Contribuições da metodologia da problematização para o desenvolvimento profissional docente em educação para a sexualidade

Autores

  • Luciana Uchôa Barbosa Instituto Federal de Pernambuco - IFPE Campus Belo Jardim
  • Luciana Uchôa Barbosa Instituto Federal de Pernambuco - Campus Belo Jardim
  • Jaqueline Copetti Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana.
  • Vanderlei Folmer Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana.

Palavras-chave:

Formação docente. Educação sexual. Arco de Maguerez.

Resumo

Resumo: O presente estudo tem como objetivo identificar as possí­veis contribuições da metodologia da problematização com o arco de Maguerez no desenvolvimento profissional docente em educação para a sexualidade. Para isso, foi realizada uma pesquisa exploratória e descritiva com abordagem qualitativa. Participaram da pesquisa docentes que atuavam no ensino fundamental II (6º ao 9º ano) de uma escola no interior de Pernambuco. A pesquisa foi realizada em três fases. Na primeira fase foi aplicado um questionário constituí­do por questões abertas. Posteriormente, foi realizado o desenvolvimento profissional docente tendo como temática a educação para a sexualidade. Essa atividade foi desenvolvida utilizando a metodologia da problematização com o arco de Maguerez. A última fase consistiu de outro questionário pós DPD, para identificar as possí­veis contribuições da metodologia da problematização para um novo fazer pedagógico abordando a educação para a sexualidade no contexto escolar. Os resultados apontaram que a utilização da metodologia da problematização com o arco é uma estratégia que possibilita inúmeras contribuições para a prática docente. Pois permite ao educador ser o protagonista na construção do seu próprio conhecimento. A metodologia também favorece a coletividade desde o levantamento de problemas até a construção de soluções para a transformação da realidade. Também foi possí­vel constatar que a MP com o arco de Maguerez, proporciona segurança e autonomia ao professor para a abordar o tema sexualidade em sala de aula. Revelou-se ainda ser eficaz na integração entre os familiares e a escola para discussão e reflexão acerca do tema em ambos os contextos. Diante do exposto, fica a proposta de utilizar a MP com o arco de Maguerez como estratégia para o desenvolvimento profissional docente em educação para a sexualidade. Considerando que trata -se de um tema pertinente, sugere-se que novas pesquisas sejam realizadas envolvendo os adultos de referência (pais, professores e profissionais de saúde).

DOI:https://doi.org/10.33871/23594381.2020.18.1.98-120

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Uchôa Barbosa, Instituto Federal de Pernambuco - IFPE Campus Belo Jardim

Possui graduação em Enfermagem pela Fundação de Ensino Superior de Olinda União de Escolas Superiores da FUNESO. Mestrado do Programa de Pós Graduação Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde - UFRGS. Doutoranda do Programa de Pós Graduação Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde - UFRGS. Especialização em Educação Profissional na área de Enfermagem e Especialização em Saúde Pública. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - Campus Belo Jardim.

Luciana Uchôa Barbosa, Instituto Federal de Pernambuco - Campus Belo Jardim

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde – UFRGS. Mestra do Programa de Pós-Graduação Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde - UFRGS. Possui graduação em Enfermagem pela Fundação de Ensino Superior de Olinda União de Escolas Superiores da FUNESO. Especialização em Educação Profissional na área de Enfermagem e Especialização em Saúde Pública. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - Campus Belo Jardim. Tem experiência na área de Enfermagem e Educação, com ênfase em: Atenção Básica, Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: Saúde da Mulher; Saúde da Criança e Adolescente; Educação em Saúde; formação docente.

Jaqueline Copetti, Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana.

Possui Licenciatura Plena em Educação Fí­sica pela Universidade Federal de Santa Maria (2003), Especialização em Ciência do Movimento Humano pela UFSM (2005), Mestrado em Educação Fí­sica pela Universidade Federal de Pelotas (2009) e Doutorado em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde pela UFSM (2013). Professora do Magistério Superior da Universidade Federal do Pampa, lotada no Campus Uruguaiana, atuando no Curso de Licenciatura em Educação Fí­sica e como Docente Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde. Lí­der do Grupo de Estudos e Pesquisa em Estágio e Formação de Professores - GEPEF. Trabalha com as áreas de Educação Fí­sica escolar, Educação e Saúde, Formação de Professores e Ensino.

Vanderlei Folmer, Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana.

Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Federal de Santa Maria (2002), graduação em Letras - Português e Inglês pela Universidade Paulista (2015), mestrado em Educação em Ciências: Quí­mica da Vida e Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Ciências Biológicas (Bioquí­mica Toxicológica) pela Universidade Federal de Santa Maria (2004). Atualmente é Professor da Universidade Federal do Pampa - Campus Uruguaiana. Tem experiência nas áreas de Educação em Ciências e Bioquí­mica, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação em Saúde, Interdisciplinaridade no Ensino de Ciências, Bioquí­mica de Produtos Naturais e Diabetes mellitus.

Referências

BARBOSA, L. U.; VIÇOSA, C. S. C. L.; FOLMER, V. A educação sexual nos documentos das polí­ticas de educação e suas ressignificações. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 11, n. 10, p. e772, 8 jul. 2019. Disponí­vel em: https://acervomais. com.br/index.php/saude/article/ view/772. Acesso em: 10 jul.2019.

BERBEL, N.A.A. A Problematização e a Aprendizagem Baseada em Problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v.2.n.2,1998.

GARNICA, T. P. B. et al. O Saber-fazer na Formação de Professores para a Inclusão Escolar: um Levantamento Bibliográfico. Ensino & Pesquisa, [S.l.], nov. 2016. ISSN 2359-4381. Disponí­vel em: <http://periodicos.unespar.edu.br/index.php /ensinoepesquisa/ article/view/970 /599>. Acesso em: 21 nov.2019.

MARCELO, C. Desenvolvimento Profissional Docente: passado e futuro. Revista de Ciências da Educação, n.8, p. 7 22, jan- abr, 2009. Disponí­vel em: http://www.unitau. br/files/arquivos/category_1/MARCELO Desenvolvimento _Profissional _Docente _passado_e_futuro_1386180263.pdf. Acesso em: 30 jul.2019.

SANTOS, C. F. dos; SANTOS, R. M. R. dos. Desafios na formação docente em diversidade sexual. Educação: Teoria e Prática, v. 29, n.60, p. 140-161, 2019. Disponí­vel em: https://doi.org/10.18675/1981-8106.vol29.n60.p140-161. Acesso em: 21 out.2019.

SILVA, F. S. da; NOBRE, S. B. A educação sexual na formação inicial docente. XXIX SALíO DE INICIAÇíOCIENTíFICA DA UFRGS,2017.

TORRES, Juliana Rezende et al. Sexualidade e gênero na escola: construindo atividades formativas na rede pública de ensino através do PIBID. Ensino & Pesquisa, [S.l.], mar. 2016. ISSN 2359-4381. Disponí­vel em: . Acesso em: 19 nov. 2019.

Downloads

Publicado

2020-04-16