DCnet: uma representação espacial de cadeias de dominantes consecutivos

Autores

Palavras-chave:

Antonio Carlos Jobim, Harmonia, Representações espaciais de relações acordais, DCnet, Cadeias de dominantes consecutivos

Resumo

O presente artigo, derivado de uma pesquisa mais ampla, examina detalhada e sistematicamente o emprego de variantes de cadeias de dominantes consecutivos em um corpus de obras compostas por Antonio Carlos Jobim. A elaboração de um modelo teórico formado por um conjunto de premissas, conceitos, tipologias e ferramentas analíticas permite a classificação das variantes e sua plotagem em um esquema gráfico planar original denominado DCnet, no qual retângulos representam acordes de qualidade “dominante com sétima”, dispostos de acordo com três eixos básicos. Tal estratégia evidencia a considerável multiplicidade de alternativas (especialmente aquelas não normativas) presentes no repertório. Estudos futuros derivados da presente proposta estão nos planos, tanto para investigar as razões dessa diversidade, quanto para generalizar o modelo, considerando outros repertórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Almada, UFRJ

Carlos Almada é professor associado da Escola de Música da UFRJ e, desde 2011, membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Música da mesma instituição. Mestre e doutor em Música pela UNIRIO, com pesquisa teórico-analítica referente à Primeira Sinfornia de Câmara op.9 de Schoenberg. Pesquisador com participação em dezenas de congressos nacionais e internacionais e artigos publicados em periódicos científicos. Autor dos livros Arranjo (2001), A Estrutura do Choro (2006), Harmonia Funcional (2009), Contraponto em Música Popular (2013) e Nas Fronteiras da Tonalidade (2016). Membro da Associação Brasileira de Teoria e Análise TeMa. Editor-chefe do periódico MusMat: Brazilian Journal of Music and Mathematics e líder do grupo de pesquisa MusMat. E-mail: carlosalmada@musica.ufrj.br

Max Kühn

Max Kühn é carioca, compositor, graduado no curso de composição da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro na classe de Liduino Pitombeira. Atualmente está em fase de conclusão de seu mestrado em processos criativos desenvolvido sob orientação de Carlos Almada no Programa de Pós-Graduação em Música da UFRJ. Tem diversos trabalhos publicados ligados à musicologia sistemática com ênfase nos campos da modelagem sistêmica e música popular. E-mail: maxkuhn@ufrj.br

Referências

ALMADA, Carlos. A harmonia de Jobim. Campinas: Editora da Unicamp, 2022.

ALMADA, Carlos. A Theory for Parsimonious Voice-Leading Classes. Musica Theorica, v.5/ n.2, 2020, p. 1-47.

ALMADA, Carlos. Harmonia Funcional. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

ALMADA, Carlos; KÜHN, Max; USAI, Claudia; PENCHEL, João; CHAGAS, Igor; MICCOLIS, Ana; CABRAL, Eduardo; BRAGA, Vinicius. J-Analyzer: A Software for Computer-Assisted Analysis of Antônio Carlos Jobim's Songs. In: Symposium of the Brazilian Society of Computer Music, 17., São João del Rei, Proceedings…, UFSJ, São João del Rei, 2019.

BERNARD, Jonathan. Voice Leading as a Spatial Function in the Music of Ligeti. Music Analysis, v.13, n.2/3, p. 227–253, 1994.

CALLENDER, Clifton; QUINN, Iann; TYMOCZKO, Dmitri. Generalized Voice Leading Spaces. Science, v. 320, p. 346-48, 2008.

CARVALHO, Hugo; ALMADA, Carlos. O espaço probabilístico na música de Jobim. Congresso da Associação Brasileira de Teoria e Análise Musical, 4. Foz do Iguaçu. Caderno de resumos… Foz do Iguaçu: UNILA, 2021, p. 44.

COHN, Richard. Neo-Riemannian Operations, Parsimonious Trichords, and their 'Tonnetz' Representations. Journal of Music Theory, v. 41, n. 1, p. 1-66, 1997.

COHN, Richard. Tonal Pitch Space and the (Neo-)Riemannian Tonnetz. In: The Oxford Handbook of Neo-Riemannian Music Theories, ed. Edward Gollin and Alexander Rehding. New York: Oxford University Press, 2011.

COHN, Richard. Audacious Euphony: Chromaticism and the Triad’s Second Nature. Oxford University Press, 2012.

DOUTHETT, Jack; STEINBACH, Peter. Parsimonious Graphs: A Study in Parsimony, Contextual Transformations, and Modes of Limited Transposition. Journal of Music Theory, v. 42, n. 2, p. 241-63, 1998.

GOLLIN, Edward. Some Further Notes on the History of the Tonnetz. Theoria 13: p. 99-111, 2006.

HURON, David. Voice Leading: The Science Behind a Musical Art. Cambridge: The MIT Press, 2016.

HYER, Brian. Tonal Intuitions in ‘Tristan and Isolde’. Tese (Doutorado em Música). Universidade de Yale, 1989.

KÜHN, Max Barcellos da Rocha. Arquétipos de Voice Leadings na Harmonia de Antonio Carlos Jobim: uma abordagem através da teoria das classes de condução de vozes parcimoniosas. Dissertação (Mestrado em Música) – PPGM-UFRJ, Rio de Janeiro, 2022.

LERDAHL, Fred. Tonal Pitch Space. New York: Oxford University Press. 2001.

LEWIN, David. Generalized Musical Intervals and Transformations. New Haven: Yale University Press, 1987.

LONDON, Justin. Some Non-Isomorphisms Between Pitch and Time. Journal of Music Theory, v. 46, n. 1-2, p. 127-151, 2002.

McCLIMON, Michael. Transformations in Tonal Jazz: ii–V Space. Music Theory Online, v. 23, n. 1, 2017. Disponível em: https://mtosmt.org/issues/mto.17.23.1/mto.17.23.1.mcclimon.html

SMITHER, Sean. Guide-Tone Space: Navigating Voice-Leading Syntax in Tonal Jazz. Music Theory Online, v. 25, n. 2, 2019. Disponível em: https://mtosmt.org/issues/mto.19.25.2/mto.19.25.2.smither.html

TYMOCZKO, Dmitri. A Geometry of Music: Harmony and Counterpoint in the Extended Common Practice. Oxford: Oxford University Press, 2011.

Downloads

Publicado

26.10.2022

Como Citar

Almada, C., & Kühn, M. (2022). DCnet: uma representação espacial de cadeias de dominantes consecutivos . Revista Vórtex, 10(2), 1–22. Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/7122

Edição

Seção

Artigos