O panorama das pesquisas em ensino de Ciências com foco na Base Nacional Comum Curricular: considerações sobre as inferências para o currí­culo prescrito

Autores

  • Lucas Manoel Lima Santos Universidade Federal do Norte do Tocantins
  • Karolina Martins Almeida e Silva UFNT

Resumo

O presente estudo apresenta uma análise sistemática da produção cientí­fica brasileira de artigos de periódicos, da área de ensino, e de trabalhos de eventos publicados nos últimos seis anos (2015-2020), os quais versam sobre o tema "Ensino de Ciências com foco na Base Nacional Comum Curricular (BNCC)" . Considerou-se importante averiguar quais apontamentos foram realizados pelos pesquisadores da área de ensino de Ciências em relação às orientações formativas indicadas pelo documento, visto que fundamentam discussões sobre aspectos referentes à implementação desse currí­culo e problematizam a prática pedagógica e a formação docente. Portanto, objetivou-se caracterizar o panorama das investigações de modo a elucidar considerações advindas das inferências sobre a relação entre o prescrito pelo currí­culo da Base e a prática pedagógica docente. Como orientações teórico-metodológicas, utilizaram-se os fundamentos da análise categorial de Bardin (2011) para a elaboração de categorias de análise. As pesquisas sinalizam as dimensões curricular e formativa em um viés complementar, cujas configurações são necessárias ao currí­culo da Base para o ensino de Ciências. Indicam, ainda, que a formação inicial e continuada de professores são espaços profí­cuos para discussões crí­ticas sobre o modelo curricular presente na BNCC, que, no que lhe concerne, deve ser questionado por sua caracterí­stica predominantemente tecnicista.

Biografia do Autor

Lucas Manoel Lima Santos, Universidade Federal do Norte do Tocantins

Mestre em Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências e Matemática da Universidade Federal do Tocantins (PPGECIM-UFT);Especialista em Biologia pela Faculdade Rio Sono (2012);Possui graduação em Ciências Naturais - Biologia, pela Universidade do Estado do Pará (2012).Atua na docência não ensino regular e de ní­vel superior.Atuou como Professor Substituto da Universidade do Estado do Pará no Departamento de Ciências Naturais - Campus VII / Conceição do Araguaia-PA nos anos 2014/2015.Atualmente atua na rede pública do estado do Tocantins.E-mail para contato: lucasmanoel17@hotmail.com.Telefone: 063 981303614

Karolina Martins Almeida e Silva, UFNT

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Goiás (2007), Mestre em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Goiás (2010) e Doutora em Educação - Educação em Ciências, pela Universidade de Brasí­lia (2016). Atualmente é professora adjunta III da Universidade Federal do Tocantins e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática - PPGecim. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências e Biologia, atuando principalmente nas seguintes linhas de pesquisa: formação de professores, Educação CTS e Questões Sociocientí­ficas.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. SP: Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular. Brasí­lia, DF: MEC, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais e Base Nacional Comum para a Formação Inicial e Continuada de Professores da Educação Básica. Brasí­lia, DF: MEC, 2019.

CAMPOS, L. M. L. Gênero e diversidade sexual na escola: a urgência da reconstrução de sentidos e de práticas. Ciênc. educ. (Bauru). vol. 21, n. 4, 2015.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia cientí­fica. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

GIL, A. Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas: São Paulo, 2007.

GOMES, R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: DESLANDES, S. F; GOMES, R.; MINAYO, M. C. S. (org). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 26. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007. p. 79-108.

MACEDO, R. S. Currí­culo: campo, conceito e pesquisa, Editora Vozes, Petrópolis/RJ, 2008.

TARGINO, G. M. N. Base nacional comum curricular: entre disputas de narrativas. Jornada brasileira de educação e linguagem/encontro do PROFEDUC e PROFLETRAS/jornada de educação de Mato Grosso do Sul, v. 1, n. 1, s/p, 2018.

ROSO, C. C; AULER, D. A participação na construção do currí­culo: práticas educativas vinculadas ao movimento CTS. Ciênc. Educ., Bauru, v. 22, n. 2, p. 371-389, 2016.

SAMPAIO R; F; MANCINI M. C.; Estudos de Revisão Sistemática: um guia para sí­ntese criteriosa da Evidência Cientí­fica. Rev. bras. fisioter. São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.

SAUVÉ, L. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educ. Pesqui. v.31, n. 2, São Paulo May/Aug.2005.

SPINILLO, A. G; MAHON, E. Compreensão de texto em crianças: comparações entre diferentes classes de inferência a partir de uma metodologia on-line. Psicologia: Reflexão e Crí­tica, v. 20, n. 3, p. 463-471, 2007.

Downloads

Publicado

2022-04-22