Debatendo as permanências do modernismo musical nacionalista no século XX.

Autores

Palavras-chave:

Modernismo, Nacionalismo, História Institucional, Diplomacia Cultural, Quarteto de Cordas da UFRJ

Resumo

Discute-se a permanência dos debates realizados sobre o modernismo brasileiro ao longo do século XX a partir de uma análise dos discursos de engajamento estético e político propostos por Mário de Andrade, das ações institucionais oficiais que privilegiaram as produções dessa corrente estética em suas políticas culturais, educacionais e diplomáticas, bem como das ações de intérpretes e compositores na defesa do nacionalismo musical. Conclui que, para entender tal permanência, é necessário refletir sobre o papel que as instituições historicamente desempenharam, e que a análise da ação de outros agentes, como intérpretes, pode revelar aspectos ainda não explorados no estudo do modernismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wesley Higino

Wesley Higino possui Bacharelado em Música com Habilitação em Violino pela Faculdade de Música do Espírito Santo (FAMES) e é Mestre em Musicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Música do Centro de Letras e Artes da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) - linha de pesquisa: Linguagem e Estruturação Musical. Tem interesse na pesquisa da música nacionalista brasileira, em especial a modernista, história institucional, semiótica da música, e análise musical transdisciplinar. Pesquisador participante do Grupo de Pesquisa Musicológica do Espírito Santo (GPEMUS), da Faculdade de Música do Espírito Santo. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-6884-861X. E-mail: wesley.nhp@gmail.com

Marcelo Rauta, Instituto Federal Fluminense

Marcelo Rauta é compositor ítalo-brasileiro, graduado e mestre pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Concluiu seu doutorado em música (Educação Musical) na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, sob orientação de Ermelinda A. Paz. Suas obras têm sido executadas em diversas salas de concerto brasileiras e internacionais, como Argentina, Chile, Estados Unidos e países da Europa. Possui obras premiadas nacionalmente e internacionalmente, além de CDs, partituras e livros publicados no Brasil e no exterior. Dentre seus trabalhos, destaca-se a Série “Obras para a Juventude”. Leciona Artes/Música, Canto Coral, Fundamentos da Musicalidade e Poéticas da Voz no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2341-5036. E-mail: marcelorauta@gmail.com

Referências

ANDRADE, Mário de. Aspectos da música brasileira. Rio de Janeiro: Villa Rica, 1991.

______. Ensaio sôbre a música brasileira. São Paulo: Livraria Martins Editôra, 1962.

BELCHIOR, Pedro. "Sou o maestro do mundo": Heitor Villa-lobos e a diplomacia cultural brasileira (1923-1959). 2019. Tese (Doutorado em História) Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

______. Coisas Ditas. Tradução: Cássia Silveira e Denise Pegorim. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BRANDÃO, José Vieira. O Nacionalismo na Música Brasileira para Piano. 1949. Tese (Livre Docente em Música) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1949.

BRASIL. Decreto presidencial. Decreto nº 60.455-A, de 13 de Março de 1967. [Aprova o Plano de Reestruturação da Universidade Federal do Rio de Janeiro]. Diário Oficial da União - Seção 1 - 13/4/1967, Página 4321. Brasília. DF. 13 abr. 1967.

CONTIER, Arnaldo. Chico Bororó Mignone. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo, Volume 42, Número 1, p.11-29, 31 jan. 1997. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/73439>. Acesso em: 03 ago. 2022.

______. Mário de Andrade e a música brasileira. Revista Música. São Paulo, Volume 5, Número 1, p. 33-47, maio 1994.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, 16 maio 1957. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_06/76429>. Acesso em: 16 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 16 fev. 1962. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/26558>. Acesso em: 23 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 28 maio 1963a. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/40187>. Acesso em:23 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 11 out. 1963b. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/44704?pesq=santino parpinelli>. Acesso em: 23 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 18 jun. 1965a. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/65678>. Acesso em: 23 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 6 jun. 1965b. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/65326>. Acesso em: 23 ago. 2018

_____. Rio de Janeiro, 19 maio 1966a. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/71632>. Acesso em: 23 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 14 jun. 1966b. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/72366>. Acesso em: 23 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 23 set. 1967. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/089842_07/85876>. Acesso em: 24 ago. 2018.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, 07 dez. 1941. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/093718_02/8003>. Acesso em: 08 maio 2018

______. Rio de Janeiro, 16 nov. 1952. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/093718_03/20398>. Acesso em: 16 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 29 abr. 1956. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/093718_03/49836>. Acesso em: 16 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 10 abr. 1970. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/093718_05/2054>. Acesso em: 28 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 27 set. 1972. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/093718_05/20406>. Acesso em: 28 ago. 2018.

