CINEMA, EDUCAÇÃO E ESTÉTICA

EXPERIÊNCIAS COM A PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA NO ÂMBITO ESCOLAR

Autores

  • Julya Gonçalves
  • Zeloí Aparecida Martins

Palavras-chave:

cinema, arte, educação, criação

Resumo

Esta pesquisa discute sobre a utilização do cinema na escola como processo de criação e fruição artística que possibilita a vivência de novas experiências estéticas e simbólicas ao estudante. Para isso, realizou-se uma pesquisa-intervenção com alunos do 5º ano de uma escola pública e municipal da cidade de Jacarezinho a fim de promover um espaço de criação e experiência estética. Além disso, objetivo era desenvolver o exercício “Minuto Lumiére” e aproximar o cinema da educação como possibilidade de “fazer arte” na escola, propiciando ao educando novas experiências estéticas, criativas e reflexivas. O referencial teórico da pesquisa está ancorado nos seguintes autores: Bergala (2008), Duarte (2002) e Fresquet (2013). A metodologia caracterizou-se por pesquisa-intervenção de natureza qualitativa e delineamento descritivo-explicativo. Participaram da pesquisa seis estudantes do 5º ano do ensino fundamental de uma escola pública municipal. Os dados foram analisados pela metodologia Análise de Conteúdo do autor Bardin (1977).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julya Gonçalves

Mestranda em Artes pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). Especialista em Neuropsicopedagogia (UNINA). Professora da Escola Sesi de Ourinhos/CE-144. Membro do grupo de pesquisa em Ensino e Educação (GEPE/UENP). .

Zeloí Aparecida Martins

Profa. Dra. Associada do Colegiado do Curso de Licenciatura em Artes Visuais e do Programa de Mestrado em Artes da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Campus Curitiba II – Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Membro do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Artes (GIPA – Unespar).

Referências

BERGALA, A. A hipótese-cinema. Pequeno tratado de transmissão do cinema dentro e fora da escola. Tradução: Mônica Costa Netto, Silvia Pimenta. Rio de Janeiro: Booklink, 2008.

COLI, J. O que é arte. 15. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

COUTINHO, M. A.; MAYOR, A. L. S. Godard e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

DEUS, A. I. S.; PEREIRA, C. R. Linguagem cinematográfica na educação: aproximação do cinema como arte no ensino fundamental. In: Cinema e Educação: Dentro e fora da lei. Porto Alegre: Ufrgs/programa de Alfabetização Audiovisual, 2014. Cap. 2. p. 114-121. Disponível em: https://www.ufsm.br/unidades-universitarias/ce/wp content/uploads/sites/373/2019/01/000992418-4.pdf. Acesso em: 01 jun. 2019.

FANTIN, M. Crianças, Cinema e Mídia-Educação: Olhares e experiências no Brasil e na Itália. 2006. 399 f. Tese (Doutorado) - Curso de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2006.

FRESQUET, A. Cinema e educação: reflexões e experiências com professores e estudantes da educação básica dentro e “fora” da escola. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

GODARD, J. L. Você quer fazer cinema? Pegue uma câmera! In: TIRARD, L. Grandes Diretores de Cinema. Tradução de Marcelo Jacques de Moraes. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 2006.

GUTIERREZ, F. Linguagem total: Uma pedagogia dos meios de comunicação. 3. ed. São Paulo: Summus Editorial, 1978.

MIRANDA, C. E. A. A fisiognomonia de Charles Le Brun – a educação da face e a educação do olhar. In: Revista Pro-posições. Universidade Estadual de Campinas: Faculdade de Educação vol. 16, mai/ago. 2005.

MOCELLIN, R. O cinema e o ensino da História. Coleção Revisitando a História. Curitiba, Nova Didática, 2002.

NAPOLITANO, M. Como usar o cinema em sala de aula? Contexto: São Paulo, 2003.

RIVOLTELLA, P. C. Il cinema luogo di educazione, tra sacuola ed extra-escuola. In: MALAVASI, P.; POLENGHI, S. E.; RIVOLTELLA, P.C. (Orgs.) Cinema, pratiche formative, educazione. Milano, Vita e Pensiero, 2005.

SILVA, V. A. S.. Memória e cultura: cinema e aprendizado de cineclubistas baianos dos anos 1950. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Memória, Linguagem e Sociedade. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB, 2010.

TRUFFAUT, F. Reflexões sobre as crianças e o cinema. In: O prazer dos olhos. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

FILMOGRAFIA

A SAÍDA DOS OPERÁRIOS DA FÁBRICA LUMIÉRE. Direção: Loius Lumière. França, 1895.

A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO. Direção: Loius Lumière. França, 1896.

REGADOR REGADO. Direção: Loius Lumière. França, 1895.

Downloads

Publicado

2022-07-20