A VIDA COMO OBRA DE ARTE

Stela Maris da Silva

Resumo


O artigo objetiva, a partir do pensamento de Michel Foucault, considerar a problemática da constituição do sujeito e, sobretudo, o privilégio da ética no processo de subjetivação em função de uma estética da existência. Aponta ainda que o sujeito de desejo, quando tem domínio de si, desenvolve uma arte da existência, determinada pelo cuidado de si. Hoje o indivíduo, limitado pelos domínios do saber constituído pelos jogos de verdade e dispositivos de poder, teria possibilidade de escolhas pessoais, considerando a vida como obra de arte.


PALAVRAS-CHAVE: Ética; Estética da Existência ; Cuidado de Si.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Contato

Revista Científica / FAP

Rua dos Funcionários 1357 – Cabral

Curitiba - PR - 41 3250-7339 - 41 3250-7301

revistadeartes.fap@unespar.edu.br