A obra para violão de Ernst Mahle: um panorama histórico e analí­tico

Autores

  • Guilherme Arce Universidade Estadual de Campinas
  • Fábio Bartoloni Universidade do Estado do Amapá

DOI:

https://doi.org/10.33871/23179937.2020.8.3.3985

Palavras-chave:

Violão, Ernst Mahle, Idiomatismo

Resumo

Ernst Mahle escreveu mais de 20 obras para violão, desde peças para solista até diversas formações de câmara. Além da proposta didática presente em muitas de suas obras, despontam duas caracterí­sticas fundamentais que marcam sua escrita violoní­stica: o idiomatismo e a utilização do modalismo folclórico em contraste com materiais composicionais caracterí­sticos da música do século XX. O presente trabalho se propõe ao estudo da obra violoní­stica de Mahle em três etapas: primeiramente são apresentadas informações sobre as concepções estético-filosóficas de Mahle e como estas se manifestaram na conformação de sua linguagem composicional; em segundo momento são apresentadas informações sobre a relação de Ernst Mahle com o violão; em terceiro momento é realizado um estudo analí­tico e histórico de sua obra sob três perspectivas: (a) contextualização histórica das peças; (b) análise dos materiais composicionais utilizados na obra; (c) análise dos idiomatismos presentes na escrita violoní­stica de Mahle, tendo como referencial analí­tico os trabalhos de Kreutz (2014) e Scarduelli (2007).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Arce, Universidade Estadual de Campinas

Guilherme Arce é Mestre em Estudos Instrumentais e Performance Musical pela Universidade Estadual de Campinas. É Bacharel em Violão Erudito e em Ciências Econômicas pela mesma instituição. Seus trabalhos e pesquisas abordam os temas: violão brasileiro, análise musical, performance musical e pedagogia do instrumento. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3780-0613

Fábio Bartoloni, Universidade do Estado do Amapá

Fábio Bartoloni é Doutor em Performance pela Arizona State University, onde foi professor assistente e recebeu a Bolsa de Estudos Richard and Babette Burns. Ao final do curso foi escolhido como Outstanding Graduate entre todos os formandos em Artes. Também é Mestre em Música pelo Instituto de Artes da UNESP. Recebeu o Joan Frazer Memorial Award 2016-2017. Lecionou em diversas instituições, tais como Conservatório Villa-Lobos da FITO, FAC-FITO, EMESP Tom Jobim, Guri Santa Marcelina, além de ter lecionado Violão e Música de Câmara no Instituto de Artes da UNESP. Atualmente é Professor de Violão da Universidade do Estado do Amapá. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9224-0375

Referências

ARCE, Guilherme Luis Bassi. Estudo do equilí­brio sonoro no concerto Diálogo para violão e cordas de Ernst Mahle. In: SIMPÓSIO: PANORAMA DA PESQUISA SOBRE VIOLíO NO BRASIL. Congresso da ANPPOM. N. 29. Pelotas/RS: ANPPOM, 2019, 1 – 9.

ARZOLLA, Antônio Roberto Roccia Dal Pozzo. Uma Abordagem Analí­tico-interpretativa do Concerto 1990 para Contrabaixo e Orquestra de Ernst Mahle. 1996. Dissertação (Mestrado em Música Brasileira). Universidade do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996.

BARROS, Guilherme Antonio Sauerbronn de. Goethe e o Pensamento Estético-Musical de Ernst Mahle: um Estudo do Conceito de Harmonia. 2005. Tese (Doutorado em Musicologia). Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

COSTA, Flávio Collins. Um Estudo de Três Obras Sinfônicas de Ernst Mahle: o encontro entre o compositor e o pedagogo. 2010. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

FARIAS, Priscila Araújo. A escrita idiomática da rabeca ao violino: Guerra-Peixe e a sonoridade nordestina. Revista Brasileira de Música, Rio de Janeiro, v. 26, n. 1, 105-129, 2013.

FERNANDES, Viní­cius de Lucena, 2014. Suí­te para Violão Solo de Ernst Mahle: Uma abordagem técnica e interpretativa. Dissertação (Mestrado em Música). 2014. Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal. 2014.

