“CULTURAS DEGENERATIVAS”: EXPERIMENTAÇÕES EM TORNO DE UMA REDE “BIOHÍBRIDA”

Cesar Baio, Lucy HG Solomon

Resumo


O presente ensaio discorre sobre a criação do projeto Culturas Degenerativas, introduzindo os percursos conceituais que conduziram o projeto em sua primeira apresentação na exposição Generative Art International Conference, em Ravena, Itália. As sociedades humanas têm sido responsáveis pela perda de informação dos sistemas naturais por meio da extinção de espécies, da devastação de florestas e das mudanças climáticas decorrentes da ação humana. Frente a este contexto, os artistas do coletivo Cesar & Lois discutem os padrões entrópicos que estão conduzindo a humanidade à desinformação. A instalação resultante deste processo criativo estabelece um sistema “biohíbrido” autônomo, que conjugam organismos vivos e redes tecnológicas. Na instalação, livros são inoculados com microrganismos vivos que crescem sobre o texto. Os livros, que apresentam diferentes versões do impulso humano em controlar a natureza, são literalmente consumidos pelos microrganismos. Um fungo digital generativo, programado com algoritmos de Inteligência Artificial, procura e corrompe textos que ele encontra na internet com a mesma inclinação predatória. O resultado deste processo de degeneração é impresso pela instalação e publicado no Twitter. Sem pretensões necessariamente teóricas, o ensaio traz um relato das discussões que motivaram o trabalho, bem como faz uma apresentação contextualizada da obra.
Palavras-chave: Arte e natureza. Antropoceno. Inteligência artificial. Arte generativa. Arte interativa


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revistadeartes.fap@unespar.edu.br