Ramos de Paulo Rios Filho e a tradição das rezadeiras do Delta do Parnaíba: Um modelo de colaboração na criação de uma peça eletroacústica mista de relevância social e cultural

Luciane Cardassi

Resumo


Discuto neste artigo a peça Ramos para piano (+ voz) e sons eletroacústicos do compositor Paulo Rios Filho. A obra evidencia a busca do compositor por “um compor com o mundo” (RIOS FILHO, 2015), e traz para a sala de concerto uma reflexão sobre a tradição das rezadeiras do Delta do Parnaíba, região onde ele reside. Recursos provenientes da etnografia e de paisagem sonora fazem de Ramos uma composição de alto conteúdo “sociossônico” (RENNIE, 2014). Além da investigação sobre as rezadeiras e o Delta do Parnaíba, Ramos resultou também da investigação sobre questões técnico-musicais relativas à voz da pianista, sua interação com os gestos pianísticos, e a sincronização da performance ao vivo com suporte fixo, aspectos esses discutidos durante a colaboração entre o compositor e a pianista. Mais que um documentário musical, Ramos é um modelo de colaboração artística de relevância social e cultural.

Referências


ADAMS, John Luther. Winter Music – Composing the North. Middleton: Wesleyan University Press, 2004.

ARGYRIS, Chris; SCHÖN, Donald. Theory in practice: increasing professional effectiveness. San Francisco: Jossey-Bass, 1974.

CARDASSI, Luciane. Balancing musical and mechanical cues for synchronization in mixed media works and a model for customized click-tracks. ART: Music Review, vol. 034, jul. 2018.

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. 10. ed. São Paulo: Global, 2001.

COESSENS, Kathleen. A arte da pesquisa em artes - traçando práxis e reflexão. ARJ - Art Research Journal, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 1-20, ago. 2014. ISSN 2357-9978. Disponível em: . Acesso em: 23 dez. 2017.

DEUTSCH, Herbert A. Electroacoustic Music: The First Century. Miami, F.L.: Belwin Mills, 1993.

DREVER, John Levack. Soundscape composition: the convergence of ethnography and acousmatic music. Organised Sound, 7(1), p. 21-27, 2002.

FORTIN, Sylvie; GOSSELIN, Pierre. Considerações metodológicas para a pesquisa em arte no meio acadêmico. ARJ - Art Research Journal, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 1-17, maio 2014. ISSN 2357-9978. Disponível em: . Acesso em: 29 dez. 2017.

LIMA, Paulo Costa. Teoria e prática do compor I: diálogos de invenção e ensino. Salvador: EDUFBA, 2012.

McARTNEY, Andra. Soundscape Composition and the Subversion of Electroacoustic Norms. Disponível em http://naisa.ca/radio-art-companion/soundscape-composition-and-the-subversion-of-electroacoustic-norms/ Acesso em: 20 dez 2017.

OLIVEIRA, Cristiano; BARBEITAS, Flavio. Rua das Pedras, para violão solo, de Paulo Rios Filho: um estudo sobre técnicas expandidas para o preparo da performance. Org. e ed. de Fausto Borém e Luciana Monteiro de Castro. Diálogos Musicais da Pós‐Graduação: Práticas de Performance Musical n.2. Belo Horizonte: UFMG, Selo Minas de Som, 2017. p.183-210.

RENNIE, Tullis. Socio-Sonic: An ethnographic methodology for electroacoustic composition. Organised Sound, 19 (02), p. 117-124, 2014.

RIOS FILHO, Paulo. Diário da Leighton Artist Colony (2016). Disponível em http://pauloriosfilho.blogspot.ca. Acesso em: 20 dez. 2017.

_____. Ramos. Para piano (+ voz) e eletrônica (com click). Partitura em pdf. 2016.

_____. Um compor-emaranhado: composição, teoria e análise ao longo de linhas. 2015. Tese. (Doutorado em Música) - Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Música, Escola de Música. Universidade Federal da Bahia, Salvador. http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26344

SANTOS, Francimário Vito dos. O ofício das rezadeiras como patrimônio cultural: religiosidade e saberes de cura em Cruzeta na região do Seridó Potiguar. Revista CPC (USP), v. 08, p. 06-35, 2009.

SCHAFER, R. Murray. The Soundscape: Our Sonic Environment and the Tuning of the World. Rochester, VT: Destiny Books, 1994.

STEENHUISEN, Paul. Sonic Mosaics: Conversations with Composers. Edmonton: The University of Alberta Press, 2009.

TRUAX, Barry. Acoustic Communication. Ablex: Norwood, N.J., 1984.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.