KREUTZ, Thiago de Campos. A música para violão solo de Edino Krieger: um estudo do idiomatismo técnico-instrumental e processos composicionais. 2014. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.

LANZ, Rudolf. A pedagogia Waldorf: Caminho para um Ensino Mais Humano. Edição de 2002. São Paulo: Summus Editorial. 1979.

LLERENA, Marcus. Noturno Brasileiro. Rio de Janeiro, Brasil: Gravação independente, 1991. CD.

_______________. Toque Solo. Joinville-SC, Brasil: Gravação independente, 2007. CD.

LUNA, Iradi Tavares de. Quarteto para contrabaixos 1995 de Ernst Mahle: análise interpretativa. Dissertação (Mestrado em Música). 2013. Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2013.

MAHLE, Ernst. As Melodias da Cecí­lia (1970). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 2003. Partitura, 57 p. Violão.

_____________. Catálogo de Obras 2018. Associação Amigos Mahle. Piracicaba-SP, Brasil. 2018. Catálogo. 61 p.

_____________. Diálogo para violão e cordas (1971). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 1971. Partitura, 67 p. Violão; Violinos, Viola, Violoncelo, Contrabaixo.

_____________. Suí­te para Violão Solo (1975). Piracicaba-SP, Brasil. Manuscrito. 1975. 14 p. Violão.

_____________. Suí­te para Violão Solo (1975). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 1975. 14 p. Violão.

_____________. Três Peças para Violão (1975). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 1975. 6 p. Violão.

_____________. Sonata para Violino e Violão (1985). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 1985. 20 p. Violão e Violino.

_____________. Trio para Violino, Violão e Violoncelo (1992). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 1992. 25 p. Violão, Violino e Violoncelo.

_____________. Duetos Modais (2015). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 2015. 16 p. Dois violões.

_____________. Sonatina para violão e piano (2015). Piracicaba-SP, Brasil. Associação Amigos Mahle, 2015. 14 p. Violão e Piano.

PINTO, Aloysio de Alencar. A melodia do Nordeste e suas constantes modais. Revista do Instituo do Ceará, Fortaleza, n. 108, 237 – 246, 1994.

RAHMEIER, Pieter. Suí­te para violão de Ernst Mahle: uma edição crí­tica e de performance. Dissertação (Mestrado em Música).2014. Universidade Federal de Goiás, Goiânia. 2014.

RAHMEIER, Pieter; AGUIAR, Werner. O processo da escolha de digitação das Três peças para violão (1975) de Ernst Mahle. In: CONGRESSO DA ANPPOM. Natal, N.23, 2013, Natal. Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música, 2013. 1 - 10.

SCARDUELLI, Fábio. A obra Para Violão Solo de Almeida Prado. Dissertação (Mestrado em Música). 2007. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2007.

SUAREZ, Rosana. Nota sobre o conceito de Bildung (formação cultural). Kriterion, Belo Horizonte, v. 46, n. 112, p.191-198, 2005.

TACUCHIAN, Ricardo. Estrutura e estilo na obra de Béla Bartók. Revista Brasileira de Música, Rio de Janeiro, N. 21, 1 - 17 do artigo, 1994-95.

TOKESHI, Eliane. Ernst Mahle: Violin Sonatas and Sonatinas (1955-80). Tese (Doutorado em Música). 1999. Northwestern University. Evanston, Illinois, Estados Unidos. 1999.

ZANON, Fábio. Programa Violão com Fábio Zanon. Rádio Cultura FM. 2007. Ed. N. 75. Disponí­vel em: <http://vcfz.blogspot.com/ >. Acesso em: 29/08/2020.

Downloads

Publicado

15.12.2020

Como Citar

Arce, G., & Bartoloni, F. (2020). A obra para violão de Ernst Mahle: um panorama histórico e analí­tico. Revista Vórtex, 8(3). https://doi.org/10.33871/23179937.2020.8.3.3985

Edição

Seção

Artigos