Possibilidades fílmicas do corpo com deficiência

ou Por uma nova poética do corpo

Autores

  • Odair Santos Junior Universidade Estadual do Paraná

Palavras-chave:

Cinema e Educação, Educação Inclusiva, Procedimentos Fílmicos, Corpos com Deficiência

Resumo

 Neste artigo pretendo abordar as possibilidades fílmicas dos corpos com deficiência no espaço escolar. A partir das leituras de FREIRE (2016), KASTRUP (2001) e VIEIRA (2013) objetivo discutir a práxis pedagógica como professor-pesquisador-artista, a problematização do processo ensino/aprendizagem da arte e o corpo como elemento de formação do sujeito cognoscente. Os escritos de ALBUQUERQUE (2008) norteiam a representação dos corpos com deficiência no cinema, em particular o brasileiro. Das postulações de BERGALA (2008) e FRESQUET (2013) procuro apresentar o cinema na escola como catalizador de relações que possibilitam a alteridade no ato da criação artística. BERTOLDI (2015), em sua formulação sobre representação e ação do corpo com deficiência na dança, conduz à problematização que tenciono desenvolver para elaboração de um protótipo metodológico: Quais os procedimentos pedagógicos para a interrelação de pessoas com deficiência com o cinema na escola? Como autorrepresentação de estudantes com deficiência pode ser estimulada? Quais os procedimentos para formar equipes que incluam pessoas com deficiência na escola? Quais os procedimentos para destacar, registrar e analisar o olhar de estudantes, com deficiência, produzido com a experiência audiovisual? Acredito que a construção de procedimentos fílmicos com base nessas perguntas tem a potencialidade de organizar uma nova poética imagética pelos e com os corpos na educação inclusiva.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Odair Santos Junior, Universidade Estadual do Paraná

Graduado em Linguí­stica/Português USP (2003), especialização em Linguí­stica e Literatura PUC-PR (2010), especialização em Cinema com Ênfase em Produção (2016), graduando em cinema (UNESPAR), mestrado em Artes com estudos no campo de cinema e educação pelo PPG-Artes (UNESPAR) (2021).

Referências

ALBUQUERQUE, Marcio Alves de. A pessoa com deficiência e suas representações no cinema brasileiro. RJ, Dissertação (Mestrado) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Faculdade de Comunicação Social, 2008.

BALÁZS, Béla. O homem visível in A experiência do cinema (antologia). XAVIER, Ismail (org.) RJ/SP, Paz e Terra, 2018, pp. 67-85.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e estética. 3° ed. São Paulo: UNESP/Hucitec, 1993.

BERGALA, Alain. A hipótese-cinema: pequeno tratado de transmissão do cinema dentro e fora da escola. COSTA NETTO, Mônica; PIMENTA, Silvia. (trad.), RJ, CINEAD- LISE-FE/UFRJ, 2008.

BERTOLDI, Andréa L. Sério. Trans(ações) de corpos com deficiência em processos de criação em dança entre otrascositas más. Paraná, Proec UFPR, 2015, acessado em http://www.proec.ufpr.br/download/cultura/tom/tom2.pdf

BORDWELL, David; THOMPSON, Kristin. A arte do cinema: uma introdução. Gregoli, Roberta (trad.) Campinas, SP: Editora da UNICAMP; São Paulo, SP: EDUSP, 2013

BRASIL, Lei no 13.006, de 26 de junho de 2014, acessado em http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2014/lei-13006-26-junho-2014-778954- publicacaooriginal-144445-pl.html

BRASIL, Lei no 9394 de 20 de dezembro de 1996, acessado em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm

BRASIL, Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Acessado em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=166 90-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva- 05122014&Itemid=30192

BRASIL, IBGE -Senso 2010 acessado em https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/caracteristicas_religi ao_deficiencia/caracteristicas_religiao_deficiencia_tab_xls.shtm

BRASIL, ANCINE regulamenta inclusão de recursos de acessibilidade auditiva e visual nas salas de cinemahttps://www.ancine.gov.br/pt-br/sala-imprensa/noticias/ancine- regulamenta-inclus-o-de-recursos-de-acessibilidade-auditiva-e-visual

CAMARGO, Marcos H. Formas diabólicas: ensaios sobre cognição estética. Londrina, Syntagma Editores, 2017.

COSTA, Flávia Cesarino. O primeiro cinema: espetáculo, narração, domesticação, RJ, Azougue Editorial, 2005.

DUARTE, Rosália. Cinema e educação. Belo Horizonte, Autêntica, 2009.

FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio. Aprendendo com a própria história: volume II. Rio

de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio Aprendendo com a própria história: volume I. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. SP, Paz e Terra, 2016

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. SP, Paz e Terra, 2005.

FRESQUET, Adriana Mabel; MIGLIORIN, Cezar. Da obrigatoriedade do cinema na escola, notas para uma reflexão sobre a Lei 13.006/14. In: FRESQUET, Adriana. Cinema e educação: a lei 13.006 – Reflexões, perspectivas e propostas. Belo Horizonte: Universo Produção, 2015.

FRESQUET, Adriana Mabel. Cinema e educação: reflexões e experiências com professores e estudantes da educação básica, dentro e “fora” da escola. Belo Horizonte, MG, Autêntica, 2013

FRESQUET, Adriana Mabel. Aprender com experiências do cinema: desaprender com imagens da educação. RJ, Booklink; CINEAD-LISE-FE/UFRJ, 2009.

KASTRUP, Virgínia. Aprendizagem, arte e invenção. Psicologia em Estudo, v. 6, n. 1, p. 17-27, 2001.

MIGLIORIN, Cezar. Inevitavelmente cinema: educação, política e mafuá. RJ, Beco do Azougue, 2015.

OLIVEIRA, Francisco N. Gomes de; BRANCHER,Vantoir Roberto; SILVA; Suzel Lima da; PIOVESAN, Josiane Bertoldo. A formação do professor na sala de aula: atitude frente à pessoa com deficiência in Revista Educação, Artes e Inclusão. SC: UDESC, v. 15, n. 4, 2019 http://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/13371/0 acesso em 10, jan., 2020

RODRIGUES, Chris. O cinema e a produção. RJ, Lamparina, 2007.

SILVA, Renata Maldonado. RIBEIRO, Luana Leal. Permanências do modelo médico nos discursos dos professores da Educação Especialin Revista Educação, Artes e Inclusão. SC: UDESC, v. 13, n. 1, 2017 http://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/9378 acesso em 14, jan., 2020

STECZ, Solange Straube. Cinema e Educação: produção e democratização do audiovisual com crianças e adolescentes em Curitiba. SP, Tese (doutorado em educação), UFSCAR, 2015.

VIANNA, Angel; CASTILHO, Jacyan. Percebendo o corpoin O corpo que fala dentro e fora da escola. GARCIA, Regina Leite (org.). RJ, DP&A, 2002.

VIEIRA, Jorge A. Metodologia, complexidade e artein Revista do Lume, Campinas, Unicamp, n° 4, dez., 2013

VIEIRA, Jorge A. Formas de Conhecimento: Arte e Ciência - Uma visão a partir da Complexidade: Teoria do Conhecimento e Arte. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2006. v. 1.

XAVIER, Ismail. O cinema brasileiro moderno. SP, Paz e Terra, 2001

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: opacidade e transparência. SP, Paz e Terra,

Downloads

Publicado

2022-12-16