PRODUÇÃO CIENTÍFICA INTERNACIONAL DE TURISMO COMUNITÁRIO

Raquel dos Santos Vieira, Bruno Martins Augusto Gomes

Resumo


O turismo comunitário apresenta-se como uma alternativa ao desenvolvimento para comunidades locais e tradicionais, sobretudo as rurais e costeiras. Essa modalidade de turismo difere-se de outras por suas dimensões humanas e culturais que objetivam o diálogo entre os membros de uma comunidade, bem como os encontros interculturais de qualidade entre o residente e o visitante, na perspectiva de conhecer, compreender e aprender com seus respectivos modos de vida. Devido à relevância sócio-cultural do turismo comunitário é primordial estudar as experiências que estão sendo desenvolvidas no âmbito mundial e como o tema é tratado do ponto de vista científico. O estudo objetivou caracterizar o conhecimento científico produzido em inglês sobre o turismo comunitário. Foi realizada uma análise bibliométrica, analisando 19 artigos, publicados entre 2014 e 2017, nas revistas científicas com maior impacto JCR (Journal Citation Reports), no início de 2018, disponíveis no Portal de Periódicos da Capes. As revistas Annals of Tourism Research e Tourism Management destacaram-se com maior número de artigos publicados. Os resultados apontaram crescimento nos estudos sobre o tema. A China destacou-se como local onde foram realizados mais estudos sobre turismo comunitário. Como pesquisas futuras, sugerem-se estudos bibliométricos sobre turismo comunitário em outros idiomas, como português e espanhol, a fim de identificar se há tendências no empreendimento de pesquisas sobre o tema em diferentes países.


Palavras-chave


Turismo comunitário, Estudo Bibliométrico, Periódico Capes.

Texto completo:

PDF

Referências


Acosta, A. (2016). O Bem Viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. São Paulo, Editora Elefante.

Araújo, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun.

Brandão, A. L. R. & Coriolano, L. N. M. T. (2016). Eixos do turismo: convencional e contra-hegemônico em Jericoacoara - CE. Revista Formação (Online), v.. 3; n. 23, p. 101- 126, maio-ago..Disponível em: . Acesso em: 20/09/2018.

Bursztyn, I. (2005). Políticas públicas de turismo visando a inclusão social. M.Sc. thesis. Rio de Janeiro: COPPE/UFRJ.

Capes - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2018). O Portal de Periódicos da Capes. Disponível em: www.periodicos.capes.gov.br/?option=com_pcontent&view=pcontent&alias=missaoobjetivos&mn=69&smn=74. Acesso em: Vários em 2018.

Comparato, F. K. (2006). Ética. São Paulo: Companhia das letras.

Coriolano, L. N. M. T. (Eds.). (2003). O turismo de inclusão e o desenvolvimento local. Fortaleza: FUNECE.

Coriolano, L. N. M. T. (2009a). Arranjos produtivos locais do turismo comunitário: atores e cenários em mudança. Fortaleza: EdUECE.

Coriolano, L. N. M. T. (2009b). O turismo comunitário no nordeste brasileiro. In: Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Editora Letra e Imagem. p. 277 a 288.

Cruz, R. C.A. (2009). Turismo, produção do espaço e desenvolvimento desigual: para pensar a realidade brasileira. In: Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Editora Letra e Imagem. p. 92 a 107.

Diem, A., & Wolter, S. C. (2013). The use of bibliometrics to measure research performance

in education sciences. Research in higher education. Vol. 54. P. 86-114.

Douglas, M. (2007). Como as Instituições Pensam. São Paulo: Edusp.

Fabrino, N. H.; Nascimento, E. P. & Costa, H. A. (2016). Turismo de Base Comunitária: uma reflexão sobre seus conceitos e práticas. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 172-190, dez..

Gargarella, R. (2008). As teorias de justiça depois de Rawls: um breve manual de filosofia política. Tradução Alonso Reis Freire. São Paulo: WMF Martins Fontes.

Grimm, I. J. & Sampaio, C. A. C. (2011). Turismo de base comunitária: convivencialidade e conservação ambiental. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, n. 19, mar. 2011, p. 57-68.

Irving, M. & Azevedo, J. (2002). Turismo: o desafio da sustentabilidade. São Paulo: Futura, 2002.

Irving, M. de A. Reinventando a reflexão sobre turismo de base comunitária: inovar é possível? In: Bartholo, R.; Sansolo, D. G. & Bursztyn, I. (Orgs.). (2009). Turismo de base comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, p. 108-121.

Maldonado, C. (2009). O turismo rural comunitário na América Latina: Gênesis, características e políticas. In: Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Editora Letra e Imagem. p. 25 a 44.

Ministério Do Turismo. (2008). Chamada Pública MTUR n. 001/2008 – Apoio às iniciativas de turismo de base comunitária. Brasília.

Morin, E. (2007). O Método 6: Ética. Tradução Juremir Machado da Silva. 3ª edição. Porto Alegre, Sulina.

Pessali, H. F. (2016). Nanoelementos da Mesoeconomia: uma economia que não está nos manuais. Curitiba: Editora UFPR.

Rocha, S. S. (2003). O turismo na Prainha do Canto Verde (CE): comunidade e sustentabilidade. Rio de Janeiro: COPPE/UFRJ.

Rolim, E. A.; Cendón, B. V. (2013). Modelos teóricos de estudos de usuários na ciência da informação. Data Grama Zero -¬ Revista de Informação ¬ v.14 n.2. Abril de 2013.

Sampaio, C; Lesama, M. F.; Araujo, J. R.; Mendez, E. O. (2011). Perspectiva do turismo comunitário, solidário e sustentável. In: Sampaio, C. A. C.; Henríquez, C.; Mansur, C. (Orgs.). Turismo comunitário, solidário e sustentável: da crítica às ideias e das ideias à prática. Blumenau (SC): Edifurb, p. 23-30.

Sansolo, D. G. (2003). Turismo e sustentabilidade na Amazônia: um novo conteúdo territorial e a experiência no município de Silves, AM. In: PASOS. Revista de Turismo e Patrimônio Cultural, v. 1, n. 1, p. 39-50.

Sansolo, D. G. & Bursztyn, I. (2009). Turismo de base comunitária: potencialidade no espaço rural brasileiro. In: Turismo de Base Comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Editora Letra e Imagem. p. 142 a 161.

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras.

Taylor, C. (2011). A Ética da Autenticidade. São Paulo: Realizações.

Timothy, D. (2012). Peacebuilding and Local Ownership. Post Conflict Consensus Building. Conflict, Development and Peacebuilding. Londres: Editora Routledge.

Zaoual, H. (2003). Globalização e Diversidade Cultural. Traduzido por Michel Thiollent. São Paulo: Cortez.

Zaoual, H. (2008). Do turismo de massa ao turismo situado: quais as transições?. In: Caderno Virtual de Turismo, v. 8, n. 2, agosto de 2008, p. 1-14.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.