TRAMAS DE MINAS - O ARTESANATO COMO ATRATIVO TURÍSTICO E GERADOR DE EMPREGO E RENDA

Fabiano Eloy Atílio Batista, Glauber Soares Junior

Resumo


O turismo, na atualidade, vem sendo compreendido muito além da prática de viagens, vem se configurando como um lócus de suma importância para geração de emprego e renda de diversas localidades, proporcionando, por finalidade, uma troca de experiências culturais e movimentação do trade turístico, em especial de comunidades pequenas. Para tanto, este estudo busca analisar a produção artesanal de tecidos da cidade mineira de Resende Costa e sua relação com as práticas turísticas no município, tendo um foco para as questões socioantropológicas e econômicas estabelecidas a partir do artesanato produzido na cidade bem como os impactos oriundos no que tange a dinâmica do município. A fim de atingir os objetivos elencados, conceberam-se pesquisas bibliográficas e análises documentais para uma contextualização do fenômeno estudado. Após a consolidação das bases teóricas, optou-se pela realização de uma pesquisa de campo na cidade de Resende Costa, a fim de conseguir dados relativos à produção tradicional artesanal da localidade e sua relação com as práticas turísticas. Como principal resultado, observa-se que o artesanato no município de Resende Costa representa uma estratégia socioeconômica para a população local, se configurando como forte gerador de renda e desenvolvimento local. Assim, cabe se pensar politicas públicas de fomento a prática, proporcionando aos tecelões mecanismo de perpetuação e valorização de suas produções.


Palavras-chave


Políticas Públicas, Empreendedorismo, Cultura, Trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise do Conteúdo, Lisboa: Edições 70, 1977.

BEZERRA, N. A. P. As representações de meio ambiente no imaginário dos artesãos de Capim Dourado do município de Mateiros – TO. In: CORCINIO JÚNIOR, G. F.; SILVA, V. C. P. da. Natureza e representações imaginárias. Curitiba: Appris, 2013.

BRANDÃO, P. de M; SILVA, F. R. M. da; FISCHER, Tânia. Potencialidades do artesanato no desenvolvimento de destinos turísticos criativos e sustentáveis. In: Book of Proceedings – Tourism and Management Studies International Conference Algarve, vol.1, p. 195 – 202, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/21886. Acessado em 25 de agosto de 2019.

CARLOS, A. F. A. O consumo do espaço. In: CARLOS, A. F. A. (Org.). Novos caminhos da Geografia. São Paulo: Contexto, 1999.

CALVAL, P. Abordagens da geografia cultural. In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo Cesar da Costa; CORRÊA, Roberto Lobato (Orgs.). Explorações geográficas: percursos no fim do século. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

CORIOLANO, L. N. M. T. ARAÚJO, A. M. M.; VASCONCELOS, F. P.; ALMEIDA, H. M. de; ROCHA, A. M.; GONÇALVES, A.; LIMA, A. C. G.; QUINTILIANO, A. B.; SAMPAIO, C. F.; MENDES, E. G.; NASCIMENTO, I. V. O.; GONÇALVES, M. M. P.; SOUZA NETO, G. F. de; BARBOSA, L. M.; SOUZA, E. A. L. de; SALES, E. A.; PARENTE, K. M. N.; RODRIGUES, T. da C. Arranjos produtivos locais do turismo comunitário: atores e cenários em mudanças. Fortaleza: EDUECE, 2009.

DIAS, R. Turismo e patrimônio cultural: recursos que acompanham o crescimento das cidades. São Paulo, SP: Saraiva, 2006.

FONSECA, J. J. S. da. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

MARCONI, M. A. d.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Cientifica. 5. ed. São Paulo: Atlas S.A., 2003. 310 p.

OLIVEIRA, A. A. P. de. Análise documental do processo de capacitação dos multiplicadores do projeto “Nossas crianças: Janelas de oportunidades” no município de São Paulo à luz da Promoção da Saúde. 2007. 210 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem em Saúde Coletiva) – Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

LUÍS; S. C. A.; FIGUEIRA, L. M. Artesanato e Turismo: Artesanato, valorização e desenvolvimento. In: Revista Turismo & Desenvolvimento, n. 27/28, p. 349 – 355; 2017. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/d5ff/9b58305a25621312f0ce32dff6f64eabc2f4.pdf. Acessado em 25 de agosto de 2019.

MELAZO, G.; SANTOS, R. J. Turismo de eventos e o potencial turístico cultural de Uberlândia (MG), o maior centro urbano da Bacia do Rio Araguari. In: LIMA, S. do C.; SANTOS, R. J. Gestão ambiental da Bacia do Rio Araguari. Uberlândia: UFU; Brasília: CNPQ, 2004.

MINISTÉRIO DO TURISMO. Marcos Conceituais de Turismo. Brasília; Brasil: MTUR, 2006. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Marcos_Conceituais.pdf. Acessado em 25 de agosto de 2019.

RAMOS, S. P. Políticas e processos produtivos do artesanato brasileiro como atrativo de um turismo cultural. In: ROSA DOS VENTOS-Turismo e Hospitalidade, v. 5, n. 1, 2013. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/rosadosventos/article/view/1741. Acessado em 13 de jan. 2020.

SANTOS, M. C. L. e SILVA, G. M. Tear: Artesanato de Resende Costa. São João del Rei: Editora Funrei, 1996.

SANTOS, R. M. Histórico do Concelho de Lagoa. Lisboa: Colibri, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.