Colaboração, composição e preparação para a performance de “For guitar” para violão solo

Márlou Peruzzolo Vieira, Samuel Peruzzolo Vieira

Resumo


O presente artigo consiste em uma discussão sobre diversos processos criativos relacionados à obra For guitar para violão solo, composta por Samuel Peruzzolo Vieira. A peça teve origem em um processo colaborativo entre o compositor e o violonista Márlou Peruzzolo Vieira, seguindo um padrão de colaboração definido por John-Steiner (2000) como colaboração por complementariedade. O processo colaborativo conduzido durante a composição da peça é apresentado a fim de contextualizar tanto as decisões composicionais quanto as escolhas direcionadas à preparação da performance. For guitar apresenta aspectos relevantes relacionados à notação musical, ao uso de técnicas estendidas e de recursos percussivos. Estes elementos são discutidos pelo compositor, expressando seu processo criativo; e pelo performer, que analisa e adapta elementos da peça, fundamentando-se em escolhas interpretativas, a fim de dar fluência à performance.

Palavras-chave


Colaboração compositor-performer; Composição musical; Performance musical; Violão solo

Texto completo:

PDF

Referências


ADLER, Samuel. The study of orchestration. New York: W. W. Norton, 2002.

ALVES, Julio Ribeiro. The history of the guitar: its origins and evolution [Handbook for the guitar literature course at Marshall University]. Huntington: Marshall University, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

BARRET, Margaret S. et al. The scattering of light: shared insights into the collaborative and cooperative processes that underpin the development and performance of a commissioned work. In: BARRET, Margaret S. (Ed.). Collaborative creative thought and practice in music. Surrey: Ashgate, 2014. p. 17-31.

BENNETT, Richard Rodney. Composing for the guitar (Fevereiro de 1996). In: TOSONE, Jim. Classical guitarist: conversations (p. 64-80). Jefferson, North Carolina: McFarland & Company, 2000. Entrevista.

BERLIOZ, Hector. Treatise on instrumentation. New York: Edwin F. Kalmus, 1948 [1844].

BLATTER, Alfred. Instrumentation and orchestration. 2 ed. Boston: Schirmer, 1997.

BONAGURI, Piero. Un chitarrista per i compositori: osservazioni e suggerimenti sullo scrivere per chitarra. Bologna: Ut Orpheus, 2015.

BREAM, Julian. How to write for the guitar. The score & I. M. A. magazine, v. 19, p. 19-26, Mar, 1957.

DODGSON, Stephen. Writing for the guitar: comments of a non-guitarist composer. In: QUINE, Hector. Guitar technique: intermediate to advanced. New York: Oxford University Press, 1990. p. 88-99.

DOMENICI, Catarina. O intérprete em colaboração com o compositor: uma pesquisa autoetnográfica. In: CONGRESSO DA ANPPOM, 20, 2010, Universidade do Estado de Santa Catarina. Anais do Congresso da Anppom. Florianópolis, 2010. p. 1142- 1147.

DUDEQUE, Norton. História do violão. Curitiba: Editora UFPR, 1994.

FITCH, Fabrice; HEYDE, Neil. ‘Recercar’: the collaborative process as invention. Twentieth-century music, v. 4, n. 1, p. 71-95, 2007.

FOSS, Lukas. The changing composer-performer relationship: a monologue and a dialogue. Perspectives of New Music, v. 1, n. 2, p. 45-53, 1963.

GILARDINO, Angelo. La notazione. In: CHIESA, Ruggiero (Org.). La chitarra. Torino: E.D.T Edizione di Torino, 2010. p. 99-166.

______. La grammatica della chitarra: manuale ad uso dei compositori non chitarristi. Volume 3. Ancona: Bèrben, 1999.

______. La grammatica della chitarra: manuale ad uso dei compositori non chitarristi. Volume 2. Ancona: Bèrben, 1996.

______. La grammatica della chitarra: manuale ad uso dei compositori non chitarristi. Volume 1. Ancona: Bèrben, 1994.

GINASTERA, Alberto. Sonata for guitar, op. 47. Boosey & Hawkes, 1978. Partitura, 16 páginas. Violão solo.

GODFREY, Jonathan. Principles of idiomatic guitar writing. Tese (Doutorado em música). Indiana University, Bloomington, 2013.

