Funções do Piano como Instrumento de Orquestra – Uma perspectiva pianí­stico-funcional na obra Uirapurú de Villa-Lobos

Autores

  • Maria Bernardete Castelan Póvoas Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Midiã Rosa Cabral Universidade do Estado de Santa Catarina

Resumo

Neste artigo o piano é apresentado sob a ótica de sua utilização como instrumento integrante da orquestra e sob a perspectiva de suas qualidades pianí­stico-funcionais, consubstanciado este uso do instrumento por compositores. Após um breve histórico da trajetória do piano como instrumento orquestral, são elencadas funções e maneiras de utilização do piano de orquestra assim como possí­veis efeitos planejados pelos compositores. A pesquisa é de caráter exploratório e a apresentação de excertos da obra Uirapurú de Villa-Lobos, através de uma análise pianí­stico-funcional da grade orquestral, ilustra qualidades sonoras que emergem decorrentes da utilização funcional do instrumento na orquestra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Bernardete Castelan Póvoas, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professora associada na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), atua nos cursos de Bacharelado e Pós-Graduação na mesma instituição. É bacharel, mestre e doutora pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Desenvolve pesquisa interdisciplinar sobre desempenho pianí­stico e música de câmara, com apresentações e publicações. Realiza recitais solo e de câmara em diferentes formações, estreia de obras e gravação de CD. Desde 2010 é integrante do Duo Castelan & Barros com Luí­s Claudio Barros. Atualmente encontra-se na Universidade de Aveiro, como pesquisadora integrada ao INET-md. E-mail: bernardetecastelan@gmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3169-4215

Midiã Rosa Cabral, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduada em Música com habilitação em Piano pela Universidade Federal de São João del-Rei, obteve o grau de Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) na área de Criação e Interpretação Musical - Piano. Integrante da Banda de Música da Força Aérea Brasileira, lotada em Curitiba - PR, participou como pianista convidada de temporadas da Orquestra Sinfônica Cidade de Ponta Grossa. Mantém regular trabalho camerí­stico com músicos de renome e com estudantes da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atualmente desenvolve pesquisa sobre o piano, repertório: funções e sonoridades. E-mail: mindinhan@yahoo.com.br. ORCID: https://orcid.org/0000-00032648-9636

Referências

ADLER, Samuel. The Study of Orchestration. 2ª ed. New York: Norton, 1989.

BERLIOZ, Hector; STRAUSS, Richard. Treatise on Instrumentation. Translated by Theodore Front. New York: Dover Publications Inc., 1991.

BERRY, Wallace. Structural Functions in Music. 2. ed. New York: Dover Publications, 1987.

CASELLA, Alfredo e MORTARI, Virgilio. La Tecnica de la Orquestra Contemporanea. Tradução de A. Jurafsky. Buenos Aires: Ricordi Americana, 1950.

DE FALLA, Manuel. El Sombrero de Tres Picos. London: J. & W. Chester, Ltd., 1921.

DE FALLA, Manuel, NOMMICK, Yvan e COLLINS, Chris. Noches en Los Jardines de España: impressiones sinfónicas para Piano y Orquesta. EdicioÌn FacsiÌmil De Los Manuscritos Fundamentales Del Archivo Manuel De Falla Y Del Archivo De ValentiÌn Ruiz-Aznar. Granada: Archivo Manuel de Falla, 2006.

GINASTERA, Alberto. Dances from Estancia Op. 8. New York: Boosey & Hawkes, 1941.

KIEFER, Bruno. Villa-Lobos e o modernismo na música brasileira. Porto Alegre: Movimento, 1981.

MARIZ, Vasco. Heitor Villa-Lobos: compositor brasileiro. 5ª ed. Rio de Janeiro: Gráfica Editora Arte Moderna, 1977.

MARQUEZ, Arturo. Danzón n° 2. New York: Peermusic Classical, 1998.

MUSEU VILLA-LOBOS. Villa-Lobos: sua obra. Rio de Janeiro: MinC; IBRAM; Museu Villa-Lobos, 2009.

NICHOLLS, David. The Cambridge Companion to John Cage. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

OLAZíBAL, Tirso de. Acústica Musical y Organologí­a. Buenos Aires: Ricordi Americana S.A., 1981.

PIEDADE, Acácio T. C. Uma Análise do Prelúdio da Bachianas Brasileiras n° 2 sob a perspectiva das tópicas, da retoricidade e da narratividade. In: SALLES, Paulo de Tarso e DUDEQUE, Norton (orgs.) Villa-Lobos, um Compêndio: Novos Desafios Interpretativos. Curitiba: Editora da UFPR, 2017: 273-289.

PISTON, Walter. Orchestration. 5ª imp. London: Victor Gollancz Ltd., 1969.

RASMUSSEN, Karl Aage; LAURSEN, Lasse. Idiomatic Orchestra. Translated by Thilo Reinhard. Disponí­vel em: <http://theidiomaticorchestra.net>. Acesso em: 03 nov 2017.

RIMSKY-KORSAKOV, Nikolay. Principles of Orchestration. New York: Dover Publications, 1964.

SALLES, Paulo de Tarso. Villa-Lobos: Processos Composicionais. Campinas: UNICAMP, 2009.

SANTOS, Daniel Zanella dos. Narratividade e tópicas em Uirapurú (1917) de Heitor Villa-Lobos. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Música, Centro de Artes, Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 2015.

STRAVINSKY, Igor. Petroushka: a burlesque in four scenes. 1ª ed. Milan: G. Ricordi, 1949.

VERA, Miguel íngel Leiva. La consolidación del piano como instrumento orquestral desde la perspectiva de la comunicación musical: Petrouchka de Stravinsky, obra paradigmática, y su influencia em El Sombrero De Tres Picos de Falla y El Mandarí­n Maravilloso de Bartók. Tese (Doutorado). Departamento de Comunicación Audiovisual y Publicidad, Facultad de Ciencias de la Comunicación, Universidad de Málaga. Málaga, 2010.

VILLA-LOBOS, Heitor. Uirapurú. New York: Associated Music Publishers Inc., 1948.

VOLPE, Maria Alice. Villa-Lobos e o imaginário edênico de Uirapurú. Brasiliana, Rio de Janeiro, nº 29: 31-36, agosto de 2009.

Downloads

Publicado

01.04.2019

Como Citar

Póvoas, M. B. C., & Cabral, M. R. (2019). Funções do Piano como Instrumento de Orquestra – Uma perspectiva pianí­stico-funcional na obra Uirapurú de Villa-Lobos. Revista Vórtex, 7(1). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/2671

Edição

Seção

Artigos