PROCESSOS DE CRIAÇÃO NAS ARTES DO VÍDEO: REFLEXÕES SOBRE A VIDEODANÇA ESCONDERIJO

Autores

  • Daniele Sena Durães

DOI:

https://doi.org/10.33871/19805071.2021.24.1.3840

Resumo

Partindo da análise do material videográfico Esconderijo (2016)pretende-se, nesse artigo, refletir sobre o processo de criação da videodança em questão, a partir do ponto de vista da hibridação de linguagens – ví­deo e dança – e das intermedialidades presentes em todo o seu processo criativo. No produto estético Esconderijo corpos em movimento dialogam com câmeras que se tornam corpo e personagem, onde a relação corpo de silí­cio/corpo orgânico produz significado numa narrativa em videodança e a partir desse contexto propõe-se um modo de pensar o processo de criação nas artes do ví­deo, levando sempre em consideração o hibridismo dessa linguagem, expandindo a discussão sobre hibridismo dentro da videodança enquanto produto estético, mas também enquanto procedimento criativo. O artigo fundamenta-se em uma revisão/atualizaçãodo memorial descritivo que revela o processo criativo da videodança elaborada como o Trabalho de Conclusão de Curso da acadêmica (Bacharelado em Dança – Unespar/FAP). Como referencial metodológico e teórico o trabalho encontra-se ancorado nos autores Cecí­lia de Almeida Salles – crí­tica de processos –, Ivani Santana – elementos de videodança – e Raymond Bellour – hibridação de linguagens/medium.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Sena Durães

Dani Durães é bailarina da Téssera Cia de Dança da UFPR desde 2010 e Bacharel em Dança pela UNESPAR – FAP. Dani é também fotógrafa e videomaker. Bailarina com formação em Dança Moderna, foi aluna do Curso de Dança Moderna da UFPR. Atualmente, além de seus trabalhos como bailarina na Téssera Cia de Dança, Dani atua como pesquisadora e criadora em videodança, em destaque as videodanças: "Ânsia" e "Esconderijo".

Referências

BELLOUR, Raymond.Entre-imagens: foto, cinema, ví­deo. Trad. Luciana A. Pena. Campinas-SP: Papirus, 1997 (Coleção Campo Imagético).

ENVELHECER. Concepção e direção de Daniele Sena Durães, 2014. 1 videodança (08"™:30"™"™): son.; color.; suporte em plataforma digital. Disponí­vel em: https://www.youtube. com/watch?v=BA 4YOlir-KQ. Acesso em: 20 out. 2020.

ESCONDERIJO. Concepção e direção de Daniele Sena Durães, 2016. 1 videodança (10"™:22"™"™): son.; color.; suporte em plataforma digital. Disponí­vel em: https://www.youtube.com/watch?v=IZIfExTHHUs. Acesso em: 21 out. 2020.

ESCONDERIJO EXPOSTO. Concepção e direção de Teobaldo Scussel, 2015. 1 documentário (17"™:20"™"™): son.; color.; suporte em plataforma digital. Disponí­vel em:  https://www.youtube.com/watch?v=HSFoJkovNL0&t=854s&ab_channel=DaniDur%C3%A3es IZIfExTHHUs. Acesso em: 21 out. 2020.

MELLO, Christine. Extremidades do ví­deo. São Paulo: Editora Senac, 2008.

SALLES, Cecí­lia Almeida. Crí­tica genética: uma (nova) introdução; fundamentos dos estudos genéticos sobre o processo de criação artí­stica. 2.ed. São Paulo: EDUC, 2000.

SALLES, Cecí­lia Almeida. Gesto inacabado: processo de criação artí­stica. 2ª. Ed. São Paulo: FAPESP. Annablume, 2007; 2013.

SALLES, Cecí­lia Almeida. Redes de criação: Construção da obra de arte. Vinhedo, SP: Horizonte, 2006.

SANTANA, Ivani. Corpo aberto: Cunningham, dança e novas tecnologias. São Paulo: Educ, 2002.

WOSNIAK, Cristiane. Dança, cine-dança, ví­deo-dança, ciber-dança: dança, tecnologia e comunicação. Curitiba: UTP, 2006.

Downloads

Publicado

2021-06-21

Como Citar

DURÃES, D. S. PROCESSOS DE CRIAÇÃO NAS ARTES DO VÍDEO: REFLEXÕES SOBRE A VIDEODANÇA ESCONDERIJO. Revista Cientí­fica/FAP, Curitiba, v. 24, n. 1, 2021. DOI: 10.33871/19805071.2021.24.1.3840. Disponível em: https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/revistacientifica/article/view/3840. Acesso em: 20 abr. 2024.