Ensinando a ser menina e menino: brinquedos e relações de gênero

Aliandra Cristina Mesomo Lira, Maristela Aparecida Nunes

Resumo


O objetivo desse texto é problematizar a relação entre os brinquedos e as questões de gênero, refletindo sobre as implicações dos objetos lúdicos destinados a meninos e meninas na constituição de suas identidades. Parte-se da compreensão de que os artefatos culturais ligados ao entretenimento infantil atuam de forma extensiva e incisiva nas subjetividades infantis. Trata-se de um estudo bibliográfico, principalmente a partir dos escritos de Brougère (1995; 2004), Dornelles (2003/2004), Finco (2003; 2010) e Louro (1997), cujos textos nos levam a reconhecer os brinquedos como objetos sociais e associados à lógica do mercado. Considerando a materialidade dos brinquedos e sua divulgação por meio da mídia percebe-se que há determinações bastante precisas para meninas e meninos, atuando de forma perspicaz sobre as brincadeiras e a constituição do eu infantil.


Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, Flavia de Oliveira; SILVESTRI, Mônica Ledo. Relações dialógicas interculturais: brinquedos e gênero. 2006. Disponível em: http://28reuniao.anped.org.br/textos/ge23/ge23943int.pdf. Acesso em: 10 de out. de 2014.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades, Ed. 34, 2002.

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedos e companhia. São Paulo: Cortez, 2004.

______. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 1995.

BUJES, Maria Isabel E. Criança e brinquedo: feitos um para o outro? In: COSTA. Marisa V. (Org.). Estudos culturais em educação: mídias, arquitetura, brinquedo, biologia... Porto Alegre: UFGRS, 2000.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Governando a subjetividade: a constituição do sujeito infantil no RCN/EI. Anais da 24ª Reunião Anual da ANPEd, Caxambu/MG, 2001.

CAMPOS, Patrícia Lemos; SILVA, Elenita Pinheiro de Queiroz. Modos de ensinar a e aprender a ser menino e a ser menina. Revista de Educação, Campinas, v. 19, n. 3, p. 215-225, set./dez.2014. Disponível em: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/2855. Acesso em: 01 de out. de 2015.

DORNELLES, Leni Vieira. O brincar e a produção do sujeito infantil. Pátio Educação infantil, Porto Alegre, Ano I, n. 3, p. 17-20, dez. 2003/mar. 2004.

______. O brinquedo e a Produção do Sujeito Infantil. Centro de Documentação e Informação sobre a Criança. Universidade do Minho. Instituto de Estudos da Criança, 2003.

FINCO, Daniela. Brincadeiras, invenções e transgressões de gênero na educação infantil Múltiplas leituras, São Bernardo do Campo, v. 3, n. 1, p. 119-134, jan./jun. 2010.

______. Relações de gênero nas brincadeiras de meninos e meninas na educação infantil. Pro-posições, Campinas, v. 14, n. 3 (42), p. 89-102, set./dez. 2003.

FISCHER, Rosa M. B. O estatuto pedagógico da mídia: questões de análise. Educação e realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p.59-79, jul./dez. 1997.

GROSSI, Miriam P. Gênero e parentesco: famílias gays e lésbicas no Brasil, Cadernos Pagu, Campinas, (21), p. 261-280, 2003. Disponível em: . Acesso em :20 de nov. de 2015.

______. Masculinidades: uma revisão teórica. In: Antropologia em primeira mão. UFSC, 2004. Disponível em: . Acesso em: 25/11/2015.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogo, brinquedo, brincadeira e educação. São Paulo: Cortez, 1999.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida; ONO, Andréia Tiemi. Brinquedo, gênero e educação na brinquedoteca. Pro-posições, Campinas, v. 19, n. 3 (57), p. 209-223, set./dez. 2008.

LIRA, Aliandra Cristina Mesomo. Brinquedo: história, cultura, indústria e educação. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 4, n. 3, p. 507-525, set./dez. 2009.

______. Infância e brinquedo na história: buscando aproximações. Arq Mundi. Maringá. I Encontro de Pesquisa em Educação, IV Jornada de Prática de Ensino, XIII Semana de Pedagogia da EUM: Infância e práticas educativas, p. 260- 268, 2007.

LIRA, Aliandra Cristina Mesomo; NASCIMENTO, Edaniele Cristine Machado do. Infância e cultura. Curitiba: CRV, 2015.

LIRA, Aliandra Cristina Mesomo; MATE, Cecília Hanna. Alguns apontamentos sobre a produção da infância na modernidade. Teoria e Prática da Educação, Maringá, v. 13, n. 2, p. 149-157, maio/ago. 2010.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, v. 19, n. 2, p. 17-23, 2008.

______. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

______. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Autêntica: Belo Horizonte, 2004.

______. Heteronormatividade e homofobia. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: MEC, 2009. Coleção Educação para todos.

______. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

MEYER, Dagmar E. Estermann. Corpo, violência e educação: uma abordagem de gênero. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: MEC, 2009. Coleção Educação para todos.

PEREIRA, Rita Marisa Ribes. Uma história cultural dos brinquedos: apontamentos sobre infância, cultura e educação. Teias, Rio de Janeiro, v. 10, n. 20, p. 1-20, 2009. Disponível em: http://www.periodicos.proped.pro.br/index.php/revistateias/article/view/444. Acesso em: 10 de jan. de 2015.

RUSSO, Renata. Imagem corporal: construção através da cultura do belo. Movimento & Percepção. São Paulo, n. 6, v. 5, jan./jun. 2005. Disponível em: www.researchgate.net/.../26423839_Imagem_corporal_construo_atravs. Acesso em: 01 de ago. de 2015.

SPRÉA, Nélio Eduardo; GARANHANI, Marynelma Camargo. A criança, as culturas infantis e o amplo sentido do termo brincadeira. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 14, n. 43, p. 717-735, set./dez. 2014.

STEINBERG, Shirley R.; KINCHELOE, Joe L. Sem segredos: cultura infantil, saturação de informação e infância pós-moderna. In: STEINBERG, Shirley R.; KINCHELOE, Joe L. Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. p. 9-52.

TELLES, Edna de Oliveira. Significados de gênero nos brinquedos e brincadeiras infantis: uma proposta de intervenção nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Anais do Fazendo gênero 9. Diásporas, diversidades, deslocamentos. Florianópolis, SC, 2010. Disponível em: http://www.fazendogenero.ufsc.br/9/resources/anais/1278127631_ARQUIVO_Significadosdegeneronobrinquedosebrincadeirasinfantis.pdf. Acesso em: 10 de ago. de 2015.

VASCONCELOS, Fátima. Bonecas: objeto de conflito identitário na arena da dominação cultural. 2005. Disponível em: http://27reuniao.anped.org.br/gt07/t074.pdf. Acesso em: 18 de jun. de 2013.

VIANNA, Claudia; FINCO, Daniela. Meninas e meninos na educação infantil: uma questão de gênero e de poder. Cadernos Pagu, Campinas, n. 33, p. 265-283, jul./dez. 2009.

VIANNA, Cláudia; RIDENTI, Sandra. Relações de gênero e escola: das diferenças ao preconceito. In: AQUINO, Julia Groppa. Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.