O RELATIVISMO EPISTÊMICO SOBRE A CIÊNCIA

Um desacordo entre filosofia e sociologia do conhecimento científico

Autores

  • Maurício Cavalcante Rios IFBA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia

Palavras-chave:

Palavras-chaves: Epistemologia, Filosofia da Ciência, Sociologia do Conhecimento Científico, Relativismo, Relativismo Epistêmico.

Resumo

Neste trabalho, temos como objetivo investigar o desacordo entre Filosofia e Sociologia do Conhecimento Científico em torno da noção do relativismo. Esse desacordo orbita ao redor da Tese da Igual Validade e da Tese do Construcionismo Forte, compreendendo que Epistemologia e Filosofia da Ciência refletem imagens sociais de suas épocas. David Bloor (2011) declara que é hábito dos filósofos antirrelativistas confundir a Tese da Igual Validade e a Tese do Construcionismo Social Forte com o relativismo da Sociologia do Conhecimento Científico. Justificando que esse debate situa-se entre Epistemologia, Filosofia da Ciência e Sociologia do Conhecimento Científico, uma vez que há diferentes atribuições sobre a formação de crenças para o conhecimento científico, o problema desse artigo é o seguinte: se os argumentos relativistas de David Bloor (2011) criticam posturas epistemológicas antirrelativistas, então o relativismo do Programa Forte endossa o relativismo epistêmico ? Para respondermos esse problema, partimos da seguinte hipótese: se as Teses do Programa Forte se dirigem a diversos modos de se conhecer, então seu relativismo é epistêmico.

Palavras-chaves: Epistemologia, Filosofia da Ciência, Sociologia do Conhecimento Científico, Relativismo, Relativismo Epistêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Edição

Seção

Artigos