"A partilha do sensível" : arte e vida nos encontros de arte moderna e nos domingos de criação

Autores

  • LUANA HAUPTMAN CARDOSO DE OLIVEIRA UFPR

Palavras-chave:

arte, arte brasileira, arte paranaense, vanguarda, crítica de arte

Resumo

Durante a década de 1960-70 alguns eventos e propostas artí­sticas foram realizados a partir de uma estética de aproximação entre arte e vida. Em meio a um perí­odo conturbado e de censura da cultura no paí­s, a arte, em diálogo com as movimentações artí­sticas internacionais e na resistência ao regime militar, construiu-se em meio a questões artí­sticas e polí­ticas ou como Jacques Rancière conceituou, uma "partilha do sensí­vel" . Neste contexto, este artigo analisa dois eventos: os Encontros de Arte Moderna idealizados pela crí­tica de arte Adalice Araújo, em Curitiba e os Domingos de criação, proposta do crí­tico Frederico Morais que aconteceram no Rio de Janeiro. A aproximação desses eventos tem por objetivo refletir sobre como as discussões da arte de vanguarda brasileira produziram ecos distintos nas diferentes localidades a partir de um programa artí­stico que propôs a transformação do sensí­vel na arte e na sociedade através da renovação das práticas artí­sticas e da inserção dos sujeitos invisibilizados no processo de produção e apreciação da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15-12-2022

Como Citar

HAUPTMAN CARDOSO DE OLIVEIRA, L. (2022). "A partilha do sensível" : arte e vida nos encontros de arte moderna e nos domingos de criação. O Mosaico, (23), 205–226. Recuperado de https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/mosaico/article/view/4653

Edição

Seção

SEÇÃO – ARTIGOS OUTROS TEMAS