TEATRO NA ESCOLA: NOÇÕES DE ACEITAÇÃO E ESCUTA EM JOGOS DE IMPROVISAÇÃO

Autores

  • Fernando Freitas Dos Santos

Resumo

O presente estudo discorre sobre uma prática teatral realizada no primeiro semestre de 2015 com estudantes do ensino fundamental I, de faixas etárias que variam dos sete aos doze anos, em uma escola de Florianópolis, Santa Catarina. Destaca-se que este trabalho integra minha pesquisa de mestrado que visa traçar aproximações entre alguns dispositivos pedagógicos de Peter Brook e o trabalho com a linguagem teatral em contextos educacionais. No entanto, para este artigo cientí­fico, focarei apenas na descrição e análise de atividades teatrais que dialogam com as noções de escuta e aceitação. Busca-se, portanto, apresentar estratégias metodológicas de ensino de teatro que contemple noções essenciais ao trabalho com jogos de improvisação em ambientes educacionais. Para a pesquisa teórica e crí­tica dos encaminhamentos artí­stico-pedagógicos serão utilizados o material bibliográfico de Peter Brook (2011), Jean Pierre Ryngaert (2009), Carmela Soares (2010), Paulo Freire (2011), Keith Johnstone (1990), Viola Spolin (2010), Antony Frost e Ralph Yarrow (1990).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Freitas Dos Santos

Mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Especialista em Arte e Educação pelo Instituto São Francisco de Assis (ISFACES), Licenciado em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) em perí­odo de intercâmbio na Universidad de Guanajuato, México.

Referências

BARROS, Manoel. Poesia Completa. São Paulo: Leya, 2010

BUSS, Maria Dolores; Cardoso Cristiane. Relação da comunidade do distrito de Ratones (Florianópolis, SC), com o meio ambiente e a criação de uma identidade com o local. In: IX Encontro Nacional da ANPUR: Ética, planejamento e construção democrática do espaço. v.9, 2001, Rio de Janeiro. Anais do IX Encontro Nacional da ANPUR. Rio de Janeiro, p. 871-881, 2001.

BRASIL. Programa Mais Educação passo-a-passo. Brasí­lia: SEB/MEC, 2011.

BROOK, Peter. A porta aberta: reflexões sobre a interpretação e o teatro. Tradução de Antônio Mercado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários í prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

______. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987

FROST, Antony; YARROW, Ralph. Improvisation in drama. Londres: Macmillan, 1990.

GIROUX. H. A. Cruzando as frontes do discurso educacional: novas polí­ticas em educação. Tradução de Magda França Lopes. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

JOHNSTONE, Keith. Impro: improvisacion y el teatro. Traduzido para o espanhol por Elena Olivos e Francisco Huneeus. Santigo de Chile: Cuatro Vientos, 1990.

MACHADO, Natanael; MATOS, Débora; NOGUEIRA, Marcia Pompeo. O teatro feito pela comunidade: O quintal esquecido. In: NOGUEIRA, Marcia Pompeo. Ventoforte no teatro em comunidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2015.

MUNIZ, Mariana Lima. Improvisação como espetáculo: processo de criação e metodologias de treinamento do ator-improvisador. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

RYNGAERT, Jean Pierre. Jogar, representar: práticas dramáticas e formação. Tradução de Cássia Raquel da Silveira. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

SOARES, Carmela. Pedagogia do jogo teatral: uma poética do efêmero. São Paulo: Hucitec, 2010.

SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. Tradução de Ingrid Dormien Koudela e Eduardo Amos. São Paulo: Perspectiva, 2010.

VIGOTSKI, L.S. Imaginação e criação na infância. Tradução de Zoia Prestes. São Paulo: ítica, 2009.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Edição

Seção

Eixo 1- Dossiê Temático