., & Lentz da Silveira Monteiro, G. (2022). Relembrando e relendo “Sgt. Pepper”. Revista Vórtex, 10(2), 1–18. Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/6865

Edição

Seção

Dossiê “55 anos de Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band”