EXPOSIÇÕES IMERSIVAS COMO PRODUÇÃO DE ARTE, CIÊNCIA E TECNOLOGIA: A VIDEOINSTALAÇÃO JARDÍN INFINITO

Maryella Gonçalves Sobrinho

Resumo


Este texto discute a configuração da experiência estética proveniente do diálogo entre Arte, Ciência e Tecnologia (ACT), a partir da análise da videoinstalação Jardín Infinito (2016), realizada no Museo Nacional del Prado. Para tanto, apresentamos algumas considerações sobre o conceito de ACT, junto a apontamentos a respeito do uso de novas mídias em arte contemporânea, com a contribuição de Franciele Filipini dos Santos, Michael Archer e Michael Rush, respectivamente. Com o objetivo de compreender asimplicações das exposições imersivas como tipo de formato expositivo, trazemos o conceito de “imersão”, proposto por Oliver Grau; e “transposição” (tomado emprestado da teoria literária), desenvolvidoporGérard Genette. Embora o estudo foque na abordagem desta obra específica, também consideramos importante trazer à tona as mostras produzidas pelo Carrière des Lumières, na expectativa de identificar uma tendência atual nas práticas artísticas e expositivas. Além das citadas referências bibliográficas, a reflexão se desenvolveu com base na consulta de imagens, catálogos, entrevistas dos artistas e reportagens que documentaram a mostra.



Texto completo:

PDF

Referências


ABC. El éxito del Bosco obliga al Prado a ampliar sus horarios. 09 de julho de 2016. Disponível em http://www.abc.es/cultura/arte/abci-exito-bosco-obliga-prado-ampliar-horarios-201607081656_noticia.html. Acesso em 02 de maio de 2018.

ARCHER, Michael. Arte Contemporânea, uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

ARMESTO, María Jesús. Modos de pintar a partir de las propuestas Sikka ingentium de Daniel Canogar y Jardín Infinito de Álvaro Perdices. ACCESOS (Madrid) [online], 2017, v.1, nº 1, pp.120-135. Disponível em http://www.accesos.info/assets/accesos_n_12.pdf Acesso em 05 de maio de 2018.

BARTHES, Rolland. O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BLANCA, Diego. El Bosco. In La Guía del Prado. Madrid: Museo Nacional del Prado, 2011.

BRETÍN, Rut de Las Heras. Envueltos por ‘El (infinito) jardín de las delicias’. El País. 8 de julho de 2016. Disponível em https://elpais.com/cultura/2016/07/05/actualidad/1467731846_720577.html Acesso em 02 de maio de 2018.

​DES EXPOSITIONS AMIEX® : L’ART EN IMMERSION, 2018. Disponível em https://www.culturespaces.com/fr/home Acesso em 20 de junho de 2018.

EUROPAPRESS. El Prado reinventa El Jardín de las Delicias con "una danza de seducción" en Jardín Infinito. 05 de julho de 2016. Disponível em http://www.europapress.es/cultura/exposiciones-00131/noticia-prado-reinventa-jardin-delicias-danza-seduccion-jardin-infinito-20160705145329.html. Acesso em 02 de maio de 2018.

FIORIN, José Luiz. O conceito de texto na semiótica. in Organon 23. Porto Alegre, 1995.

GRAU, Oliver. Arte virtual: da ilusão à imersão. Tradutores: Cristina Pescador, Flavia Gisele Saretta e Jussania Costamilan. São Paulo: Editora Unesp; Editora Senac São Paulo, 2007.

GENETTE, Gérard. Palimpsestos. A literatura de segunda mão. Extratos traduzidos por Cibele Braga, Erika Viviane Costa Vieira, Luciene Guimarães, Maria Antônia Ramos Coutinho, Mariana Mendes Arruda e Miriam Vieira. Belo Horizonte: Edições Viva Voz, 2010.

LEIRNER, Sheila. Klimt em kitsch puro e duro, 19 de junho de 2018. Disponível em https://sheilaleirnerblog.wordpress.com/2018/06/19/klimt-em-kitsch-puro-e-duro/ Acesso em 20 de junho de 2018.

MELLO, Christine. Videoinstalação e poéticas contemporâneas. ARS (São Paulo), São Paulo, v.5, n.10, p.90-97, 2007. Disponível em

. Acesso em 17 maio de 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S1678-53202007000200009.

MUSEO DE BELLAS ARTES DE BILBAO. Jardìn Infinito. A propósito del Bosco. Negro y Blanco, 2018. Disponível em

https://www.museobilbao.com/exposiciones/jardin-infinito-a-proposito-del-bosco-negro-y-luz-270 Acesso em 20 de junho de 2018

RUSH, Michael. Novas mídias em arte contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

SANTOS, Franciele Filipini dos. A contribuição de exposições de arte, ciência e tecnologia a partir de 1968 para a historiografia da arte contemporânea. 2015. xv, 240 f., il. Tese (Doutorado em Artes)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

SILVEIRA, Greice Antolini. Imersão: Sensação Redimensionada pelas Tecnologias Digitais na Arte Contemporânea. 2011. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais)—Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revistadeartes.fap@unespar.edu.br