O estágio supervisionado segundo a visão de acadêmicos do curso de Ciências Biológicas

Marinez Meneghello Passos, Virginia Iara de Andrade Maistro, Sergio de Mello Arruda

Resumo


Neste artigo analisamos os discursos de acadêmicos de uma Licenciatura em Ciências Biológicas de uma universidade pública do Paraná, buscando entender como eles lidaram com a questão de ser professor e como enfrentaram os desafios da prática docente. Procuramos também compreender as relações dos licenciandos com o conteúdo, com o ensino e com a aprendizagem durante a realização do estágio supervisionado. De uma população inicial de quinze estudantes, escolhemos cinco para o aprofundamento da análise. Aplicando um instrumento analítico denominado Matriz 3x3 (ARRUDA; LIMA; PASSOS, 2011), aos relatos dos estudantes sobre o estágio supervisionado, ficou evidente que eles estavam mais preocupados com os aspectos técnicos da gestão do ensino e com sua atuação na sala de aula, do que com a aprendizagem dos alunos. Os dados mostram que a prática da docência inicial possibilita aos acadêmicos múltiplas experiências, ameniza seus anseios, medos, angústias, preocupações, mas nem por isso modificam os seus propósitos de atuação na escola básica. Após a conclusão do estágio, a maioria dos acadêmicos pode até ver a docência com outros olhos, mas não ao ponto de desejar ser professor, principalmente da educação básica.


Texto completo:

PDF

Referências


ANASTASIOU, L. G. C. Didática e ação docente: aspectos metodológicos na formação dos profissionais da educação. In: Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino – ENDIPE – Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa didática e ação docente, 12, Curitiba, 2004. Anais... Curitiba: Champagnat, 2004. v. 4.

ARRUDA, S. de M.; BACCON, A. L. P. O professor como um “lugar”: uma metáfora para a compreensão da atividade docente. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências. Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 1-20, 2007.

ARRUDA, S. de M; LIMA, J. P. C.; PASSOS, M. M. Um novo instrumento para a análise da ação do professor em sala de aula. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. São Paulo, v. 11, n. 2, p 139-160, 2011.

CHARLOT, B. Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica: del saber sabio al saber enseñado. Buenos Aires: Aique, 2005.

ECHEVERRÍA, A. R.; OLIVEIRA, A. S. de; TAVARES, D. B.; SANTOS, J. D. A.; SILVA, K. R; MORAES, R. S. de. A pesquisa na formação inicial de professores de química: abordando o tema drogas no ensino médio. Química Nova na Escola, n. 24, p. 25-28, nov. 2006.

GAUTHIER, C.; MARTINEAU, S.; DESBIENS J.; MALO, A.; SIMARD, D. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. 2 ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006. (Coleção Fronteiras da Educação).

GHEDIN, E.; ALMEIDA, M. I; LEITE, Y. U. F. Formação de professores: caminhos e descaminhos da prática. Brasília: Líber Livro, 2008.

LARROUSSE. Grande Enciclopédia Larousse Cultural. São Paulo: Nova Cultural, 1998. p. 5.915.

LUCAS, L. B.; PASSOS, M. M.; ARRUDA, S. de M. Axiologia e o processo de formação inicial de professores de biologia. Investigações em Ensino de Ciências (Online), v. 18, p. 645-665, 2013.

MELLO, G. N. Formação inicial de professores para a educação básica; uma (re)visão radical. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 1, p. 98-110, 2000.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. de L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

SCHNETZLER, R. P. Necessidades formativas de professores. 2000. (Relatório de Pesquisa).

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TRAVAGLIA, L. C. Um estudo textual-discursivo do verbo no português do Brasil. Tese de doutorado – Departamento de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.