Transfigurações de um personagem escultórico nos meios impressos: o monumento a Tiradentes, de João Turin

Autores

Palavras-chave:

Escultura, Fotografia, Meios impressos, João Turin, Tiradentes

Resumo

Este artigo trata dos significados que permeiam o trânsito de uma imagem no tempo, com enfoque nas possí­veis apropriações da linguagem escultórica pelos meios impressos, a partir das reproduções da obra Tiradentes, de João Turin. Em Curitiba, esse artista consagrou-se com a promoção de ideais paranistas e elaborou uma estatuária pública em homenagem a mártires históricos nacionais. A circulação de notí­cias e reproduções do monumento ao inconfidente em periódicos ilustrados, na década de 1920, foi fundamental para a construção de memórias e narrativas polí­ticas. Propõe-se então a traçar uma biografia desse personagem de bronze, identificando possí­veis interrelações entre fotografia e escultura a partir das reflexões teóricas de Michel Frizot, e também em aproximação à abordagem de Ana Maria Mauad acerca da análise histórica de imagens na cultura visual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Busnardo, UFPR

Doutoranda em História na linha Arte, Memória e Narrativa, UFPR (Curitiba, Paraná). Bolsista CNPq. Mestra em História pela UFPR. Especialista em História Cultural, pela UTP. Professora e artista visual pela FAP (UNESPAR). Pesquisadora na área da Fotografia e seus entremeios com outras linguagens visuais.

Referências

AGULHON, Maurice. La "˜statuomanie"™ et l´histoire. Histoire vagabonde: etnologie et politique dans la France contemporaine. v.1. Paris, Gallimard, 1988.

AMARAL, Aracy. Artes plásticas na semana de 22. São Paulo: Ed. 34, 1998.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Benjamin e a Obra de Arte: Técnica, imagem e percepção. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

CAMARGO, Geraldo Leão. Esculturas públicas em Curitiba e a estética autoritária. Revista Sociol. Polí­t., Curitiba, 25, nov. 2005. p.63-82.

CAMARGO, Geraldo Leão. Paranismo: Arte, ideologia e relações sociais no Paraná (1853-1953). Tese (Doutorado em História). UFPR. Curitiba, 2007.

CARTLIDGE, David; ELLIOTT, J. Keith. Images of the Christ. In: Art and the Christian Apocrypha. Londres: Routledge, 2001.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 2017.

CHRISTO, Maraliz de Castro Vieira. Pintura, história e heróis no século XIX: Pedro Américo e 'Tiradentes Esquartejado'. Tese (Doutorado em História). Unicamp. Campinas, 2005.

CORDEIRO, Silvia. Acervo de João Turin diz que estátua de Tiradentes é réplica não autorizada. G1 Paraná. Ponta Grossa. 31 jul. 2013. Disponí­vel em:<http://glo.bo/14DWgCS>

CRARY, Jonathan. Técnicas do observador. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

Diário da Tarde. Ano 29, nº 9821. Curitiba. 21 abr. 1927. Biblioteca Nacional.

Diário da Tarde. Ano 29, nº 9790. Curitiba. 15 mar 1927. Biblioteca Nacional.

DOLCI, Mariana. Personagem imortal: construção da memória de Tiradentes no Museu Paulista e no Museu da Inconfidência. Dissertação (Mestrado em História Social). PUCSP. São Paulo, 2014.

FREITAS, Artur. Arte de guerrilha: vanguarda e conceitualismo no Brasil. São Paulo: USP, 2013.

FRIZOT, Michel. Sculpture, between visual perception and photography. In: ECKER; KUMMER; MALSCH; MOLDERINGS (Orgs.). Lens-Based Sculpture. Berlim: Akademie der Künste, 2014.

GALANI, Luan. Curitiba inaugura maior jardim de esculturas do Brasil e memorial com quase 100 obras de João Turin. Gazeta do Povo, 14 mai. 2021. Disponí­vel em:

GINZBURG, Carlo. Medo, Reverência e Terror. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

KAMINSKI, Rosane. Gosto brejeiro: as revistas ilustradas e a formação de juí­zos estéticos em Curitiba (1900-1920). In: BREPOHL; CAPRARO; GARRAFFONI (Orgs.). Sentimentos na história. Curitiba: Ed. UFPR, 2012.

KNAUSS, Paulo. Imaginária urbana: Escultura pública na paisagem construí­da do Brasil. In: SALGUEIRO, Heliana Angotti (coord.). Paisagem e arte. São Paulo: CBHA, 2000.

KNAUSS, Paulo. A festa da imagem: a afirmação da escultura pública no Brasil do século XIX. In: CAVALCANTI, Ana; DAZZI, Camila; VALLE, Arthur (Orgs.). Oitocentos: Arte brasileira do Império í Primeira República. Rio de Janeiro: EBA-UFRJ; DezenoveVinte, 2008.

LEITE, José Roberto Teixeira. João Turin: vida, obra, arte. Curitiba: Nossa Cultura, 2014.

LIVISKI, Izabel. Leituras da urbanização e da construção da identidade paranaense na fotografia de João Baptista Groff. Dissertação (Mestrado em Sociologia). UFPR. Curitiba, 2007.

MAUAD, Ana Maria. Como nascem as imagens? Um estudo de história visual. História: Questões & Debates, v. 61, n. 2, 2014.

O Dia. Curitiba, 19 Fev. 1927. Biblioteca Nacional.

O Dia. Curitiba, 17 Abr. 1927. Biblioteca Nacional.

O Dia. Curitiba. 21 Abr. 1927. Biblioteca Nacional.

O Dia. Curitiba, 22 Abr. 1927. Biblioteca Nacional.

O Malho. Ano XXI, nº 1058. Rio de Janeiro, 23 Dez. 1922. Biblioteca Nacional.

O Malho. Ano XXI, nº 1059. Rio de Janeiro, 30 Dez. 1922. Biblioteca Nacional.

O Malho. Ano XXXI, nº 1532. Rio de Janeiro, 30 Abr. 1932. Biblioteca Nacional.

PEREIRA, Luis Fernando Lopes. Paranismo: Cultura e Imaginário no Paraná da I República. Dissertação (Mestrado em História). UFPR. Curitiba, 1996.

SANT"™ANA, Thaí­s. A Exposição Internacional do Centenário da Independência: modernidade e polí­tica no Rio de Janeiro do iní­cio dos anos 1920. Dissertação (Mestrado em História). Unicamp: Campinas, 2008.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

TURIN, Elisabete. A arte de João Turin. Campo Largo: INGRA, 1998.

TURIN, João Zanin. Documentos Manuscritos do Arquivo João Turin. Coleção Samuel Lago. N.d.

VELLOSO, Mônica; OLIVEIRA, Lúcia; GOMES, Ângela Castro. Estado Novo: Ideologia e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Edição

Seção

Artigos