MÁQUINAS DE COLABORAÇÃO – PARA UMA INVESTIGAÇÃO COREOGRÁFICA COLETIVA EM DISENSO E SEM AUTORIA

Luciana Chieregati, Ibon Salvador

Resumo


Neste ensaio serão analisados, a partir de uma experiência prática, os
procedimentos de apropriação, reelaboração e transferência em rede que articulam o eixo central da investigação do laboratório Máquinas de Colaboração, ministrado em diferentes contextos pelo Coletivo Qualquer: Luciana Chieregati e Ibon Salvador. Alguns desses procedimentos serão expostos e reflexões desenvolvidas acerca de suas implicações, na medida em que afetam a distribuição dos papéis na dança, a estruturação do trabalho artístico em coletivo, a questão da autoria e a retórica do consenso. Para tanto, o foco será
posto no que se denomina “materialização” – o material –, em oposição a idealização – a ideia - , liberando o fazer artístico da carga da representação. Assumindo uma perspectiva fundamentada na prática coreográfica do Coletivo Qualquer, defende-se uma lógica em que o aprender fazendo é colocado no centro da criação artística, deslocando a um plano secundário a consequência da conformação de certo “produto” ou obra finalizada. Por último, serão analisadas as implicações que estas lógicas propõem aos processos artísticos pensados a partir de uma coletividade interessada em problematizar questões como: “Como viver juntos?” e “Como dançar juntos?”. 

Palavras-chave: Coreografia. Apropriação. Enunciação. Colaboração. Aprendizagem.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revistadeartes.fap@unespar.edu.br