O que nos move, o que nos dobra, o que nos instiga: notas sobre epistemologias feministas, processos criativos, educação e possibilidades transgressoras em música

Autores

  • Laila Rosa Universidade Federal da Bahia
  • Isabel Nogueira Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Este texto discute aspectos teóricos das perspectivas feministas pós-coloniais e traz uma reflexão sobre sua aplicabilidade e desdobramentos para a criação musical, a partir de uma perspectiva que inclui marcadores sociais como gênero, raça e etnia, sexualidades, classe social, dentre outros. Sob as lentes da abordagem feminista de conhecimento situado, consideramos nossos trabalhos anteriores com musicologia e etnomusicologia. Também pretendemos descrever os processos que tornaram possí­vel assumirmos nossa identidade como compositoras, e observar como a prática da criação sonora está profundamente relacionada a esta trajetória. Descrevemos assim os processos de elaboração de nossos trabalhos autorais como cantautoras, trazendo esta categoria para o centro do debate, por sua articulação das figuras de compositora e intérprete e sua importância para o debate feminista. Problematizando as ausências da produção musical das mulheres dos espaços musicais e acadêmicos, buscamos também discutir possibilidades de atuação nestes contextos, articulando os mesmos com os aportes teóricos dos estudos sobre gênero e música num sentido amplo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laila Rosa, Universidade Federal da Bahia

Sou cantautora pernambucana, professora, pesquisadora e militante Feminista, integrante do Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Mulher (NEIM/UFBA). Praticante de Yoga. Uma mulher do axé. Filha de Iemanjá do Terreiro Xambá (Olinda, PE). Sou professora da Escola de Música e dos Progamas de Pós-Graduação em Música e em Gênero, Mulheres e Feminismo da UFBA. Coordeno a Feminaria Musical: grupo de pesquisa e experimentos sonoros.

Isabel Nogueira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Sou compositora e performer, musicóloga e professora do Instituto de Artes da UFRGS. Coordeno o Grupo de Pesquisa em Estudos de Gênero, Corpo e Música e participo do Grupo de Pesquisa em Criação Sonora e Grupo de Pesquisa em Práticas Interpretativas, da UFRGS. Sou professora e orientadora dos PPG- Mestrado e Doutorado em Música da UFRGS e PPG- Memória e Social e Patrimônio Cultural da UFPel.

Publicado

31.12.2015

Como Citar

Rosa, L., & Nogueira, I. (2015). O que nos move, o que nos dobra, o que nos instiga: notas sobre epistemologias feministas, processos criativos, educação e possibilidades transgressoras em música. Revista Vórtex, 3(2). Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/887

Edição

Seção

Artigos | "Música e Gênero"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)