L.H.O.O.Q. O ESTATUTO DE ARTE EXPLORADO POR MARCEL DUCHAMP - Renan Archer

Renan Battisti Archer

Resumo


O artigo propõe a exploração de um conceito histórico do mundo da arte: o de estatuto de arte. Considerando que qualquer produção artística é associada ao contexto em que é produzida, analisou-se, a partir das reflexões de alguns autores, como Canclini (1984), Benjamin (1994) e Dickie (2007), o que pode conferir a um objeto o estatuto de obra de arte. Para representar o vasto grupo de tais objetos, a Mona Lisa, do italiano Leonardo da Vinci (1452 – 1519), tem papel fundamental para a análise. De forma a exemplificar como a prática artística também pode apropriar-se de conceitos de seu universo - como o de estatuto de arte - ressignificando-os e promovendo conexão entre diferentes momentos históricos, analisou-se o trabalho L.H.O.O.Q., do francês Marcel Duchamp (1887 – 1968), que exemplifica uma prática questionadora e crítica dos paradigmas do mundo da arte

Palavras-chave


Conceitos de arte; História da arte; Discussões poéticas; Reflexões; Estatuto de obra de arte; Ready-made

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



R. Sensorium, Curitiba, PR, Brasil, eISSN 2358-0437

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

 

DOAJ - DIADORIM - LATINDEX - INFOBASE INDEX - MIAR

Locations of visitors to this page