O Violão Oitocentista nos álbuns da Famí­lia Perdigão

Autores

  • Guilherme Augusto de Ávila Universidade Federal do Maranhão
  • Daniel L. Cerqueira Universidade Federal do Maranhão
  • Joaquim Santos Neto Universidade Federal do Piauí­

DOI:

https://doi.org/10.33871/23179937.2020.8.3.3975

Palavras-chave:

Famí­lia Perdigão, Violão, Século XIX, ílbuns de Música, Maranhão

Resumo

No presente trabalho, dois álbuns de música da famí­lia Perdigão são estudados a partir da proveniência documental de Laura Agnes Millar. O estudo da proveniência focou os aspectos de custódias, marcos temporais da sua produção, e sua relação com o repertório nos locais onde seus proprietários viveram. Paralelamente, foi feito um estudo organológico do violão no Maranhão oitocentista, uma vez que os álbuns apresentam a questão da fixação de nomenclatura relativa ao instrumento. Como resultado, foi verificado que os álbuns foram produzidos ao longo do Império Brasileiro, mantidos por quatro gerações, e que o seu repertório expressa estreita relação com os traslados dos seus proprietários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Augusto de Ávila, Universidade Federal do Maranhão

Guilherme Augusto de Ávila é violonista e professor Assistente II no Curso de Música da Universidade Federal do Maranhão -UFMA. Bacharel em Violão pela UFMG (2005); Mestre em Violão pela UFBA (2007), atualmente cursa doutorado em Musicologia Histórica na Universidade Nova de Lisboa – Portugal. Sua tese versa a respeito da proveniência dos documentos musicais do Acervo João Mohana. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3400-9631

Daniel L. Cerqueira, Universidade Federal do Maranhão

Daniel Lemos é pianista e professor de música atuante desde 1994. Apresentou-se como solista ou acompanhador em quatorze Estados brasileiros. Teve sua formação com a pianista Maria Luí­sa Lundberg, os pianistas Miguel Rosselini, Maurí­cio Veloso e Ana Cláudia Assis, com o saxofonista Marco Túlio de Paula Pinto e com o musicólogo João Berchmans de Carvalho Sobrinho. Desde 2009 reside em São Luí­s, onde é atualmente Professor Adjunto III do Departamento de Música da UFMA e Colaborador no Curso de Música Licenciatura EaD da UEMA, possuindo onze livros publicados e dezoito artigos nos principais periódicos brasileiros da área de Música. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7438-3436

Joaquim Santos Neto, Universidade Federal do Piauí­

Joaquim Santos é licenciado em Música (UFMA) e especialista em Musicologia Brasileira (UFPI). Desenvolve pesquisa no campo da música maranhense de concerto e da música popular tradicional, com publicações nessa área. É compositor, luthier e professor de violão clássico, harmonia tradicional, funcional e contraponto na Escola de Música do Estado do Maranhão, onde também foi regente de sua Orquestra de Câmara. Integrou a Camerata Carioca atuando ao lado de Radamés Gnattali, participando de gravações com artistas como Nara Leão, Elizete Cardoso, Nana Caymmi, Roberto Menescal e produção artí­stica com Tom Jobim. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3776-1383

Referências

ALVES, Z. (org.). Choros Maranhenses: caderno de partituras. São Luí­s: BNB Cultural, 2012.

BUDASZ, Rogério. The Five-Course Guitar (Viola) in Portugal and Brazil in the late seventeenth and early eighteenth centuries. A dissertation presented to the Faculty of Graduates School University of Southern California in partial Fulfillment of the requirements for the Degree Doctor Of Philosophy, august, 2001.

CABEZAS BOLAÑOS, Esteban. La organización de archivos musicales marco conceptual. In: Información, Cultura y Sociedad, 2005, n. 13, pp. 81-99.

CARVALHO SOBRINHO, J. B. Acervo João Mohana: uma contribuição histórico-documental í pesquisa musical. In: CONGRESSO NACIONAL DA ANPPOM, 14, 2003, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: UFRGS, 2003a. p. 1-8.

_______________________. A Música Religiosa de Leocádio Rayol (1849-1909) e sua Relação com o Maranhão do Século XIX: um estudo musicológico, com transcrição, análise e perspectiva histórica. Tese (Doutorado em Música) – PPGMUS, UFRGS, Porto Alegre, 2003b.

_______________________. A Música no Maranhão Imperial: um estudo sobre o compositor Leocádio Rayol baseado em dois manuscritos do Inventário João Mohana. In: Em Pauta, Porto Alegre, v. 15, n. 25, julho a dezembro 2004.

_______________________. Texto e contexto: a comédia musical Uma Véspera de Reis de Francisco Libânio Colás (São Luí­s, 1830 - Recife, 1885) Teresina: EDUFPI, 2010.

