Indefiníveis, experiências em cor tridimensional: uma discussão sobre as indefinibilidades das fronteiras entre Pintura e Escultura a partir de Hélio Oiticica, e uma proposta metodológica para a produção artística estudantil.

Arthur Aroha Kaminski da Silva

Resumo


Resumo: O presente texto se trata de uma revisitação do autor ao processo de pesquisa em Poéticas Visuais realizado durante a produção de seu Trabalho de Conclusão de Curso, intitulado Cor tridimensional: a indefinibilidade das fronteiras entre Pintura e Escultura, e defendido junto ao já extinto Bacharelado em Escultura da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap/Unespar), em 2013. Além de retomar alguns conceitos e discussões relacionadas à arte político-revolucionária de Hélio Oiticica, principal referência quando da elaboração do projeto, o objetivo deste artigo é também organizar o método aplicado durante a execução do projeto, transformando-o em um esquema-guia que poderá auxiliar outros estudantes em seus processos de produção e pesquisa.

Palavras-chave: metodologia; poéticas visuais; indefinibilidade; cor tridimensional; Hélio Oiticica.


Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

INDEXAÇÕES: DOAJ - MIAR - LATINDEX - DIADORIM