"Queria emprestar o livro que eu quisesse" : as crianças e a biblioteca escolar

Autores

  • Giana Amaral Yamin Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Juliane Ferreira Vieira
  • Cecília da Silva Barros

Palavras-chave:

Pibid, formação de professores, biblioteca escolar, projeto de leitura, pesquisa com crianças.

Resumo

Neste artigo, discute-se o funcionamento e a organização de bibliotecas escolares a partir de pesquisa realizada com crianças do quarto ano do Ensino Fundamental a respeito de atividades de leitura. Os dados coletados delinearam as ações do Programa Institucional de Bolsas de Apoio à Docência (PIBID), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. A investigação revela que as experiências das crianças na biblioteca escolar precisam ser ampliadas, que as crianças desejam frequentar mais vezes o espaço da biblioteca e esperam que possam, nele, ouvir histórias e realizar "menos tarefas escolares" . Como resultado, a fim de contribuir para o comportamento leitor dos alunos, discute-se que a efetivação de uma biblioteca viva demanda apoio de polí­ticas públicas, bem como discussão acerca de concepções de alfabetização e letramento. Essas ações favorecem o rompimento do imaginário das crianças de que a biblioteca é um lugar onde são veiculados exercí­cios de cópia de assuntos sem sentido. O artigo indica, finalmente, às bolsistas pibidianas, futuras pedagogas, alguns desafios que devem nortear seu fazer docente no sentido de que possam inserir a leitura no contexto da escola como ferramenta essencial no processo ensino-aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giana Amaral Yamin, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Doutorado em Educação. Professora do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Coordenadora de í rea do Subprojeto Pibid da Pedagogia, da UEMS, Unidade de Dourados.

Referências

ARENA, D. B. Leitura no espaço da biblioteca escolar. In: SOUZA, R.J. (Org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 157- 185.

BALDI, E. Leitura nas séries iniciais: uma proposta para formação de leitores de literatura. Porto Alegre: Projeto Editora, 2009. 176p.

BRITTO, L.P. L. Leitura e formação na educação escolar. In: SOUZA, R.J (Org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 187- 204.

CAMPOS, M. M. Por que é importante ouvir a criança? A participação da criança pequena em pesquisa cientí­fica. In: CRUZ, S. H. V (Org.). A criança fala. A escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008, p. 35-42.

FERREIRA, E. A. G. R. A leitura dialógica como elemento de articulação. In: SOUZA, R. J (Org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 69 -96.

HOFFMANN, J. Avaliação na pré-escola: um olhar sensí­vel e reflexivo sobre a criança. 17 ed. Porto Alegre: Mediação, 2011. 91p.

LEAL, T. L et al. Porque trabalhar com sequências didáticas? In: FERREIRA, A. T. B;. ROSA, E. C. G. (Orgs.) O fazer cotidiano da sala de aula. Organização do trabalho pedagógico no ensino da lí­ngua materna. Belo Horizonte: Autêntica, 2012, p.143- 173.

GOBBI, M. Múltiplas linguagens de meninos e meninas na educação infantil. In: I Seminário Nacional Currí­culo em Movimento. Perspectivas Atuais, I,. Anais Currí­culo em Movimento Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, 2010, p. 01-21.

MACIEL, F. I. P. O PNBE e o CEALE: de como semear leituras. In: PAIVA, A;. SOARES, M. (Orgs). Literatura infantil: polí­ticas e concepções. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 07-20.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. Editora: Parábola, 2008. 293p.

MELLO, S. A. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. In: Perspectiva, Florianópolis, n. 1, 2007, p. 83-104.

NERY, A. Modalidades organizativas do trabalho pedagógico: uma possibilidade. In: BRASIL, Ministério da Educação. Ensino Fundamental de nove anos: orientações para a inclusão das crianças de seis anos de idade. Brasí­lia: FNDE, 2006, p. 109-135.

ROSA, E. C.S. Ler e escrever no cotidiano escolar: há lugar para a biblioteca escolar? In: FERREIRA, A. T. B; ROSA, E. C. S (Orgs.). O fazer cotidiano da sala de aula. Organização do trabalho pedagógico no ensino da lí­ngua materna. Belo Horizonte: Autêntica, 2012, p. 65-83.

SILVA, E. T. Da necessidade de somatória de energias para enfrentar a problemática da leitura no Brasil. In: NETO, J. C. M (Org). PLL: textos e histórias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 175- 179.

SILVA, R. J. Biblioteca Escolar: Organização e Funcionamento In: SOUZA, R. J (org.). Biblioteca escolar e práticas educativas: o mediador em formação. Campinas: Mercado das Letras, 2009. p 115 - 134.

SOLÉ, I. Estratégias de Leitura. 6ª ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. 194p.b

YUNES, E. Era uma vez a leitura. In: NETO, J.C.M. (Org). PLL: textos e histórias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 153-156.

VITÓRIA, M. I. C. Múltiplas Linguagens na educação infantil: a criança sob nova ótica, nova ética e nova estética. Revista ígora: Porto Alegre: Secretaria Municipal de Educação, 2010. Disponí­vel em: http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/escolas/revistavirtualagora/ano12010.htm.Acesso em 12 jan, 2014.

Downloads

Publicado

2016-01-21