O Legato na Flauta

Autores

  • Helder Teixeira Universidade Federal da Bahia

Resumo

A questão fundamental da investigação que ora se apresenta se concentra em aspectos ligados à acústica e a fatores sonoros com caracterí­sticas perceptivas notáveis; fenômenos e eventos que ocorrem num muito breve espaço de tempo nos perí­odos transitórios do som da flauta. A preocupação com tais eventos está intimamente relacionada ao aspecto perceptivo que os mesmos imprimem à execução musical. O propósito focal do artigo se direciona ao legato, uma das principais ferramentas de expressividade do flautista. A importância do legato está associada à boa expressividade e ao fluxo melódico que dá sentido à frase musical. Por esta razão o estudo se concentra em análises de diversas formas de legato, tanto na flauta quanto em outros instrumentos, com utilização de programas de análises de áudio a fim de se conhecer diferentes formas de se obter sons ligados e identificar fenômenos acústicos presentes em meio ao movimento sonoro transitório dos intervalos e como tais fenômenos interferem na sensação de fluxo sonoro. Elaborado à partir da pesquisa desenvolvida na Universidade Federal da Bahia sob o tí­tulo "Aticulus Temporis: estudo dos regimes transitórios do legato na flauta" , este artigo condensa as principais etapas desta pesquisa e suas conclusões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helder Teixeira, Universidade Federal da Bahia

Doutorando em Música – Flauta – pela UFBA e Mestre em Música com especialização em flauta pela UFRJ, realizou diversos cursos de aperfeiçoamento técnico e interpretativo tanto no Brasil como na Europa com os principais í­cones da época, como: Severino Gazzelonni, Felix Rengli, Janne Baxtresser, e outros. Seus principais orientadores foram Prof. Dr Celso Woltzenlogel, na Escola de Música da UFRJ (RJ), Prof. Gueorgui Spassov, Conservatório Búlgaro de Música (Sofia – Bulgária) e Prof. Dr. Lucas Robatto na UFBA – Salvador. Atualmente é flautista da Orquestra Sinfônica Nacional - UFF e professor do Curso Superior de Música da Universidade Candido Mendes, UCAM.

Referências

ARTAUD, P.-Y. La flauta. Barcelona: Labor, 1991.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. Praat. Amsterdam: University of Amsterdam, 2016. Disponí­vel em: . Acesso em: 26 abr. 2016.

BROWN, C. Articulation Marks. In: The New Grove Dictionary. New York: Oxford Universty Press, 2001.

CANAAN, C. Sonic Visualiser. London: Queen Mary University of London, [s.d.]. Disponí­vel em: http://www.sonicvisualiser.org/. Acesso em: 26 abr. 2016.

CELEBREZZE, B. Superposition and Standing Waves. Disponí­vel em: <http://whs.wsd.wednet.edu/faculty/busse/mathhomepage/busseclasses/apphysics/studyguides/APPhysics2012/Chapter16_2012/Chapter16_2012.html>. Acesso jan 2015.

CHEW, G. Articulation and phrasing. In: Grove Music Online. New York: Oxford University Press, 2016. Disponí­vel em: <http://www.oxfordmusiconline.com/subscriber/article/grove/music/40952>. Acesso em: 26 abr. 2016.

DONINGTON, R. Legato. In: The New Grove Dictionary. New York: Oxford University Press, 2001.

HENRIQUE, L. L. Acústica Musical. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2002.

HOUAISS, A. Dicionário eletrônico Houaiss da lí­ngua portuguesa. 3. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

JOURDAIN, R. Música, cérebro e êxtase: como a música captura nossa imaginação. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.

LOUREIRO, M. et al. Content analysis of note transitions in music performance. In: Sound and Music Computing Conference, 6., 2009, Porto. Proceedings... Porto: SMC, 2009. Disponí­vel em: <http://smc2009.smcnetwork.org>. Acesso em: 26 abr. 2016.

LOUREIRO, M. et al. O som entre as notas: representação das transições entre as notas em instrumentos monofônicos. In: Congresso da ANPPOM, 19., 2009, Curitiba. Anais... Goiânia: ANPPOM, 2009. Disponí­vel em: <http://www.cpdee.ufmg.br/documentos/PublicacoesDefesas/917/ANPPOM2009_EulerTeixeira.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2016.

MAESTRE, E.; GÓMEZ, E. Automatic Characterization of Dynamics and Articulation of Expressive Monophonic Recordings. In: Audio Engineering Society Convention, 118., 2005, Barcelona. Proceedings"¦ Barcelona: Audio Engineering Society, 2005. Disponí­vel em: <http://www.mtg.upf.edu/node/404>. Acesso em: 26 abr. 2016.

MATAS, F. R. Dicionario biográfico de la música. 3. ed. Barcelona: Iberia, 1980.

MATHER, R. The art of playing the flute. Iowa: Romney Press, 2011.

PIFFER, J. F. Estudo Acústico de tubos de dimensões idênticas e materiais diferentes utilizando bocais de flauta doce e flauta transversal. 2011. 127 f. Dissertação (Mestrado em Fí­sica) – Universidade Federal do Espí­rito Santo, Vitória, 2011. Disponí­vel em: <http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/tese_5334_.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2016.

RIEMANN, H. Dictionary of Music. London: Augener, 1896.

ROEDERER, J. G. Introdução í Fí­sica e Psicofí­sica da Música. São Paulo: EDUSP, 2002.

RÓNAI, L. T. Em busca de um mundo perdido: métodos de flauta do barroco ao século XX. Rio de Janeiro: Topbooks, 2008.

TEIXEIRA, H. C. O legado do verbo no império de Chrónos: estudo sobre a articulação do golpe duplo na flauta. 1998. Dissertação (Mestrado em Música) – Escola de Música, Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1998.

TEIXEIRA, H. C. La articulación del sonido en la flauta travesera. Todo Flauta: revista oficial de la Associación de Flautistas de España, [S.l.], v. 4, n.10, p. 13–22, 2014.

Downloads

Publicado

31.10.2016

Como Citar

Teixeira, H. (2016). O Legato na Flauta. Revista Vórtex, 4(2). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/1322

Edição

Seção

Artigos