Extensão, teatro e acessibilidade

breves considerações sobre a parceria entre a Unespar e o IPC

Autores

  • Lucas de Almeida Pinheiro Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Teatro, Acessibilidade, Extensão, Pessoas com deficiência visual

Resumo

Este texto relata algumas das experiências desenvolvidos ao longo do projeto de extensão “Teatro e Acessibilidade: a práxis teatral e as pessoas com deficiência visual”, coordenado pelo autor entre março e julho de 2021. O referido projeto foi uma parceria entre o curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Estadual do Paraná (Unespar/FAP) e o Instituto Paranaense de Cegos (IPC), ambos sediados em Curitiba/PR. Realizado inteiramente de maneira remota, via plataforma Google Meet, as ações extensionistas aqui relatadas tinham como objetivo promover espaços de ensino-aprendizagem teatral entre a comunidade universitária e a comunidade externa, composta exclusivamente por pessoas com deficiência visual. No desenvolvido das atividades, nove discentes da licenciatura em teatro e dez pessoas cegas se encontravam semanalmente para trocar e investigar modos de se fazer-aprender-ensinar-experienciar teatro levando em consideração, principalmente, o não ver. Os relatos dos participantes indicam que o projeto alterou e ampliou suas concepções sobre o teatro e sobre quem pode fazê-lo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Camila Araújo. E se experimentássemos mais? Um manual não técnico de

acessibilidade em espaços culturais. 2016. 92f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) –

Universidade federal Fluminense, Instituto de Psicologia, 2016.

BELARMINO, Joana. Aspectos comunicativos da percepção tátil: a escrita em relevo como

mecanismo semiótico da cultural. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em

Comunicação e Semiótica. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2004.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira

de Educação [online]. n. 19, 2002, pp. 20-28. Recuperado de:

<https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003>. Acesso em: 10 nov. 2021.

BRASIL. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estática. Censo Demográfico 2010. Rio de

Janeiro: IBGE, 2010.

BOAL, Augusto. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

https://periodicos.ufop.br/ephemera/article/view/4386>. Acesso em: 17

jul. 2021.

<https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/expressaextensao/article/view/14235>. Acesso em 06 ago. 2022.

GONÇALVES, Ana Lúcia Palma. Atos no escuro: uma perspectiva sensorial. 2009. 128f. Dissertação (Mestrado em Teatro) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

CARMO, Carlos Eduardo Oliveira do (Edu O.). Fissuras pós-abissais em espaços demarcados

pela bipedia compulsória na dança. Ephemera Journal, 2020, vol. 3, n. 5, mai/ago, p. 40-61.

Recuperado de:

DORNELES, Patricia Silvia. Acessibilidade Cultural. Expressa Extensão, 2018, v.23, n.3, p. 146-

Recuperado de:

ESTELA Lapponi – Debate – Seminário Arte, Cultura e Educação na América Latina. Produzido

por Itaú Cultural. Youtube. 14 mai. 2018. 1 vídeo (27m01seg). Disponível em:

<https://youtu.be/BBuYNVV23TQ>. Acesso em 03 abr. 2019

MELLO, Anahi Guedes de. Gênero, Deficiência, Cuidado e Capacitismo: uma análise

antropológica de experiências, narrativas e observações sobre violências com mulheres com

deficiência. 2014. 260f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina,

Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social,

Florianópolis, 2014.

RABÊLLO, Roberto Sanches. Teatro-educação: Uma experiência com jovens cegos. Salvador:

EDUFBA, 2011.

SCHWARTZ, Letícia. Através do prisma: a audiodescrição como provocação à percepção do

espectador com deficiência visual. 2019. 267 f. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) –

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Artes. Programa de Pós-graduação

em Artes Cênicas. 2019.

SPOLIN, Viola. Jogos Teatrais: o fichário de Viola Spolin. Tradução: Ingrid Koudela. S.P.:

Perspectiva, 2001.

TEIXEIRA, Ana Carolina Bezerra. Deficiência em cena: desafios e resistências da experiência

corporal para além das eficiências dançantes. 2010. 133f. Dissertação (Mestrado em Artes

Cênicas) – Universidade Federal da Bahia, Escola de Teatro, Programa de Pós-Graduação em

Artes Cênicas, Salvador, 2010.

THOMPSON, Hannah; WARNE, Vanessa. Blindness Arts: An introduction. Disability Studies

Quarterly, 2018, v. 38, n. 3, 2018. Recuperado em:

Downloads

Publicado

2022-12-16