Espectromorfologia e Processos de Estruturação

Autores

  • Denis Smalley City, University of London
  • Germán E. Gras Universidade Estadual do Ceará
  • Thaís Amorim Aragão Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Espectromorfologia, Tipos de movimento, Processos de estruturação, Espaço,

Resumo

Resumo: Espectromorfologia refere-se às maneiras pelas quais espectros de frequência são moldados ao longo do tempo. As respostas dos ouvintes a sons e música derivam de respostas psicológicas à identidade energética, ao comportamento e à organização dos tipos de som nos contextos das estruturas sonoras. Arquétipos instrumentais são uma útil base de referência inicial, a partir da qual uma variedade mais ampla de modelos morfológicos e combinações pode ser elaborada. Isso leva a uma discussão sobre tipos de movimento, que, na mente ouvinte, podem estar ligados à experiência real ou imaginária. O movimento é expresso através de tendências orientadas a metas, de contornos externos (evocando, a noção de gesto), ou através de comportamentos texturais internos. A formação e o movimento dos arquétipos espectromorfológicos fornecem modelos para a definição de funções estruturais e processos de estruturação: interpretamos a importância das ações combinadas dos participantes estruturais à medida que ouvimos por perí­odos mais ou menos prolongados. Finalmente, são discutidos os aspectos espaciais da espectromorfologia e a influência do ambiente de escuta.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denis Smalley, City, University of London

Denis Smalley, nascido na Nova Zelândia em 1946, estudou música na Universidade de Canterbury e na Universidade Victoria de Wellington, antes de estudar com Olivier Messiaen no Conservatório de Paris, e no Groupe de Recherches Musicales (GRM). Em 1972, mudou-se para a Inglaterra, concluindo o doutorado em composição na Universidade de York. Até 1994, foi professor titular e diretor do estúdio de música eletroacústica da Universidade de Ânglia Oriental. Mudou-se, então, para a City University, Londres, como Professor de Música e Chefe do Departamento de Música. Aposentou-se da instituição em 2009 e agora é Professor Emérito.

Germán E. Gras, Universidade Estadual do Ceará

Germán Gras nasceu na Argentina, onde formou-se em composição pela Universidade Nacional do Litoral (UNL). Tem mestrado e doutorado em Composição pela Universidade Federal de Rio Grande do Sul (UFRGS), sob orientação de Celso Loureiro Chaves. Atua como professor substituto no curso de música da Universidade Estadual do Ceará (UECE), desde 2014. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1635-1262

Thaís Amorim Aragão, Universidade Federal do Ceará

Thaí­s Amorim Aragão é doutora em Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), com estágio doutoral na Escola de Mí­dias, Artes e Design da Universidade de Westminster, em Londres, e mestra em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua como produtora cultural na Rádio Universitária FM, emissora da Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura ligada í  Universidade Federal do Ceará (UFC). ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3549-5261

Referências

BOULEZ, Pierre. [Texto de encarte]. In: Le temps musical 1. Paris: Radio France/IRCAM, 1978. Fita cassete.

CHION, Michel. Guide des objets sonores. Paris: Buchet Chastel/INA GRM, 1983.

GEORGIADES, Thrysabulos. Music and Language: The Rise of Western Music as Exemplified in Settings of the Mass. GÖLLNER, Marie Louise (trad). Cambridge: University Press, 1982.

HARVEY, Jonathan. Reflection after Composition. Contemporary Music Review, United Kingdom, Vol. I, N°1, p. 83-86, 1984.

HEIKINHEIMO, Seppo. The Electronic Music of Karlheinz Stockhausen. Helsinki: Suomen Musiikkitieteelinen Seura, 1972

SCHAEFFER, Pierre. Traité des objets musicaux. Paris: EÌditions du Seiul, 1966.

Downloads

Publicado

15.05.2021

Como Citar

Smalley, D., Gras, G. E., & Aragão, T. A. (2021). Espectromorfologia e Processos de Estruturação. Revista Vórtex, 9(1). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/4302

Edição

Seção

Tradução