O CU-ESPORPIÃO DE BRUNA KURY COMO ARTIVISMO DESCULONIZATÓRIO CUIR

Autores

  • Daniel dos Santos Colin

Resumo

O presente texto configura-se como uma reflexão revisitada de um subcapí­tulo exclusivo da minha tese de Doutorado em Teatro (PPGT-UDESC), intitulada ""˜O sul do corpo é o nosso norte': práticas deCUloniais em corpos de artistas brasileir*s" (2019). O artigo reporta-se à análise crí­tica-decolonial de duas performances da faca produzidas e executadas pela artista brasileira Bruna Kury respectivamente na Cidade do México (México) e no Rio de Janeiro (RJ-Brasil) em 2017. Como uma performer travesti, negra e marginalizada, Bruna se propõe a desestabilizar a cisheteronormatividade por meio de tais realizações cênicas disruptivas e provocadoras, tratadas aqui como exemplos de um possí­vel "artivismo desCUlonizatório CUir" , uma categoria artí­stica fluida e sem pretensões classificatórias. Ademais, o artigo expõe alguns dos meios pelos quais o neologismo CUir se apresenta como uma perspectiva polí­tica situada geohistoricamente na América Latina em detrimento das assimilações acadêmicas e higienistas da teoria queer estadunidense em nosso território, e ainda se refere às práticas teóricas e empí­ricas desenvolvidas por sujeitos sudakos das dissidências sexuais e de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads