METODOLOGIAS ATIVAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM: UMA ABORDAGEM DE INICIAÇÃO À PESQUISA

Diógenes Gewehr, Andreia Aparecida Guimarães Strohschoen, Miriam Ines Marchi, Silvana Neumann Martins, Rogério José Schuck

Resumo


O atual contexto educacional apresenta-se como um verdadeiro mosaico. Enquanto alguns professores utilizam estratégias tradicionais de ensino, altamente repetitivas; outros profissionais fazem uso de práticas pedagógicas, consideradas inovadoras, que têm sido nomeadas como metodologias ativas de ensino e aprendizagem. Acreditando nesta segunda abordagem, este estudo busca problematizar as implicações do uso de estratégias norteadas por metodologias ativas na iniciação à pesquisa de alunos, especificamente discutindo a construção de projetos de pesquisa para Feiras de Ciências. Foi realizado seguindo abordagem qualitativa, sendo uma pesquisa-ação, desenvolvida em uma escola do interior do Rio Grande do Sul/Brasil, tendo como sujeitos de investigação dois professores de Ciências e duas turmas de alunos do Ensino Fundamental, sétimo e oitavo anos, dos quais, seis alunos eram Bolsistas de Iniciação Científica Júnior (BICJr). Professores e BICJr elaboraram portfólios reflexivos, os quais compõem os instrumentos de análise deste estudo. Este ocorreu entre novembro de 2014 e outubro de 2015. Os portfólios produzidos foram analisados segundo Análise Descritiva. Observou-se que os alunos mostraram-se empolgados com as estratégias pedagógicas inovadoras, tornando-se participativos e interessados, em comparação às aulas “normais”. Os alunos BICJr assumiram uma nova postura, principalmente no que se refere à capacidade de comunicação, expressando-se com mais facilidade, clareza e segurança. As duas turmas desenvolveram projetos de pesquisa para a Feira de Ciências, demonstrando conhecimento de metodologia científica. Para os professores, as estratégias pedagógicas norteadas por metodologias ativas foram as principais responsáveis pelas mudanças no perfil dos alunos, pois passaram a exercitar capacidade de reflexão, autonomia e senso crítico, o que antes era pouco observado. Destaca-se a importância da pesquisa e o incentivo desta como instrumento pedagógico, de modo que os alunos deem o primeiro passo para a iniciação científica, sendo isto grandemente facilitado pelo uso de estratégias pedagógicas norteadas por metodologias ativas de ensino e de aprendizagem.


Texto completo:

PDF

Referências


AMBRÓSIO, M. Avaliação, os registros e o portfólio: ressignificando os espaços educativos no ciclo das juventudes. Petrópolis: Vozes. 2015.

ANASTASIOU, L. das G. C.; ALVES, L. P. (orgs.). Processos de Ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 10. ed. Joinville, SC: Univille. 2012.

ANTUNES, C. Professores e Professauros: reflexões sobre a aula e práticas pedagógicas diversas. Petrópolis: Vozes. 2014.

ARAUJO, I. S.; MAZUR, E. Instrução pelos colegas e ensino sob medida: uma proposta para o engajamento dos alunos no processo de ensino-aprendizagem de Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.30(2), p. 362-384. 2013.

BAGNO, M. Pesquisa na escola: o que é e como se faz. 26. ed. São Paulo: Edições Loyola. 2014.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. de. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico Senac, v.39(2), p. 48-67. 2013.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32 (1), 25-40. 2011.

BORTONI-RICARDO, S. M. O Professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola editorial. 2008.

DEMO, P. Educação e Alfabetização Científica. Campinas/SP: Papirus. 2010.

DEMO, P. Pesquisa: princípio científico e educativo. 12. ed. São Paulo: Cortez. 2006.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 9. ed. Campinas, SP: Autores associados. 2011.

FOUREZ, G. A Construção das ciências: introdução à filosofia e a ética da ciência. São Paulo: Editora da UNESP. 1995.

FREIBERGER, R. M.; BERBEL, N. A. N. A importância da pesquisa como princípio educativo na atuação pedagógica de professores de educação infantil e ensino fundamental. Cadernos de Educação, v.37, p.207-245. 2010.

GESSINGER, R. M. (2004). Teoria e fundamentação teórica na pesquisa em sala de aula. In: MORAES, R. & LIMA, V. M. do R. (orgs). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novo tempos. 2. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS.

