CRIAÇÃO COMO CONDIÇÃO DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NA EXPERIÊNCIA DO ARTISTA-DOCENTE DA DANÇA

Autores

  • Elke Siedler
  • Renata Santos Roel

DOI:

https://doi.org/10.33871/19805071.2017.17.2.2084

Resumo

O propósito deste artigo é refletir sobre processos de criação em estreita
relação com a feitura de configurações de danças e a experiência da docência. Para tanto,partimos do entendimento de que práticas de ensino-aprendizagem podem ser organizadasenquanto situações de criação artí­stica. Acontecimentos coletivos em dança, que sevalem pelo exercí­cio contí­nuo de lidar com as incertezas e imprevisibilidades próprias dosprocessos relacionais intersubjetivos, são estratégias de composição de formulações eenunciações de questões no corpo. Vivencias artí­sticas que se valem de modos criativos
de estar e perceber a si, junto dos encontros entre diferenças, é potência para gestar outraslógicas organizacionais, para além de modelos fixos e rí­gidos de entendimento de corpoe movimento. As abordagens conceituais de afeto (Sèvèrac, 2009) e imunidade (Espósito,2010) se articulam para problematizar a criação como construção de conhecimento noscontextos artí­sticos de ensino-aprendizagem. O conhecimento se faz no agenciamento desingularidades, conhecer por vias de afetações, situações em que o corpo opera em contato
com outras forças, colocando em tensão as faculdades da sensibilidade, da memória e daimaginação.

Palavras-chave: Dança. Criação. Ensino-aprendizagem. Afeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-01

Como Citar

SIEDLER, E.; ROEL, R. S. CRIAÇÃO COMO CONDIÇÃO DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NA EXPERIÊNCIA DO ARTISTA-DOCENTE DA DANÇA. Revista Cientí­fica/FAP, Curitiba, v. 17, n. 2, 2017. DOI: 10.33871/19805071.2017.17.2.2084. Disponível em: https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/2084. Acesso em: 3 mar. 2024.