A PESQUISA COMO EXPERIÊNCIA: A AÇÃO DA TEORIA E A PRÁTICA DO CONHECIMENTO EM DANÇA

Sandra Meyer

Resumo


Este ensaio apresenta um breve relato acerca dos caminhos da pesquisa em
dança no estado de Santa Catarina nos últimos trinta anos, considerando que as noções de pesquisa e criação na área no Brasil foram sendo modificadas na relação com os contextos os quais estavam inseridas. A discussão acerca da pesquisa em dança é articulada à noção de experiência, bem como os processos de criação à procedimentos afetivos e políticos que problematizam o corpo, a própria dança e o mundo. A dança e sua dimensão criativa e reflexiva é discutida por meio da perspectiva de se pensar a teoria como ação e a prática como conhecimento. Os modos com que a pesquisa se constitui carrega em si um discurso, um modo de afetar e ser afetado e um modo de subjetivação que é político. A pesquisa em dança permite reconfigurar a experiência, propiciando modos menos normatizados e capitalizados de perceber as coisas e agir no mundo.


Palavras-chave: Pesquisa em dança. Processo de criação. Receptividade afetiva. Política
em dança. Teoria como ação e prática como conhecimento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revistadeartes.fap@unespar.edu.br