ABORDANDO ESTÁTICA DOS FLUIDOS ATRAVÉS DE UMA PRÁTICA BASEADA NA TEORIA COGNITIVISTA DE DAVID AUSUBEL

Camila Fernandes Cardozo

Resumo


A sala de aula é um ambiente plural. Os estudantes chegam nas escolas de diferentes realidades e contextos, que não são delimitados por uma linha espacial nítida, como estudantes das zonas “urbana”, “rural” e “periférica”. Inúmeras são as influências e inclinações trazidas por eles. Certamente, não é possível que ocorra aprendizagem se o professor utilizar um modelo de aula padrão para um grupo de alunos tão distintos. Por isso, é de extrema importância que o docente consiga conhecer as particularidades dos indivíduos que compõem a turma, bem como as características que estes têm em comum e os definem como grupo. Portanto, foi desenvolvida uma atividade sobre a parte inicial da estática dos fluidos, visando atender esta necessidade de construir uma aula que atenda aos diferentes estudantes. A metodologia utilizada baseou-se na teoria cognitivista de David Ausubel, sendo as preocupações centrais do trabalho: o mapeamento dos conhecimentos prévios, a formação de novos subsunçores na estrutura cognitiva dos discentes e a avaliação. A atividade consistiu em cinco experimentos (simples, de baixo custo e fácil construção) que abordaram os conceitos iniciais da estática dos fluidos. Os grupos foram avaliados através de relatórios sobre as práticas realizadas. Este trabalho é a descrição das percepções obtidas a partir desta experiência.


Palavras-chave


Ausubel, subsunçores, estática dos fluidos, experimentos

Texto completo:

PDF

Referências


FILHO, João Bernardes da Rocha. (Org). Física no ensino médio: falhas e soluções. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011

HANNUN, Wallace. David’s Ausubel theory. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2014

MOREIRA, Marco Antonio. Uma abordagem cognitivista ao ensino de física; a teoria de aprendizagem de David Ausubel como sistema de referência para a organização do ensino em ciências. Porto Alegre: Ed. da Universidade, UFRGS, 1983.

_____, Marco Antonio. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

SILVEIRA, F. L.. da; OSTERMANN, F. A insustentabilidade da proposta indutivista de “descobrir a lei a partir de resultados experimentais”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. especial: p.7-27, jun. 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.