A inserção da música contemporânea no repertório de coros infantojuvenis – Descrição de uma metodologia

Autores

  • Fernando de Oliveira Magre Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Este trabalho tem por objetivo refletir sobre metodologias adequadas para a realização de repertório de música contemporânea com coros infantojuvenis. Parte-se da ideia de que, para que haja uma experiência musical plural e enriquecedora, é necessário que o aluno seja apresentado a todo tipo de repertório, incluindo a música dos séculos XX e XXI. A primeira parte da pesquisa apresenta um levantamento bibliográfico que discute a importância educacional e estética de se inserir a música contemporânea no repertório de coros infantojuvenis, e apresenta possí­veis maneiras de realizar esta tarefa. A segunda parte apresenta a descrição da metodologia utilizada na montagem da obra Beba Coca-Cola de Gilberto Mendes com o Coro Juvenil da Universidade Estadual de Londrina. Com este artigo, pretende-se mostrar a regentes e educadores musicais que os jovens são capazes de se interessar pela música contemporânea e de executá-la, desde que a proposta os motive e torne interessante sua realização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando de Oliveira Magre, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Música pela Universidade Estadual de Campinas, Mestre em Música pela Universidade de São Paulo (2017), Especialista em Regência Coral (2015) e Licenciado em Música (2013) pela Universidade Estadual de Londrina. Desenvolve pesquisa sobre a obra de música-teatro do compositor brasileiro Gilberto Mendes. É colaborador do CESEM – Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (Lisboa-Portugal), onde realizou parte de sua pesquisa de Mestrado entre 2016 e 2017, sob supervisão da Profa. Dra. Maria João Serrão. Como musicólogo, tem participado de conferências no Brasil e no exterior, com destaque para as conferências do RIdIM de 2015 (Columbus-EUA) e 2016 (São Petersburgo-Rússia), Conferência Essence and Context (Vilnius-Lituânia) em 2016 e EIMAD – Encontro de Investigação em Música, Artes e Design (Castelo Branco-Portugal) em 2017. E-mail: fernandomagre@gmail.com

Referências

ADORNO, Theodor W. Filosofia da Nova Música. 2.ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1989.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

BRITO, Teca Alencar de. Koellreutter Educador: O humano como objetivo da educação musical. São Paulo: Editora Fundação Peirópolis, 2001.

CAMARGO, Cristina Moura E. C. J. Criação e arranjo: modelos de repertório para o canto coral no Brasil. 2010. 278 f. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

CAMARGO, Cristina Moura. E. C. J. e RICCIARDI, Rubens R. Será que aquilo deu nisso?: a deteriorização do canto e da composição coral no Brasil desde a inserção de arranjos de canções da indústria da cultura. Trama Interdisciplinar, São Paulo, v. 2, n. 2, 2011. Disponí­vel em: < http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/4428>. Acesso em: 06 set. 2017.

CZEKO, Luis Carlos. A linguagem musical contemporânea como instrumento de educação. In: 3º Encontro Nacional de Pesquisa em Música. Anais"¦ Belo Horizonte: Imprensa da Universidade Federal de Minas Gerais, p. 439-443, 1988.

FONTERRADA, Marisa. De Tramas e Fios: um ensaio sobre música e educação. 2.ed. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

GRAU, Alberto. Dirección coral: la forja del compositor. Caracas: GGM Editores, 2005.

LAKSCHEVITZ, Elza. Reflexões sobre a prática de coro infantil. In: LAKSCHEVITZ, Eduardo (Org.). Ensaios: olhares sobre a música coral brasileira. Rio de Janeiro: Centro de estudos de música coral, 2006. Entrevista concedida a Agnes Schmeling.

MAGRE, Fernando de Oliveira. A música-teatro de Gilberto Mendes e seus processos composicionais. 2017. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

MENDES, Gilberto. Uma Odisséia Musical: dos Mares do Sul í elegância pop/art déco. São Paulo: Edusp, 1994.

OLIVEIRA, Cleodiceles B. N. de. A prática do canto coral infantil como processo de musicalização. 2012. Dissertação (Mestrado em Música). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

PAZ, Juan Carlos. Introdução í música de nosso tempo. São Paulo: Duas Cidades, 1976.

SANTOS, Antonio Eduardo. O Antropofagismo na obra pianí­stica de Gilberto Mendes. São Paulo: Annablume, 1997.

VERTAMATTI, Leila Rosa Gonçalves. Ampliando o repertório do coro infanto-juvenil: um estudo de repertório inserido em uma nova estética. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

ZAGONEL, Bernadete. Em direção a um ensino contemporâneo de música. Ictus Periódico do Programa de Pós-Graduação em Música da UFBA, Salvador, n. 1, dez. 1999. Disponí­vel em: < http://bernadetezagonel.com.br/ASSETS/pdf/em-direcao.pdf>. Acesso em: 06 set. 2017.

Downloads

Publicado

29.12.2017

Como Citar

Magre, F. de O. (2017). A inserção da música contemporânea no repertório de coros infantojuvenis – Descrição de uma metodologia. Revista Vórtex, 5(3). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/2170

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)