Discussões sobre imigrantes no ensino superior

Rodrigo dos Santos

Resumo


Resumo: O artigo apresenta discussões sobre imigrantes e o processo de internacionalização da universidade, apontando a visão sobre o imigrante, e sua inserção, especialmente em universidades brasileiras. Com relação à metodologia, utiliza-se da qualitativa, buscou-se referências que se preocuparam com a temática universidade e imigração, portanto, um trabalho de revisão bibliografia, em que a bibliografia é a fonte. O fenômeno migratório é complexo, depende de muitas variáveis, inclusive do período histórico em que o fenômeno está inserido. O Brasil recebeu vários tipos de imigração, principalmente com a substituição de mão de obra escrava pela imigrante no final do século XIX e início do XX, e no período do pós Segunda Guerra Mundial, em que vieram os imigrantes denominados deslocados/refugiados de guerra. Verificou-se que o processo de internacionalização da universidade é antigo, sua função original era essa, entretanto, com a criação dos estados nacionais ela ficou resguardada aos seus limites territoriais. O trabalho identificou-se dois programas de recebimento de imigrantes no Brasil o PEC-G e o PEC-PG, o primeiro referente a graduação, recebendo, em sua maioria, imigrantes africanos e o segundo de pós-graduação recebendo imigrantes latino americanos, de países vizinhos ao Brasil. Como resultados, também visualizou-se a carência de estudos sobre essa temática e a necessidade principalmente de trabalhos que primam a inserção do imigrante.

 

Palavras-chave: Ensino Superior, Imigrantes, Internacionalização, Universidade.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALVIM, Z. Imigrantes: a vida privada dos pobres do campo. In: SEVCENKO, N. (org.) História da vida privada no Brasil -3. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

BOHRER, I. N. [et. al]. A história das universidades: o despertar do conhecimento. In: Anais da 14ª Jornada Nacional de Educação: a educação na sociedade dos meios virtuais, Santa Maria, v. 1, n.1, 2008, p. 1-10.

BRUMES, K. R.; SILVA, M. da. A migração sob diversos contextos. Boletim de Geografia, Maringá, v. 29, n. 1, 2011, p. 123- 133.

CALEGARI, M. O fluxo migratório de estudantes internacionais na UNICAMP. In: Anais da Semana CS, Campinas, v. 1, n. 1, 2012, p. 1-12.

FIGUEIREDO, E. S. A. de. Reforma do Ensino Superior no Brasil: um olhar a partir da história. Revista da UFG- Tema Ensino Superior, Goiânia, Ano VII, n. 2, 2005, [s. p.].

FONSECA, D. J. A tripla perspectiva: a vinda, a permanência e a volta de estudantes angolanos no Brasil. Pró-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), 2009, p. 23-44.

HIRSCH, O. N. A gente parece um camaleão: (re) construções identitárias em um grupo de estudantes cabo-verdianos no Rio de Janeiro. Pró-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), 2009, p. 65-81.

MENDONCA, A. W. P.C. A universidade no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.14, 2000, p. 131-150.

MERÇON, A. B.; RODRIGUES, M. F.; SANTOS, N. dos. Internacionalização do ensino superior: mobilidade estudantil entre Brasil e Portugal. In: Anais do Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa, Lisboa, v.1, n.1, 2011, p. 1-16.

NADALIN, S. O. Paraná: Ocupação do Território, População e Migrações. Curitiba: Seed, 2001. 107p.

SANTOS, R. B. Migração no Brasil. São Paulo: Scipione, 1997. 69p.

SANTOS, R. dos; VOLUPCA, T. C. Educação rural e migração: a tentativa do diálogo. Luminária, União da Vitória, v. 16, n. 2, 2014, p. 105-118.

SAYAD, A. A imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998. 297p.

SCOTTINI, A. (comp). Dicionário escolar da língua portuguesa. Blumenau: Edições TodoLivro, 1998. 486p.

SHEPHARD, B. A longa estrada para casa: restabelecendo o cotidiano na Europa devastada pela guerra. São Paulo: Paz e Terra, 2012. 614p.

ZAMBERLAM, J. [et. al.]. Os estudantes internacionais no processo globalizador e a internacionalização do ensino superior. Porto Alegre: Solidus, 2009. 140p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.