O que nos separa? E siluetas a la calle

encarceramento feminino e esfera pública

Autores

  • Vânia Medeiros Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.33871/19805071.2023.29.2.7997

Palavras-chave:

encarceramento feminino, esfera pública, ação cultural, arte

Resumo

Este artigo propõe um diálogo entre a ação Siluetas a la Calle, realizada pelo coletivo chileno Pájarxs entre púas em prisões de mulheres na região de Valparaíso, Chile, e o painel O que nos separa?, desenvolvido pelo Projeto Mulheres Possíveis na Penitenciária Feminina da Capital, em São Paulo. No tecer desta conversação, buscarei analisar de que maneira os coletivos latino-americanos, operando através de ações culturais, ou seja, processos criativos de caráter artístico e pedagógico com profundo viés formativo, propõem levar a discussão sobre o encarceramento feminino à esfera pública nas comunidades onde se inserem, refletindo sobre os potentes imbricamentos entre arte e política que estes trabalhos apresentam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AKOTIRENE, Carla. Ó pa í, prezada: racismo e sexismo institucionais tomando o bonde nas penitenciárias femininas. São Paulo: Pólen, 2020.

ANASTASSAKIS, Zoy. SZANIECKI, Barbara. "Conversation dispositifs: towards a transdisciplinary design anthropological approach" in Design Anthropological Futures. Smith, R.C; Otto, Ton; Vangkilde, K. T.; Halse, J.; Binder, T.; Kjaersgaard, M. G. (orgs). 2016

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo; ALVES, Leonir Passate. Processos de Ensinagem na Universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Editora Univille, 2015.

CAMNITZER, Luiz. Ana Mendieta. Em: Third Text, 3:7, 47-52, 1989.

CARRASCOSA, Denise. Técnicas e políticas de si nas margens, seus monstros e heróis, seus corpos e declarações de amor: Literatura e prisão no Brasil pós-Carandiru. Curitiba: Appris, 2015.

DAVIS, Angela. Estarão as prisões obsoletas? Rio de Janeiro: Difel, 2020.

DEUTSCHE, Rosalyn. A arte de ser testemunha na esfera pública dos tempos de guerra. In: Revista Concinnitas, ano 10, volume 2, número 15, dezembro 2009.

GORJON, Melina Garcia. Costuras possíveis entre a artista Ana Mendieta, em Siluetas Series, e o Pós-Humanismo proposto por Braidotti. Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s Worlds Congress (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2017

HARRINGTON, Raquel Mendieta. Ana Mendieta: Self portrait of a goddess. Review: Literature and Arts of the Americas, 22:39, 38-39, 2012.

INGOLD, Tim. Lines: A brief history. Routledge: New York, 2007.

MOREIRA, Vânia Medeiros et al. Mulheres Possíveis: corpo, gênero e encarceramento. São Paulo: Conspire Edições; Prêmio RUMOS Itaú Cultural (2017- 2018), 2019.

PALLAMIN, Vera. Aspectos da relação entre o estético e o político em Jacques Rancière. Risco Revista de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo, número 15, volume 2, dezembro 2010.

PUPO, Maria Lúcia de Souza Barros; VELOSO, Verônica. Ação Cultural e Ação Artística: territórios movediços. In: Revista Brasileira de Estudos da Presença. Porto Alegre, v.10, n.2, 2020.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: Editora 34, 2009.

ROLNIK, Suely. Esferas da insurreição: Notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: 2018

ZASK, Joëlle. Participer. Essai sur les formes démocratiques de la participation. Paris: Éditions Le bord de l’eau, 2011

Downloads

Publicado

2023-12-13