_______________________. Música Sacra em São Luí­s: A Novena de Santa Filomena (1877) de Leocádio Rayol. Teresina: EDUFPI, 2011.

CASTRO, Renato Moreira Varoni de. Musical artefacts in literary texts: the viola in nineteenthcentury Rio de Janeiro. Opus, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 9-42, jun. 2015.

CERQUEIRA, Daniel Lemos. Uma edição diplomática do Hymno (1826) de Raimundo José Marinho. In: DEBATES. UNIRIO, n. 17, p.137-171, nov. 2016.

______________________. "˜Acervo João Mohana"™ do Arquivo Público do Estado Do Maranhão (APEM): algumas observações. Revista Música, v. 18, n. 1, São Paulo, p. 210-255, 2018.

______________________. O Piano no Maranhão: uma pesquisa artí­stica. Tese (Doutorado em Música) – PPGM, UNIRIO, Rio de Janeiro, 2019.

COSTA NETO, R. J. M. E tem choro no Maranhão? Subsí­dios históricos e musicológicos para um processo de formação do choro no Maranhão entre final do séc. XIX e meados do séc. XX. Dissertação (Mestrado em Música) – PPGMUS, UFMG, Belo Horizonte, 2015.

DANTAS FILHO, Alberto. O acervo musical João Mohana e a vida musical litúrgica no Maranhão imperial – o "romantismo de proví­ncia" como reprodução do ornamentalismo hegemónico na Ilha de São Luí­s (1836 – 1892). Tese de doutoramento. Universidade Nova de Lisboa, 2006.

DUARTE, Fernando. L. S. Resgates e Abandonos do Passado na Prática Musical Litúrgica Católica no Brasil entre os Pontificados de Pio X e Bento XVI (1903-2013). Tese (Doutorado em Música) – PPGMUS, UNESP, São Paulo, 2016.

FERREIRA, A. N. A. A Escola Lilah Lisboa de Araújo: O ensino de música no Nordeste e no Maranhão. São Luí­s: EDUFMA, 2017.

GOUVEIA NETO, João Costa. Ao som de Pianos, Flautas e Rabecas...Estudo das vivências musicais das elites na São Luí­s da segunda metade do século XIX. Dissertação de Mestrado apresentada í Coordenação do Programa de Pós-Graduação em História do Brasil, do Centro de Ciências Humanas e Letras da Universidade Federal do Piauí­. Teresina, 2010.

KIEFER, Bruno. História da música brasileira: dos primórdios ao iní­cio do século XX. Porto Alegre: Movimento, 1977.

LLANOS, Carlos Fernando Elias, Violão e Identidade Nacional: A "Moral" do Instrumento. In: Revista Tulha, v. 2, n 2, p.227-250. Ribeirão Preto, 2016.

MARANHíO. Secretaria de Estado da Cultura. Museu Histórico Artí­stico do Estado do Maranhão. Livro de Tombo. Reg. 291 e 292, p. 156, 1974.

MILLAR, Laura Agnes. A morte dos fundos e a ressurreição da proveniência: o contexto arquiví­stico no espaço e no tempo. In: Informação Arquiví­stica, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 144-162, jan./jun., 2015.

MOHANA, João. A grande música do Maranhão. 2ª ed. Ver. aum. São Luí­s: Edições SECMA, 1995.

PASCOA, M. L. F. R. Ópera em Manaus. Manaus: Valer Editora, 2009.

PERDIGíO, Domingos Thomaz Vellez. Princí­pios elementares de música em 10 lições. São Luí­s: Typographia do Frias, 1869.

SALOMíO, Káthia. O Ensino de Música no Maranhão (1860-1912): uma ênfase nos livros escolares de Domingos Thomaz Vellez Perdigão e Antonio Claro dos Reis Rayol. Dissertação de Pós-Graduação em Educação. UFMA, São Luí­s, 2015.

________________, O ensino de música no Maranhão (1860-1912): lugares, práticas e livros escolares. São Luí­s: EDUFMA, 2017.

SANTOS, D. F.; SANTOS, E. G. A Música Militar do Maranhão: uma abordagem histórica e as iniciativas da Banda do Corpo de Bombeiros em prol das Bandas Maranhenses. Musifal, v. 4, Maceió, p. 49-65, 2019.

SANTOS NETO, J. A. Ladainha de Antonio Rayol: Ladainha Pequena. Monografia (Especialização em Musicologia) – Curso de Especialização em Musicologia, CCE, UFPI, 2009.

SANTOS, R. A. Música Popular Maranhense e a questão da identidade cultural regional. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) – PGCult, UFMA, São Luí­s, 2012.

SILVA, Paula Figueirêdo. Uma História do Piano – em São Luí­s do Maranhão. Edufma, 2015.

TABORDA, Marcia. Violão e identidade nacional: Rio de Janeiro 1830-1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011a.

