A GAMBIARR[AÇÃO] E SEUS PROCESSOS COMPOSITIVOS

Carolina Camargo De Nadai

Resumo


Este artigo apresenta parte do pensar-fazer que foi desenvolvido na pesquisa
de doutorado, Gambiarração: poéticas em composição coreográfica, como modo de enquadrar, selecionar e reparar o entendimento de gambiarração composto na referida tese. A investigação que aqui se apresenta, desenvolveu-se de modo teórico-prático e teve como ignição, as gambiarras. O reparar nos modos de fazer e compor das gambiarras revelou-se uma pesquisa de campo para a improvisação e composição corporal em dança. O processo pelo qual emerge uma gambiarra clarifica noções frequentemente utilizadas em improvisações em dança contemporânea, como: a capacidade de lidar com acidente, com a
precariedade e instabilidade; o agenciamento de ações em tempo real; operar com materiais ou mover-se de modo suficiente em determinada composição. Este texto fundamenta-se a partir do método de Composição em Tempo Real (CTR) em desenvolvimento pelo coreógrafo João Fiadeiro desde a década de 1990 e pelo Modo Operativo AND (MO AND), que vem estruturado pela antropóloga Fernanda Eugenio. Destacam-se também os pensamentos
de Baruch Spinoza e Gilles Deleuze (e Félix Guattari) no que diz respeito aos modos de perceber afetos, corpo, experiência e composição.

Palavras-chave: Composição. Criação. Dança. Gambiarração.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revistadeartes.fap@unespar.edu.br