GRILLO, M. C.; ENRICONE, D.; MATTEI, P.; FERREIRA, J. B. Ensino e pesquisa com pesquisa em sala de aula. UNIrevista, v.1(2), p.1-11. 2006.

KOMATSU, R.S.; ZANOLLI, M.B.; LIMA, V.V. Aprendizagem baseada em problemas (Problem-based learning). In: MARCONDES, E.; GONÇALVES, E.L. (Orgs.). Educação médica. São Paulo: Sarvier. 1998.

MARTINS, M. F.; VARANI, A. Professor e pesquisador: considerações sobre a problemática relação entre ensino e pesquisa. Revista Diálogo Educ., v.12(37), p.647-680. 2012.

MIGUEL, P. A. C. (org.) Metodologia de pesquisa para engenharia de produção e gestão de operações. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2012.

MIRANDA, M. G. de. O professor pesquisador e sua pretensão de resolver a relação entre a teoria e a prática na formação de professores. In: ANDRÉ, M. (org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus. 20011.

MITRE, S. M.; SIQUEIRA-BATISTA, R.; GIRARDI-DE-MENDONÇA, J. M.; MORAIS-PINTO, N. M. de; MEIRELLES, C. DE A. B.; PINTO-PORTO, C.; MOREIRA, T. ; HOFFMAN, L. M. A. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, v.13, p.2133-2144. 2008.

MOREIRA, M. A. Teorias de aprendizagem. 2. ed. São Paulo: EPU. (2011a).

______. Aprendizagem Significativa: a teoria e textos complementares. In: ______. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. São Paulo: Livraria da Física, p. 123-142, cap. 5. 2011 b.

NININ, M. O. G. Pesquisa na escola: que espaço é esse? O do conteúdo ou o do pensamento crítico? Educação em Revista. v.48, p.17-35. 2008.

NOVAK, J. D.; CAÑAS, A. J. A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis Educativa, v.5(1), p.9-29. 2010.

PEREIRA, R. Método Ativo: Técnicas de Problematização da Realidade aplicada à Educação Básica e ao Ensino Superior. In: VI Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”, 2002, São Cristóvão. Anais... São Cristóvão, SE. 2012.

PINTO, A. S. da S.; BUENO, M. R. P.; SILVA, M. A. F. do A. e; SELLMANN, M. Z.; KOEHLER, S. M. F. Inovação Didática - Projeto de Reflexão e Aplicação de Metodologias Ativas de Aprendizagem no Ensino Superior: uma experiência com “peer instruction”. Janus, v.9(15), p.75-87. 2012.

PIZARRO, M. V.; LOPES Jr., J. Indicadores de alfabetização científica: uma revisão bibliográfica sobre as diferentes habilidades que podem ser promovidas no ensino de ciências nos anos iniciais. Investigações em Ensino de Ciências. v.20(1), p.208-238. 2015.

PRADO, G. do V. T.; SIMAS, V. F. A escrita no portfólio estudantil: possibilidades de reinvenção de si. In: XVI ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO, 2012, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP. 2012.

RAMOS, M. G. Educar pela Pesquisa é Educar para a argumentação. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. do R. (org.) Pesquisa em sala de aula. Porto Alegre: EDIPUCRS. 2012.

SANT'ANNA, I. M.; MENEGOLLA, M. Didática: aprender a ensinar: técnicas e reflexões pedagógicas para formação de formadores. 7. ed. São Paulo: Edições Loyola. 2002.

SANTIM, I. J.; RIGONI, P.; MARCHI, M. I.; STROHSCHOEN, A. A. G. Concepções de Pesquisa dos Estudantes da Educação Básica Uma Investigação do Sul ao Norte e Nordeste do Brasil. Contexto & Educação, v.29(94), p.27-56. 2014.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez. 1986.

ULHÔA, E.; ARAÚJO, M. M.; ARAÚJO, V. N.; MOURA, D. G. A formação do aluno pesquisador. In: I Seminário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica, Minas Gerais. Anais... Minas Gerais, CEFET. 2008. Disponível em: Acesso em: 28 out. 2015.

WALL, M. L.; PRADO, M. L. do; CARRARO, T. E. A experiência de realizar um Estágio Docência aplicando metodologias ativas. Acta Paul. Enferm., v.21(3), p.515-9. 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.