______. Rio de Janeiro, 25 maio 1973. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/093718_05/25012>. Acesso em: 29 ago. 2018.

FERNANDEZ, Oscar Lorenzo. Música Brasileira: expressão definida de um povo. Revista Brasileira de Música. Rio de Janeiro, Volume 9, Número 1, p. 52-61, jan. 1943.

FERREIRA, Roberta Maria Lima. A política brasileira de expansão cultural no Estado Novo (1937-45). 2006. Dissertação (Mestrado em História), Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

FLÉCHET, Anaïs. As partituras da identidade: o Itamaraty e a música brasileira no século XX. Escritos. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, Ano 5, Número. 5, p. 227-256, 2012.

FOUCAULT, Michael. Microfísica do Poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GUIBERNAU, Montserrat. Nacionalismos: o estado nacional e o nacionalismo no século XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

HOBSBAWM, Eric. Nações e nacionalismo desde 1780: programa, mito e realidade. Tradução de Maria Celia Paoli e Anna Maria Quirino. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, 20 jun. 1965. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/030015_08/70483?pesq=santino%20parpinelli>. Acesso em: 27 set. 2018.

______. Rio de Janeiro, 3 jul. 1969. Disponível em: <http://memoria.bn.br/DocReader/030015_08/136653>. Acesso em: 26 set. 2019.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da Unicamp, 1990.

MIJOLLA-MELLOR, Sophie de. O engajamento político dos "intelectuais". Reverso. Belo Horizonte, Volume 34, Número 64, p. 73-84, dez. 2012. Tradução: Marília Etienne Arreguy.

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Ordem de Rio Branco. 2018. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/cerimonial/5698-ordem-de-rio-branco>. Acesso em: 24 ago. 2018.

NASCIMENTO, Paulo André de Souza. Dança Nordestina de Santino Parpinelli: aspectos históricos, interpretativos e analíticos. 2005. Dissertação (Mestrado em Música) Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

NETTO, Joaquim da Costa. [Correspondência]. Destinatário: Santino Parpinelli, Marcelo Pompeu Filho, Jacques Nirenberg, Eugen Ranevsky. Madrid, 13 nov. 1964. 1 cartão pessoal

PARPINELLI, Santino. Notas de programa: Santino Parpinelli, homenagem ao seu centenário de nascimento, 13 de novembro de 2012. Rio de Janeiro: Escola de Música da UFRJ.

PEREIRA, Avelino Romero. Música, sociedade e política: Alberto Nepomuceno e a República Musical. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

POLETTO, Fabio Guilherme; EVANGELISTA, Eric Henrique Moreira. Diplomacia e política cultural no Brasil (1964-1975): o caso das obras Ritmata e Momentos I. Opus. Belo Horizonte, Volume 23, Número 3, p. 23-42, dez. 2017.

SIQUEIRA, Baptista. Pentamodalismo nordestino. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil, 1956.

SIQUEIRA, José. O Sistema Modal na Música Brasileira. João Pessoa: Secretaria da Educação e Cultura, 1981.

TRAVASSOS, Elizabeth. Os Mandarins Milagrosos: arte e etnografia em Mário de Andrade e Béla Bartók. Rio de Janeiro: Funarte; Jorge Zahar Editor, 1997.

VOLPE, Maria Alice. Indianismo and landscape in the Brazilian age of progress: art music from Carlos Gomes to Villa-Lobos, 1870s-1930s. 2001 Tese (Doutorado em Música) Faculty of The Graduate School of Music, University of Texas at Austin, Austin, 2001.

USIS - Rio de Janeiro. [Operations Memorandum]. Destinatário: USIS - Belém, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Salvador e Recife. Rio de Janeiro, 30 jan. 1970. Memorando Diplomático.

WISNIK, José Miguel. Getúlio da paixão Cearense. In: SQUEFF, Enio; WISNIK, José Miguel. O Nacional e o Popular na Cultura Brasileira. 2. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 2004. p. 129-191.

Downloads

Publicado

16.12.2022

Como Citar

Higino, W., & Rauta, M. (2022). Debatendo as permanências do modernismo musical nacionalista no século XX. Revista Vórtex, 10(3), 1–34. Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/vortex/article/view/7008

Edição

Seção

Artigos