_______________. Da viola í viola grande: a trajetória do violão no século XIX. In. LOPES, Antonio Herculano; ABREU, Martha; ULHÔA, Martha Tupinambá de; VELLOSO, Monica Pimenta. (Orgs.). Música e história no longo século XIX. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2011b.

Referências Hemerográficas

A BANDURRA. Declarações preliminares, p. 4., ed. 0001. São Luí­s, 15 de janeiro de 1828a. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=749478&Pesq=Harpa,%20Viola,%20Cithara&pagfis=1. Acesso em 08/10/2020.

______________, Indicação, p. 168, ed. 0005. São Luí­s, 23 de março de 1828b. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=749478&Pesq=Harpa,%20Viola,%20Cithara&pagfis=169. Acesso em 08/10/2020.

ARAUJO, Jose Alexandre de. O Artista, p. 1-3, ed. 18. São Luí­s, 27 de setembro de 1862. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=234281&pasta=ano%20186&pesq=me%20expuz%20a%20fazer%20uma%20viola&pagfis=62. Acesso em 08/10/2020.

A SITUAÇíO. Annuncios. p. 4, ed. 138. São Luí­s, 1º de março de 1866. Disponí­vel em:

http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=761338&pasta=ano%20186&pesq=%22Domingos%20Feliciano%20Marques%20Perdig%C3%A3o%22&pagfis=538. Acesso em 08/10/2020.

DIíRIO DO MARANHíO. Annuncios, p. 2, ed. 07831. São Luí­s, 7 de outubro de 1899. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720011&pasta=ano%20189&pesq=Domingos%20de%20Castro&pagfis=31403. Acesso em 08/10/2020.

FAROL MARANHENSE. Variedades, p. 774, ed. 181. São Luí­s, 02 de março de 1830. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=749958&pasta=ano%20183&pesq=por%20tocar%20guitarra%20na%20rua&pagfis=938. Acesso em 08/10/2020.

JORNAL MARANHENSE. Movimento do Porto, p. 4, ed. 0001. São Luí­s, 09 de julho de 1841. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=749451&pasta=ano%20184&pesq=%22Feliciano%20Marques%20Perdig%C3%A3o%22&pagfis=4. Acesso em 08/10/2020.

MENSAGENS DO GOVERNADOR PARA ASSEMBLEIA. Secção de Autographos, p. 39, ed.00001. São Luí­s, 13 de fevereiro de 1901. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=873039&pasta=ano%20190&pesq=sec%C3%A7%C3%A3o%20de%20autographos&pagfis=1247. Acesso em 08/10/2020.

O COMÉRCIO. Annuncios, p. 4, ed. 0013. São Luí­s, 17 de janeiro de 1843. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=719110&pasta=ano%20184&pesq=principios%20de%20musica,%20escalas&pagfis=56. Acesso em 08/10/2020.

PUBLICADOR MARANHENSE. Annuncios, p. 4, ed. 184. São Luí­s, 05 de junho de 1844a. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720089&pasta=ano%20184&pesq=violao%20e%20trompa&pagfis=723. Acesso em 08/10/2020.

___________________________, Annuncios, p. 4, ed. 189. São Luí­s, 18 de maio de 1844b. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720089&pasta=ano%20184&pesq=violao%20e%20trompa&pagfis=701. Acesso em 08/10/2020.

O PAIZ. Noticiario. p. 3, ed. 0012. São Luí­s, 15 de janeiro de 1878. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=704369&pasta=ano%20187&pesq=Domingos%20Thomaz%20Vellez%20Perdig%C3%A3o&pagfis=1111. Acesso em 08/10/2020.

PERDIGíO, Domingos F. M. Publicador Maranhense, P. 4, ed. 3118458. São Luí­s, 17 de setembro de 1845. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720089&pasta=ano%20184&pesq=violao%20e%20trompa&pagfis=1218>. Acesso em 08/10/2020.

PERDIGíO, Domingos F. M. Publicador Maranhense, p. 4, ed. 497. São Luí­s, 1º de maio de 1847. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720089&pasta=ano%20184&pesq=violao%20e%20trompa&pagfis=1937. Acesso em 08/10/2020.

PERDIGíO; VIEIRA. Annuncios. Publicador Maranhense, p. 4, ed. 31. São Luí­s, 8 de fevereiro de 1874. Disponí­vel em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=720089&pasta=ano%20184&pesq=violao%20e%20trompa&pagfis=22559. Acesso em 08/10/2020.

Downloads

Publicado

15.12.2020

Como Citar

de Ávila, G. A., Cerqueira, D. L., & Santos Neto, J. (2020). O Violão Oitocentista nos álbuns da Famí­lia Perdigão. Revista Vórtex, 8(3). https://doi.org/10.33871/23179937.2020.8.3.3975

Edição

Seção

Artigos