HENZE, Hans Werner. Royal winter music: first sonata on shakespearean characters for guitar. Mainz: B. Schott’s Söhne, 1976. Partitura, 35 páginas. Violão solo.

HURON, David; BEREC, Jonathon. Characterizing idiomatic organization in music: a theory and case study of musical affordances. Empirical Musicology Review, v. 4, n. 3, p. 103-122, 2009.

JOHN-STEINER, Vera. Creative collaboration. New York: Oxford University Press, 2000.

JOSEL, Seth; TSAO, Ming. The techniques of guitar playing. Kassel: Bärenreiter, 2014.

KACHIAN, Christopher. Composer’s desk reference for the classical guitar. Pacific: Mel Bay Publications, 2010.

KANNO, Mieko. Prescriptive notation: limits and challenges. Contemporary music review, v. 26, n. 2, p. 231-254, 2007.

KOELLREUTTER, Hans Joachim. Terminologia de uma nova estética da música. Porto Alegre: Editora Movimento, 1990.

LARUE, Jan. Guidelines for style analysis. 2 ed. Sterling Heights: Harmonie Park Press, 1992.

LUNN, Robert Allan. Extended techniques for the classical guitar: a guide for composers. Tese (Doutorado em música). Ohio State University, Columbus, 2010.

MAS, Jean-Luc. Sonorités nouvelles pour guitares. Paris: Gérard Billaudot, 1986.

MIRANDA, Ronaldo. Entrevista concedida a Márlou Peruzzolo Vieira (outubro de 2008). In: VIEIRA, Márlou Peruzzolo. Appassionata para violão solo de Ronaldo Miranda: o tratamento octatônico e as constâncias musicais brasileiras (p. 86-94). Dissertação (Mestrado em música). Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010. Entrevista.

PERUZZOLO VIEIRA, Samuel. Como se toca isso? Entre a notação e a hermenêutica, a composição musical. Tese (Doutorado em música). Universidade de Aveiro, Aveiro, 2018.

________. For guitar. Aveiro: não publicada, 2016a. Partitura, 3 páginas. Violão solo.

________. For guitar [rascunho do compositor]. Aveiro: não publicada, 2016b. Partitura, 3 páginas. Violão solo.

SCHNEIDER, John. The contemporary guitar. London: Rowman & Littlefield, 2015.

SCHWARZ, Boris. Joseph Joachim and the genesis of Brahms’s violin concerto. The Musical Quarterly, v. 69, n. 4, p. 503-526, 1983.

SMITH, Tracy Anne. Now I need more: on commissioning for the guitar. Soundboard, v. 39, n. 1, p. 61, 2013.

STONE, Kurt. Music notation in the twentieth century: a practical guide. New York: Norton, 1980.

SUMMERFIELD, Maurice Joseph. The classical guitar: its evolution, players and personalities since 1800. 5 ed. Blaydon on Tyne: Ashley Mark Publishing, 2002.

TACUCHIAN, Ricardo. Celso Faria interviews Ricardo Tacuchian (março de 2012). In: FARIA, Celso. A collection Turíbio Santos: o intérprete/editor e o desafio na construção de novo repertório brasileiro para violão (p. 106-108). Dissertação (Mestrado em música), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012. Entrevista.

TITRE, Marlon. Thinking through the guitar: the sound-cell-texture chain. Tese (Doutorado em música). Leiden University, Leiden, 2013.

ULLOA, Mario. Recursos técnicos, sonoridades e grafias do violão para compositores não violonistas. Tese (Doutorado em música). Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

VIANA, Andersen. A escrita para violão por compositores e arranjadores não violonistas. Meloteca, 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2011.

VIEIRA, Márlou Peruzzolo. The collaborative process from the performer’s point of view: a case study of non-guitarist composers. Tese (Doutorado em música), Universidade de Aveiro, Aveiro, 2017.

________. Collaboration between non-guitarist composers and guitarists: analysing collaborative modalities applied to the creative process. Opus, v. 22, n. 2, p. 471- 492, dez, 2016.

ZAMPRONHA, Edson. Notação, representação e composição: um novo paradigma da escritura musical. São Paulo: Annablume, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


© 2021 Revista Vórtex | Vortex Music Journal