A UTILIZAÇÃO DE CAIXAS DIDÁTICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA PRÁTICA ARTÍSTICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE A FORMAÇÃO DO DOCENTE

Autores

  • Luiza Moura Schnitzler Universidade Federal do Paraná

Resumo

Tendo em vista que a prática artí­stica nas escolas, muitas vezes, parece se resumir à cópia, ao desenho e à releitura de obras icônicas, o presente artigo tem como objetivo desconstruir esta noção de prática, propondo uma alternativa pedagógica: a construção de caixas didáticas. Para isso, realizou-se uma oficina denominada A utilização de caixas didáticas como recurso pedagógico: a importância do fazer desenvolvida no Departamento de Artes da UFPR. O curso abordou como conteúdo o contexto da arte-educação no Brasil, as concepções da prática artí­stica na disciplina de arte, as definições de jogo e lúdico, a concepção de caixa didática e as relações entre autor, obra e espectador a partir do século XX. Desta forma, além das discussões promovidas ao longo do curso, a oficina teve como meta desenvolver uma caixa didática temática sobre as relações entre autor, obra e espectador a partir do século XX. A realização da oficina proporcionou discussões relevantes para a área de artes visuais, conscientizando a importância dos recursos didáticos na formação docente e da mediação em sala de aula.

Palavras-chave: Caixas didáticas; Recurso pedagógico; Prática artí­stica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Moura Schnitzler, Universidade Federal do Paraná

Mestre em Comunicação (Formações Socioculturais) na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Graduada em Licenciatura em Artes Visuais no Departamento de Artes da UFPR. Trabalha como professora de artes e pintura em tela com alunos do Ensino Básico e foi bolsista de ações educativas do Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR.

Referências

BARBOSA, Ana Mae. Leitura de imagem no vestibular. In______. Tópicos Utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998. p. 137-139.

BARBOSA, Ana Mae. Além da Cronologia. In: 24° Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, 2015, Santa Maria. Anais... Compartilhamento na Rede: Redes e Conexões. Santa Maria, 2015.

BENETTI, Alfonso. A experimentação na pedagogia da pintura: um estudo de ateliê. In: CORRÊA, Ayrton Dutra. Ensino de artes múltiplos olhares. Ijuí­: Unijuí­, 2004. p. 247-273.

BONDíA-LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, 2002.

BRASIL. PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasí­lia, 1997. Disponí­vel em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro06.pdf > Acesso em: 13/06/2018.

CHRISTOV, Luiza Helena da Silva. Sobre a palavra criatividade: o que nos leva a pensar Piaget e Vigotski. In: CHRISTOV, Luiza Helena da Silva; MATTOS, Simone Ribeiro de. Arte-Educação: experiências, questões, possibilidades. São Paulo: Expressão & Arte Editora, 2006. p. 9-16.

CUNHA, Marcia Borin. Jogos no ensino de quí­mica: considerações teóricas para sua utilização em sala de aula. Quí­mica nova na escola, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 92-98, 2012. Disponí­vel em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc34_2/07-PE-53-11.pdf. Acesso em: 12/06/2018.

FERRAZ, Maria Heloí­sa C. de T.; FUSARI, Maria F. de Rezende. Metodologia do ensino de arte. São Paulo: Cortez, 1999.

FREIRE, Cristina. Arte conceitual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

FURTADO, Renata Tavares. Sobre o espectador e a obra de arte: da participação a interatividade. 2013. p. 6-68. Monografia em Produção Cultural –Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2013.

GRALIK, Thais Paulina. Cultura Visual: rumo í compreensão de outro universo no ensino de arte. Revista Nupeart, Florianópolis, n. 8, v. 8, p. 28-43, 2010.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva S.A, 2000.

LIMA, Ana Paula Felicissimo de Camargo. Fluxus em museus: museus em fluxus. 2009. 296 f. Tese em História - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2009. Disponí­vel em: <http://libdigi.unicamp.br/document/?code=000446023>. Acesso em: 30 mar. 2017.

LIS, Elza Aparecida Buenos. Ensino da arte e a formação de docentes: ensinando a ensinar. Diaadia educação, Curitiba, 2008. Disponí­vel em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1585-6.pdf. Acesso em: 15/06/2018.

NAVEIRA, Miguel A.C.; PRESTES, Andréia B.; ROSATO, Márcia C. Caixinhas do MAE: encontros entre o público e o acervo museológico. Extensão em Foco, Curitiba: Editora da UFPR, n.10, jul/dez, p. 102-108, 2014.

RAMíREZ, Mari Carmen. Táticas para viver da adversidade: o conceitualismo na América Latina. Arte & Ensaios: revista do ppgav/eba/ufrj, Rio de Janeiro, n. 15, p.185-195, 2007.

SARDELICH, Maria Emí­lia. Leitura de imagens, cultura visual e prática educativa. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 128, p. 451-472, 2006.

SCHNEIDER, Daniela da Cruz; CHAVES, Priscila Monteiro. Teoria e prática como caixa de ferramentas: para pensar desusos no ensino de artes visuais. In: 24° Seminário Nacional de Arte e Educação, 2014, Montenegro. Anais... Montenegro, 2014.

Downloads

Publicado

2021-11-04

Edição

Seção

Eixo 1- Dossiê Temático